Empreendedorismo tecnológico como opção carreira na aposentadoria Outros Idiomas

ID:
32530
Resumo:
Institutos de Ciência e Tecnologia são organizações que constroem grandes acervos de conhecimento de ponta, combinando conhecimento explícito e tácito decorrente da formação do pesquisador. Há potencial para que o empregado em fase de aposentadoria defina um novo curso de carreira, com foco na aplicação dos saberes de alto valor agregado que acumularam durante a carreira. Nesse sentido, o presente artigo se insere nesta categoria e busca descrever as estratégias oriundas dessas instituições como uma oportunidade do empreendedorismo como opção de segunda carreira para os empregados que estão se aposentando e saindo da instituição. Trata-se de uma pesquisa de natureza quantitativa e do tipo exploratória. Tem por finalidade, contribuir na política de recursos humanos, estimulando os programas de intraempreendedorismo e preparando os pesquisadores para o empreendedorismo tecnológico como uma opção de segunda carreira. Os resultados confirmam o empreendedorismo tecnológico como uma opção desejada pelos pesquisadores como encaminhamento pós-aposentadoria. Conclui-se que, para as instituições de pesquisa, essa opção é uma estratégia adequada para a transferência gradual de conhecimento.
Citação ABNT:
FREIRE, J. R. S.; SANTOS, I. C. D.; SANTOS, S. A. D.; CASTRO, A. D.; SOARES, D. A. S. R. Empreendedorismo tecnológico como opção carreira na aposentadoria. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 3, n. 2, p. 94-119, 2014.
Citação APA:
Freire, J. R. S., Santos, I. C. D., Santos, S. A. D., Castro, A. D., & Soares, D. A. S. R. (2014). Empreendedorismo tecnológico como opção carreira na aposentadoria. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 3(2), 94-119.
DOI:
10.14211regepe3281
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32530/empreendedorismo-tecnologico-como-opcao-carreira-na-aposentadoria/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVARENGA, N. L.; KYAN, L.; BITENCOURT, B.; WANDERLEY, S. K. Repercussões da aposentadoria na qualidade de vida do idoso. Revista de Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 34, n. 4, p. 796-802, dez. 2009.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70 Ltda., 1995, 288 p.

BORGES, C. Saberes docentes: diferentes tipologias e Classificações de um campo de pesquisa. Revista Educação & Sociedade, São Paulo, v. 22, n. 74, p. 59 -76, abr. 2001.

BURGELMAN, R. A.; CHRISTENSEN, C. H.; WHEELWRIGHT, S. C. Strategic management of technology and innovation. 4 ed. Boston: McGraw Hill, 2004, 336 p.

CARAYANNIS, E.; ROGERS, E. M.; KURIHARA, K.; ALLBRITTON, M. M. High technology spin-offs from government R&D Laboratories and research institutes. Technovation, v. 18, n. 1, p. 1-10, 1998.

CARLOS, S. A.; JACQUES, M. G. C.; LARRATEA, S. V.; HEREDIA, O. C. Identidade, aposentadori a e terceira idade. Estudos Interdisciplinares sobre Envelhecimento, Porto Alegre, v. 1, p. 77-89, 1999.

CÔRTES, M. R.; PINHO, M.; FERNANDES, A. C.; SMOLKA, R. B.; BARRETO, A. L. C. M. Cooperação em empresas de base tecnológica: uma primeira avaliação baseada numa pesquisa abrangente. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 85-94, mar. 2005.

CRIBB, A. Y. Determinantes da transferência de tecnologia na agroindústria brasileira de alimentos: identificação e caracterização. Journal of Technology Management & Innovation, Santiago, v. 4, n. 3, p. 89-100, oct. 2009.

DESS, G. G.; LUMPKIN, G.T.; COVIN, J. G. Entrepreneurial Strategy Making and Firm Performance: Tests of Contingency and Configurational Models. Strategic Management Journal, v. 18, n. 9, p. 677-695, oct. 1997.

DORNELAS J.C.A. Empreendedorismo Corporativo: Como ser Empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. 3 ed. Rio de janeiro: Elsevier, 2003, 243 p.

DORNELAS. J. C. A. Empreendedorismo corporativo: conceitos e aplicações. Revista de Negócios, Blumenau, v. 9, n. 2, p. 81-90, abr./jun. 2004.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Novas Empresas de Base Tecnológica e à Transferência de Tecnologia. Disponível em: . Acesso em 20 maio 2013

FILION, L. J. O empreendedorismo como tema de estudos superiores. In: Empreendedorismo: ciência, técnica e arte. Brasília: CNI/IEL, 2000, p. 13-42.

FLYNN, B. B.; SAKAKIBARA, S. S.; SCHROEDER, R. G.; BATES, K. A.; FLYNN, E. J. Empirical research methods in operations management. Journal of Operations Management, v. 9, n. 2, abr. 1990.

GILBERT, M.; CORDEY-HAYES, M. Understanding the process of knowledge transfer to achieve successful technological innovation. Technovation, Cranfield, v. 16, n. 6, p. 301-312, jun. 1996.

HAIR, J.F.; BLACK, W.; BABIN, B.J.; ANDERSON, R.E.; TATHAM, R.L. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005, 688 p.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas do Censo Demográfico. 2010b. Disponível em: . Acesso em 06 jul.2013.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de Dados Agregados. Sistema IBGE de Recuperação Automática SIDRA. 2010a. Disponível em: . Acesso em 20 mai.2013.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese dos Indicadores Sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira 2013. Série Estudos & Pesquisas. Informação Demográfica e Socioeconômica, v. 32. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em . Acesso em 06 jul.2013.

MAGNANI, M. Identificação de fatores críticos de sucesso para formula ção de estratégias que minimizem a perda de competência organizacional de um centro de P&D agropecuário. 2004, 208 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Faculdade de Engenharia de Produção e Sistemas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

MCCLELLAND, D. C. Identifying competencies with behavioral-event interviews. Psychological science, v. 9, n. 5, p. 331-339, set. 1998.

MENCK, A. C. M; OLIVEIRA FILHO, J. B. Alternativas de implantação para novas empresas de base tecnológica, 2009. Disponível em: . Acesso em 20 mai. 2013.

MODESTO JÚNIOR, M. S. A incubação de empresa como processo de transferência de tecnologia. Série Documentos 272. Bel ém do Pará: Embrapa Amazônia Oriental, 2006. 41 p.

MORIN, E. Os sentidos do trabalho. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, n. 3, p. 8-19, jul./set. 2001.

MOSCOVICI, F. Renascença Organizacional: a revalorização do homem frente à tecnologia para o sucesso da nova empresa. São Paulo: José Olympio, 2000, 129 p.

MOW, International Research Team. The meaning of working. New York: Academic Press, 1987.

OLIVEIRA. J. B. Empreendedorismo: transformando ideias, informações, tecnologias e modelos de gestão em negócios (processos, produtos e serviços). II SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE, Uberlândia. Anais... Uberlândia: 2008, p. 245-262.

ORLIKOWSKI, W. J.; BARLEY, S. R. Technology and institutions: what can research on information technology and research on organizations learn from each other? MIS Quarterly, Minneapolis, v. 25, n. 2, p. 145 -165, jun. 2001.

PEREIRA, F. M; BERA, G. M. Potencial para criação de empreendimentos de base tecnológicas com os conhecimentos gerados em pesquisa. Economia & Tecnologia – UFPR, ano 05, v. 16, p. 143-150, jan./mar. 2009.

PEREZ PEREZ, M.; SANCHEZ, A. M. The development of university spin-offs: early dynamics of technology transfer and networking. Technovation, v. 23, n. 10, p. 823-831, out. 2003.

PERUSSI FILHO, S.; BISCEGLI, C. I. Criação de novas empresas de base tecnológica via transferência de tecnologias: reflexões sobre o potencial de sucesso do processo de transferência. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 27, 2007, Foz do Iguaçu, PR; A energia que move a produção: um diálogo sobre integração, projeto e sustentabilidade. Anais... 2007. p. 1-9. 1CDROM., 2008.

ROBERTS, E. B. Entrepreneurs in high technology. New York: Oxford University Press, 1991. 385 p.

ROMEIRO, M. C. Notas de Aula. Pesquisa Quantitativa em Administração. Programa de Pós-graduação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. São Paulo, 2012.

ROSENBERG, N. Inside the black box: technology and economics. Cambridge: Cambridge University Press, 1982, 305 p.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO C. F.; LUCIO, P. B. Metodología de la investigación. 3 ed. México: McGraw Hill, 2003. 850 p.

SANKAT, C. K.; PUN, K. F.; MOTILAL, C. B. Technology transfer for agro-industries in developing nations: a Caribbean perspective. International Journal Agricultural Resources, Governance and Ecology, v. 6, n. 6, p. 642-665, ago. 2007.

SANTOS, S. A; CUNHA, N.C.V. Criação de empresas de base tecnológica: conceitos, instrumentos e recursos. São Paulo: Unicorpore, 2004, 180 p.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, credito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

TAKEUCHI, H; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008, 319p.

ZANELLI, J. C.; SILVA, N.; SOARES, D. H. P.; Orientação para a aposentadoria nas organizações de trabalho: construção de projetos para o pós -carreira. Porto Alegre: Artmed, 2010, 80 p.