Aprendizagem em ação, competências e a relação com a aprendizagem gerencial Outros Idiomas

ID:
32252
Periódico:
Resumo:
O propósito do presente estudo – ensaio teórico – é discutir o desenvolvimento das competências do Administrador nas IES por meio da aprendizagem em ação e a relação com a aprendizagem gerencial. Considera-se que a efetividade na atuação profissional envolve reflexo para responder e agir em lapsos de oportunidade, recorrendo a conhecimentos ou experiências já assimiladas. Neste processo, identificou-se as IES como responsáveis por desenvolverem em suas funções atitudes e hábitos consistentes aos novos pré-requisitos impingidos pelos novos tempos, as quais devem apresentar propostas educativas voltadas para a proximidade do mundo corporativo, de forma a conectar teoria e prática, superando o ensino restrito apenas aos conteúdos disciplinares. Emerge como ponto de ligação entre aprendizagem gerencial, aprendizagem em ação e competências, o efetivo envolvimento da prática, e estudar esta dinâmica contribui para novas interpretações e possibilita potencializar a educação.
Citação ABNT:
LANG, J.; MARINHO, S. V.; BOFF, M. L. Aprendizagem em ação, competências e a relação com a aprendizagem gerencial. Revista Pretexto, v. 15, n. NE, p. 67-83, 2014.
Citação APA:
Lang, J., Marinho, S. V., & Boff, M. L. (2014). Aprendizagem em ação, competências e a relação com a aprendizagem gerencial. Revista Pretexto, 15(NE), 67-83.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32252/aprendizagem-em-acao--competencias-e-a-relacao-com-a-aprendizagem-gerencial/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGUIAR, A. C.; RIBEIRO, E. C. O. Conceito e Avaliação de Habilidades e Competência na Educação Médica: Percepções Atuais de Especialistas. Revista Brasileira de Educação Médica (Impresso), v. 34, p. 371-378, 2010.

ALBANESE, M. A.; MITCHELL, S. Problem-based learning: A review of the literature on outcomes and implementation issues. Academic Medicine, v. 68, p. 52–81, 1993.

ANTONELLO, C. Alternativas de Articulação Entre Programas de Formação Gerencial e as Práticas de Trabalho: uma contribuição no Desenvolvimento de Competências. 2004. 378f. Tese (Doutorado em Administração) Programa de Pós-Graduação em Administração, Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

ARAUJO, R. M. de L. A articulação Teoria e Prática nas Políticas de Formação de Professores da Educação Básica. In: Encontro de pesquisa educacional do Norte e Nordeste, 26, 2003, Anais… São Cristovão, v. 1, n. 1, 2003.

ARAUJO, R. M. L. Desenvolvimento de competências profissionais: as incoerências de um discurso. 2001. Tese (Doutorado em Educação)–Faculdade de Educação da UFMG, Belo Horizonte, 2001. 192 p.

AUSTER, E. R.; WYLIE, K. K. Creating active learning in the classroom: A systematic approach. Journal of Management Education, v. 30, p. 333–354, 2006.

BARTH, M.; GODEMANN, J.; RIECKMANN, M.; STOLTENBERG, U. Developing key competencies for sustainable development in higher education. International Journal of Sustainability in Higher Education, v. 8, n. 4, p. 416-430, 2007.

BITENCOURT, C. C. A gestão de competências como alternativa de formação e desenvolvimento nas organizações: uma reflexão crítica baseada na percepção de um grupo de gestores. In: RUAS, R.; ANTONELLO C. S.; BOFF, L. H. (Org.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, 2005.

BONWELL, C. C.; EISON, J. A. Active learning: Creating excitement in the classroom (ASHE–ERIC Higher Education Rep. No. 1). Washington, DC: The George Washington University, School of Education and Human Development. 1991.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 16, de 1999. Documento, Brasília, n.456, set.1999. Trata das diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional de nível técnico. Brasília, DF, 5 out.1999.

BURGOYNE, J. Creating the management portfolio: building on competency approaches to management development. Management Education and Development, London, v.20, n.1, p.56-61, 1989.

CAMPOS, S. A. P. de; ESTIVALETE, V. de F. B.; REIS, E. dos; LÖBLER, M. L. Conhecendo o estilo de aprendizagem e as competências mais valorizadas pelos futuros administradores: um estudo envolvendo alunos de graduação em administração de uma instituição federal de ensino. In: Encontro de ensino e pesquisa em Administração e Contabilidade, 2, 2009, Curitiba, Anais... Curitiba, 2009.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.

CHEETHAM, G.; CHIVERS, G. Towards a holistic model of professional competence. Journal of European Industrial Training, Bradford, v.20, n.5, p.20-30, 1996.

CLOSS, L. Q.; ANTONELLO, C. S. História de vida: suas possibilidades para a investigação de processos de aprendizagem gerencial. Gestão.Org, v. 10, n. 1, p. 105-137, 2012.

COE. Council of Europe. Policies and practices for teaching sociocultural diversitya framework of teacher competences for engaging with diversity. Oslo, Norway, 26 – 28 out. 2009. Disponível em: < http://www.integration.ie/website/omi/omiwebv6.nsf/page/AXBN-83LDQ49582916en/$File/Key%20competences%20for%20diversity.pdf> Acesso em: 17 out. 2013.

CUI, Y. An empirical study of learning outcomes based on active versus passive teaching styles, IJEME, v.3, n.1, p. 39-43, 2013.

DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2000.

DESECO. Definitions and selection des competences (DESECO): fondements theoriques et conceptuels. OCDE. 2002. Disponível em: < http://www.euskalcurriculuma.net/data/documents/1/2/5/13/deseco_doc_strategique.pdf> Acesso em: 15 jan 2013.

DIAS, I. S. Competências em educação: conceito e significado pedagógico. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 14, n. 1, 2010.

DORESTANI, A. Is interactive learning superior to traditional lecturing in economics courses? Humanomics, v. 21, p. 1– 20. 2005.

FERNANDES, B. H. R. Competências e performance organizacional: um estudo empírico. 2004. 249 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2004.

FERNANDES, J. D.; XAVIER, I.; CERIBELLI, M. I. P. F.; BIANCO, M. H. C.; MAEDA, D.; RODRIGUES, M. V. C. Diretrizes Curriculares e estratégias para implantação de uma nova proposta pedagógica. Revista da Escola de Enfermagem da USP (Impresso), São Paulo, v. 39, n.4, p. 443-449, 2005.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. C. C. Construindo o Conceito de Competência. RAC -Revista de Administração Contemporânea. Edição Especial, p. 183-196, 2001.

FLEURY, M. T. L.; VASCONCELLOS, L. A contribuição do e-learning no desenvolvimento de competências do administrador: considerando o estilo de aprendizagem do aluno de graduação. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração, v. 1, n. 1, p.137-157, 2009.

FOX, S. From management education and development to the study of management learning. In: BURGOYNE, J.; REYNOLDS, M. (Ed.). Management learning: integrating perspectives in theory and practice. London: Sage, 1997. p. 21-37. Disponível em: < http://www.lums.lancs.ac.uk/files/3904.pdf>. Acesso em: 26 mar. 2013.

FREITAS, I. A.; BRANDÃO, H. P. Trilhas de aprendizagem como estratégia para o desenvolvimento de competências. In: Encontro Nacional dos Alunos de Pós-graduação em Administração, 29, 2005, Brasilia, Anais... Rio de Janeiro, 2005.

GIL-ESTALLO, M.; GINER-DE-LA-FUENTE, F.; GRÍFUL-MIQUELA, C.; SÁNCHEZ-JIMÉNEZ, Y. New Competences for Crisis Times. International Advances in Economic Research. v. 16, p. 190-202, 2010.

GODOY, A. S.; D’AMELIO, M. Competências gerenciais desenvolvidas por profissionais de diferentes formações. O&S. v.19, n.63, p. 621-639, 2012.

GODOY, A. S.; FORTE, D. Competências adquiridas durante os anos de graduação: um estudo de caso a partir das opiniões de alunos formandos de um curso de administração de empresas. Gestão e Regionalidade, v. 23, p. 56-69, 2007.

GOMES, M. P. C.; RIBEIRO, V. M. B.; MONTEIRO, D. M.; LEHER, E. M. T.; LOUZADA, R. de C. R. O uso de metodologias ativas no ensino de graduação nas ciências sociais e da saúde – avaliação dos estudantes. Ciência & Educação, v. 16, n. 1, p. 181-198, 2010.

GREGORY, J.; JONES, R. Maintaining competence: a grounded theory typology of approaches to teaching in higher education. High Educ. v. 57, p. 769–785, 2009.

JOHNSON, D. W.; JOHNSON, R. T.; SMITH, K. A. Active learning: Cooperation in the college classroom. Edina, MN: Interaction Book Company. 1991.

KATZ, R. L. Skills of an effective Administrator. Harvard Business Review, v. 52, p. 90-102, 1974.

KINSELLA, E. A. Constructivist underpinnings in Donald Schon’s theory of reflective practice: echoes of Nelson Goodman. Reflect. Pract., v.7, n.3, p.277-86, 2006.

KOLB, David A. Experiential learning: experience as the source of learning and development. Englewood Cliffs, Nova Jersey: Prentice-Hall, 1984.

McLAGAN, P. Competencies: the next generation. Training & Development, Alexandria, v.51, n.5, p.40-47, 1997.

MEYERS, C.; JONES, T. B. Promoting active learning: strategies for the college classroom. San Francisco: JosseyBass. 1993.

MICHEL, N., CATER III, J. J.; VARELA, O. Active Versus Passive Teaching Styles: An Empirical Study of Student Learning Outcomes. Small Business Instutite® National Proceedings. v. 33, n. 1, Winter, 2009.

MILLER, J. S. Problem-based learning in organizational behavior class: Solving students’real problems. Journal of Management Education, v. 28, p. 578–590, 2004.

MILLS-JONES, A. Active learning in IS education: Choosing effective strategies for teaching large classes in higher education. In: Australasian Conference on Information Systems, 10, Wellington, New Zealand, v. 8, n. 4, p. 622–633. 1999.

MIRANDA, S. Como as necessidades de informação podem se relacionar com as competências informacionais. Ci. Inf., Brasília, v. 35, n. 3, p. 99-114, 2006.

MUGHAL, F. Action learning in higher education: towards a conceptual-compatibility framework. International Journal of Academic Research in Progressive Education and Development. vol. 1, n. 1, 2012.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO OIT. Sobre o desenvolvimento dos recursos humanos: educação, formação e aprendizagem permanente. Recomendação 195, 2011. Disponível em: http://www.oit.org.br/content/sobre-odesenvolvimentodos-recursos-humanos-educa%C3%A7%C3%A3o-forma%C3%A7%C3%A3o-e-aprendizagempermanente. Acesso em: 17 dez 2012.

PARRY, S. The quest for competencies. Training, p. 48-56, July, 1996.

PERRENOUD, P. A formação dos professores no século XXI. In: PERRENOUD, P.; THURLER, M. G.; MACEDO, L. de; MACHADO, N. J.; ALLESSANDRINI, C. D. (Orgs.). As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

PESTANA, M. I. G. de S. A polissemia da noção de competência: uma análise do discurso do conteúdo do discurso do setor público sobre gestão, avaliação e certificação de competências. Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil. 2006.

REIS, D. G. O papel da reflexão na aprendizagem gerencial. 2007. 260 f. Dissertação (Mestrado em Administração) Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2007.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 1993.

RUIZ, J. Á. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SCHAEPER, H. Development of competencies and teaching—learning arrangements in higher education: findings from Germany. Studies in Higher Education, v. 34, n. 6, p. 677-697, 2009.

SCHÖN, D. The Reflective Practitioner. New York: Basic Books. 1983.

SILVA, A. B. O Contexto Social da Aprendizagem de Gerentes. Revista de Administração Mackenzie, v. 9, p. 26-52, 2008.

SOARES NETO, A.; SILVA, A. B. da. Os estágios de aprendizagem de auditores fiscais no contexto da prática profissional. Revista de Administração Pública (Impresso), v. 46, p. 841-863, 2012.

TANGUY, L. Racionalização pedagógica e legitimidade política. In: ROPÉ, F.; TANGUY, L. (Org.). Saberes e competências: o uso de tais noções na escola e na empresa. 4. ed. Campinas: Papirus, 2003.

VAN EYNDE, D. F.; SPENCER, R. W. Lecture versus experiential learning: Their different effects on long-term memory. Organizational Behavior Teaching Review, v. 12, p. 52–58. 1988.

WESTHUIZEN, C. P.; NEL, C.; RICHTER, B. W. An Analysis of Students' Academic Performance When Integrating DVD Technology in Geography Teaching and Learning. Educational Technology & Society, v. 15, n. 3, p. 190-201. 2012.

YEO, R. The tangibles and intangibles of organizational performance. Team Performance Management: An International Journal, v. 9, n. 7/8, p. 199-204, 2003.

ZABALA, A.; ARNAU, L. Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Artmed, 2010.

ZARIFIAN, P. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.