O conflito organizacional da educação do management brasileiro sob a perspectiva do habitus “Bourdieusiano” Outros Idiomas

ID:
32138
Periódico:
Resumo:
Esta análise é um ensaio crítico-teórico sobre o estudo dos campos organizacionais que indagam a respeito dos conflitos de interesse que convergem entre os sistemas organizacionais e alguns modelos teóricos do campo de Bourdieu (1983). Desenvolve-se um modelo tríadico de representação conceitual entre o campo da Universidade, o hábitus Bourdieusiano e as diversas expressões do Ethos. É uma critica à formação do management com foco nos interesses egoístas (próprios interesses) que traz da academia, ao observar sua natureza particular (cinismo) do fazer um estado da arte fetiche a gestão das empresas, estudos organizacionais (narcisismo), conceitos que transformam seus recursos gerenciais em instrumentos fetiches (vaidade).
Citação ABNT:
PINO, C. E. O.El conflicto organizacional de la educacion del management brasileño bajo la visión del habitus “Bourderiano”. Cadernos EBAPE.BR, v. 12, n. 3, p. 633-633, 2014.
Citação APA:
Pino, C. E. O.(2014). El conflicto organizacional de la educacion del management brasileño bajo la visión del habitus “Bourderiano”. Cadernos EBAPE.BR, 12(3), 633-633.
DOI:
10.1590/1679-39518943
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32138/o-conflito-organizacional-da-educacao-do-management-brasileiro-sob-a-perspectiva-do-habitus----bourdieusiano---/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Espanhol
Referências:
AACSB (Association to Advance Collegiate Schools of Business). Ethics Education in Business School. Report of theEthics Education Task Force to AACSB International’s Board of Directors. Tampa, Florida, 2004.

AACSB (Association to Advance Collegiate Schools of Business).Why Management Education Matters: its Impact on Individuals, Organizations, and Society. A Report from an AACSB International Task Force of the Committee on Issues in Management Education. Tampa, Florida. 2005

BEDICKS, H; ARRUDA, M. C. Business ethics and corporate governance in Latin America. White Paper on Corporate Governance in Latin America. OECD – Centre for Cooperation with Non-Members – Emerging Economies Transition, 2003. 9 p.

BOCLIN, R. Avaliação de Docentes do Ensino Superior: Um Estudo de Caso. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 12, n. 45, p. 959-980, Out./Dez. 2004.

BOURDIEU, P. Campo intelectual y proyecto creador. In: POUILLON, J. et al (Eds.). Problemas del Estructuralismo. México: Siglo XXI, 1983.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

BOURDIEU, P. C.; PASSERON, J. C. J. D. An invitation to reflexive sociology. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

BOURDIEU, P. C.; PASSERON, J. C. O ofício do sociólogo. Petrópolis: Vozes, 1991.

BOURDIEU, P. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense. 1990.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BOURDIEU, P. Razões Práticas: sobre a teoria da ação.Campinas: Papirus, 1996.

BURIASCO, R. L. C. Algumas considerações sobre avaliação educacional. Avaliação Educacional, v. 22, p. 155-178, 2000.

CALDERON, A. I. Repensando o papel da universidade. Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 2, p. 104-108, 2004.

CALDERON, A. I. Universidades mercantis: a institucionalização do mercado universitário em questão. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 61-72, 2000.

CHIA, R. Teaching paradigm shifting in management education: university business schools and the entrepreneurial imagination. Journal of Management Studies, v. 33, n. 4, p. 409428, 2000.

COHEN, J. R.; PANT, L, W.; SHARP, D. J. Project Earnings Manipulation: An Ethics Case Based on Agency Theory. Issues in Accounting Education, v. 15, n. 1, February 2000.

CONILL, J. Globalización y ética económica. Papeles de Ética, Economía y Dirección, n. 5, 2000.

ETHOS (Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social). Práticas de Responsabilidade Social das Empresas Relação entre os Princípios do Global Compact e Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial. Carmen Weingrill (Coord.). São Paulo: Instituto Ethos, 2003.

ETHOS (Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social). Formulação e Implantação de Código de Ética em Empresas. Documento Reflexões e Sugestões. Agosto, 2000. Disponible en: . Acesso em: Janeiro 2013.

FISCHER, T. M. D. A difusão do conhecimento sobre organizações e gestão no Brasil: seis propostas de ensino para o decênio 2000/2010. Revista de Administração Contemporânea, v. 5, n. spe, p. 123-139, 2001.

FREEMAN, E. Strategic Management: A Stakeholder Approach. New York, NY: Basic Books, 1982.

FREITAS, A.; FISCHER, T. Programa de Capacitação Docente em Administração (PCDA). Cad. EBAPE.BR, v. 5, n. Edição Especial, p. 1-2, 2007.

GAA, J. The Ethical Foundations of Public Accounting. Vancouver, BC: CGA–Canada Research Foundation, 1994.

GLASSON, J. The widening local and regional development impacts of the modern universities – a tale of two cities (and north-south perspectives). Local Economy, v. 18, n. 1, p. 21–37, 2003.

GRAMANI, M. C. A influência da qualidade na atratividade de instituições de ensino superior com capital aberto. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, p. 437 -454, Jul./Set. 2008.

GRAMSCI, A. Maquiavel, a Política e o Estado Moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacional). Censo da Educação Superior 2004. Brasília, 2005.

JENSEN, M. A Theory of the Firm: Governance, Residual Claims and Organizational Forms. Harvard: Harvard University Press, 2000. Disponible en: . Acesso en: Marzo 2013.

JENSEN, M. C. Self-interest, altruism, incentives, & agency theory . Foundations of Organizational Strategy, Harvard: Harvard University Press, 1998.

JENSEN, M. H. The nature of man. Journal of Applied Corporate Finance, v. 7, n. 2, p. 4-19, 1994.

JONES, T. Ethical decision making by individuals in organizations: An issue contingent model. Academyof Management Review, v. 16, n. 2, p. 366–395, 1991.

JUNQUEIRA, L. A noção de representação social na Sociologia contemporânea. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 18/19, p. 145-161, 2005.

KOHLBERG, L. Essays on Moral Development. The Psychology of Moral Development. v. 2. San Francisco, CA: Harper & Row, 1984.

LAHIRE, B. O Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 1997.

MACINTYRE, A. After Ethics. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 1984.

MARTINS, R. C. Avaliação crítica de uma experiência de ensino aprendizagem. Estudos de Psicologia, PUC Campinas, v. 16, n. 2, p. 54-64, 1999.

MARTINS, C. B. A reforma universitária de 1968 e a abertura para o ensino superior privado no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 106, p. 15-35, Jan./Abr. 2009.

MEEK, V. L. Use of the Market in the Transformation of Australian Higher Education. In: GÓMEZ, R. R. (Org.). Reformas en los Sistemas Nacionales de Educación Superior. La Coruña, Es: Netbiblo, 2002. 149-178 p.

MINTZBERG, H.; GOSLING, J. Educando administradores além das fronteiras. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 2, p. 29-43. 2003.

MOLLIS, M. La geopolítica de las reformas de la Educación Superior: el Norte da créditos, el Sur se “acredita”. In: RODRIGUEZ GÓMEZ, R. (Org.). Reformas en los Sistemas Nacionales de Educación Superior. La Coruña, Es: Netbiblo, 2002. 321-358 p.

NICOLINI, A. Qual será o futuro das fábricas de administradores. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 2, p. 44-54, 2003.

NORONHA, G. V.; ROCHA, L. B. S. Elias e Bourdieu: para uma sociologia histórica, ou seria uma história sociológica? Revista Habitus, IFCS/UFRJ, RJ, v. 5, n. 1, p. 47-58, Marzo 2008.

NOSELLA, P. Ética e pesquisa. Educ. Soc., Campinas, v. 29, n. 102, p. 255 -273, Jan./Abr. 2008.

NUNES, E; De CARVALHO, M. Ensino universitário, corporação e profissão: paradoxos e dilemas brasileiros. Sociologias, Porto Alegre, v. 9, n. 17, p. 190-215, Jan./Jun.2007.

OCDE. White Paper on Corporate Governance in Latin America. OECD – Centre for Co-operation with NonMembers – Emerging Economies Transition.2003. Disponible en: . Acceso en: Febrero 2013.

OLIVEIRA, F. B.; SAUERBRONN, F. F. Trajetória, desafios e tendências no ensino superior de administração e administração pública no Brasil: uma breve contribuição. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 41, n. Edição Especial, p. 149-70, 2007.

OLIVEIRA, K. L.; DOS SANTOS, A. A. Avaliação da aprendizagem na universidade. Psicologia Escolar e Educacional, v. 9, n. 1, p. 37-46, 2005.

OROZCO, L. E. Fundamentos éticos de una política de la solidaridad. Galeras de Administración, Universidad de los Andes, Bogotá, v. 4, p. 1-38 Septiembre, 2005.

PALADINO, M; DELBEJUH, P.; DEL BOSCO, P. Integridad: respuesta superadora a los dilemas éticos del hombre de empresa. Cuad. Difus, v. 10, p. 18-19, 2005.

PAULA, A. P.; RODRIGUES, M. A. Pedagogia crítica no ensino da administração: desafios e possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 46, n. Edição Especial, p. 10-22, 2006.

PERLES, G.; SANTIAGO, M. Ética y liderazgo empresarial: Una complementariedad necesaria. Papeles de Ética, Economía y Dirección, n. 5, 2000.

PINCOFFS, E. Quandaries and Virtues: Against Reductivism in Ethics. Lawrence, KS: University Press of Kansas, 1986.

PIOTTO, D. C. Trajetórias escolares prolongadas nas camadas populares. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 135, p. 701-727, 2008.

REST, J. Moral Development: Advances in Research and Theory. New York: Praeger, 1986.

ROBINSON, C.; ADAMS, N. Unlocking the Potential: The Role of Universities in Pursuing Regeneration and Promoting Sustainable Communities. Local Economy, v. 23, n. 4, p. 277–289, November 2008.

SANTOS, A. F.; MOLINAR, M. O. O ethos da empresa na prática docente das universidades Corporativas. VII Seminário Redestrado – Nuevas Regulaciones en América Latina; Buenos Aires. 3, 4 y 5 de Julio 2008.

SCHUGURENSKY, D. Autonomía, heteronomía, y los dilemas de la educación superior en la transición al siglo XXI: el caso de Canadá. In: GÓMEZ, R. R. (Org.). Reformas en los Sistemas Nacionales de Educación Superior. LaCoruña: Netbiblo, 2002. 109-148 p.

SEVERINO, A. J. O ensino superior brasileiro: novas configurações e velhos desafios. Educar. n. 31.Curitiba: Editora UFPR, 2008. 73–89 p.

SGUISSARDI, V. Educação Superior no Limiar do Novo Século – traços internacionais e marcas domésticas. Revista Diálogo Educacional, v. 3, n. 7, 121-144, 2002b. (digitalizado).

SGUISSARDI, V. Fundações Privadas na Universidade Pública – a quem interessam? Avaliação, Campinas, v. 7, n. 4, p. 43-72, 2002a.

SILVA JR., J. R.; SGUISSARDI, V. As novas faces da educação superior no Brasil: reforma do Estado e mudanças na produção. São Paulo: Cortez/CDAPHIFAN, 2001.

SOLOMON, R, C. La ética de los negocios. In: SINGER, P. (Ed.). Compendio de Ética. Madrid: Alianza Editorial, 1995. Cap. 31, 483-498 p.

WEBER, M. El político y el científico. México: Preponía Editores, 1981.

WOOD JR., T.; PAULA, A. P. O fenômeno dos MPAs brasileiros: hibridismo, diversidade e tensões. Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 1, p. 116-129, 2004.