Estudo sobre o grau de utilização de indicadores-padrão de desempenho empresarial: uma análise multicaso na região do Vale do Itapocu Outros Idiomas

ID:
32447
Resumo:
O sucesso empresarial decorre da aceitação de riscos calculados como parte do processo decisório, pois administrar é decidir. Não é um processo que possa ser diretamente delimitado: enquanto algumas empresas obtêm êxito, outras não o atingem. O presente artigo buscou avaliar em que grau a escolha e a utilização dos indicadores de gestão no processo decisório foram fator-chave para a determinação do risco empresarial. O procedimento metodológico estruturou-se em torno de uma pesquisa exploratória, de natureza quanti-qualitativa de estudo multicaso em corte tranversal. A pesquisa apontou que, embora as empresas disponham do mesmo sistema de gestão, possuem graus diversos de utilização. Os indicadores de gestão mais utilizados foram aqueles de ordem financeira, tais como: (a) prazo médio de pagamento; (b) prazo médio de recebimento; (c) fluxo de caixa realizado; (d) acompanhamento do faturamento e (e) controle de estoque. Verificou-se, por fim, que o ambiente empresarial necessita ter guias confiáveis para seus processos decisórios – dentro das possiblidades e limites que eles estabelecem – e que nem todas as empresas determinaram ainda o valor estratégico da informação.
Citação ABNT:
GOMES, E. R. P.; KROTH, M. L.; MÜLLER, I.; RANKEL, V. H.; CRISTIANO, C. C. S.; SOUZA, E. C.; DUARTE, N. L.; CONZZATTI, A. J.; SILVA, J. R.; SANTOS, J. C. D.; SOUZA, J. D.; GLONEK, K. F. J. Estudo sobre o grau de utilização de indicadores-padrão de desempenho empresarial: uma análise multicaso na região do Vale do Itapocu. NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, v. 4, n. 1, p. 89-100, 2014.
Citação APA:
Gomes, E. R. P., Kroth, M. L., Müller, I., Rankel, V. H., Cristiano, C. C. S., Souza, E. C., Duarte, N. L., Conzzatti, A. J., Silva, J. R., Santos, J. C. D., Souza, J. D., & Glonek, K. F. J. (2014). Estudo sobre o grau de utilização de indicadores-padrão de desempenho empresarial: uma análise multicaso na região do Vale do Itapocu. NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, 4(1), 89-100.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32447/estudo-sobre-o-grau-de-utilizacao-de-indicadores-padrao-de-desempenho-empresarial--uma-analise-multicaso-na-regiao-do-vale-do-itapocu/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ACIJS. Site institucional da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2012

BOTTAZZINI, M; CALADO, R. D. Concentração do mercado ERP no Brasil. Revista de Informática Aplicada, São Caetano do Sul, v. 7, n. 2, p. 15-23, jul./dez. 2011

BRASIL. Lei n. 6404, de 17 de dezembro de 1976. [1976]. Disponível em: . Acesso em: 16 jan. 2014.

BRASIL. RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Lei complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006. [2006]. Disponível em: . Acesso em: 17 fev. 2013.

BRASIL. RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Lei complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006. [2006]. Disponível em: . Acesso em: 17 fev. 2013.

BRASIL. SPED – Sistema Público de Escrituração Digital. [2012]. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2013.

COLLINS, J. C; PORRAS, J. I. Feitas para durar: práticas bem-sucedidas de empresas visionárias. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

DAY, G. S. A empresa orientada para o mercado. Porto Alegre: Bookman, 2001.

DEMING, W. E. Qualidade: a revolução da administração. Rio de Janeiro: Saraiva, 1990.

DRUCKER, P. F. Administrando para o futuro: os anos 90 e a virada do século. Tradução de Nivaldo Montingelli Jr. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE – FNQ. Cadernos de excelência. São Paulo: FNQ, 2007.

GOMES, E. R. P. et al. Análise do perfil de gestão em empresas de comércio e serviços da microrregião do Vale do Itapocu. Relatório de Pesquisa. Jaraguá do Sul: Senac, 2012.

IBGE. IBGE cidades@: Jaraguá do Sul SC. [2012]. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2012.

LAUDON, K; LAUDON, J. Sistemas de informação gerenciais. 11. ed. São Paulo: Pearson, 2011.

MARTINS, C. O controle de gestão e a contabilidade. Lisboa: Edições Vislis, 2001.

MATARAZZO, D. C. Análise financeira de balanços: abordagem básica e gerencial. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

MCDANIEL. C; GATES, R. Pesquisa de Marketing. São Paulo: Thomson, 2004.

PORTER; M. E. Estratégia competitiva. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

PRIORI. Site institucional da empresa. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2013.

RIBEIRO, O. M. Estrutura e análise de balanços: fácil. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

SEBRAE/SC. Santa Catarina em números: Jaraguá do Sul. Florianópolis: Sebrae/SC, 2010. 119p.

SENAC/SC – Setor de Ensino Superior – Núcleo de Projetos de Pesquisa e de Extensão – SES/PPE. Procedimento do Programa de Pesquisa e Extensão. Florianópolis: Senac, 2013.

SERRA, F.; VIEIRA, P. Estudos de Caso: como redigir; como aplicar. Rio de Janeiro: Editora Lab, 2005.

TALEB, N. N. A Lógica do cisne negro: o impacto do altamente improvável. Tradução de Marcelo Schild. Rio de Janeiro: BestSeller, 2008.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Ana Thorell. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.