Gestão de periódicos científicos: estudo de casos em revistas da área de Administração Outros Idiomas

ID:
32559
Resumo:
Na pesquisa relatada neste artigo, teve-se como objetivo analisar a gestão editorial de periódicos científicos da área de Administração no contexto brasileiro e propor uma tipologia de seus modelos de gestão. Adotou-se uma abordagem qualitativa e utilizou-se o método de estudo de casos múltiplos dos seguintes periódicos: RAE, RAC, RAUSP, O&S e BAR. Identificou-se que o modelo de gestão dos periódicos está fortemente vinculado a seu tipo de instituição man- tenedora (associação científica, instituição de ensino superior [IES] pública, IES privada), a qual influencia nas questões financeiras, administrativas e científicas das revistas.
Citação ABNT:
GUIMARÃES, L. V. S.; DINIZ, E. Gestão de periódicos científicos: estudo de casos em revistas da área de Administração. Revista de Administração, v. 49, n. 3, p. 449-461, 2014.
Citação APA:
Guimarães, L. V. S., & Diniz, E. (2014). Gestão de periódicos científicos: estudo de casos em revistas da área de Administração. Revista de Administração, 49(3), 449-461.
DOI:
10.5700/rausp1160
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32559/gestao-de-periodicos-cientificos--estudo-de-casos-em-revistas-da-area-de-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Adami, A.; & Marchiori, P. Z. (2005). Autoria e leitura de artigos por docentes pesquisadores: motivações e barreiras. In S. M. Ferreira, & M. G. Targino (Orgs.), Preparação de revistas científicas: teoria e prática. São Paulo: Reichmann & Autores.

Adams, J.; & King, C. (2009, June). Global Research Report: Brazil: Research and collaboration in the new geography of science. New York: Thomson Reuters.

ASK (2011). PEER economics report. Milan: ASK Bocconi.

Baden-Fuller, C.; & Morgan, M. (2010). Business models as models. Long Range Planning, 43(2-3), 354-363. doi 10.1016/j.lrp.2010.02.005

Balbachevsky, E. (2005). A pós-graduação no Brasil: novos desafios para uma política bem-sucedida. In C. Brock, & S. Schwartzman, Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Bedeian, A. G.; Van Fleet, D. D.; & Hyman III, H. H. (2009). Scientific achievement and editorial board membership. Organizational Research Methods, 12(2), 211-238. doi 10.1177/1094428107309312

Beverungen, A.; Böhm, S.; & Land, C. (2012). The poverty of journal publishing. Organization, 19(6), 929-938. doi 10.1177/1350508412448858

Bianchetti, L.; & Machado, A. (2009). Publicar & morrer? Análise do impacto das políticas de pesquisa e pós-graduação na constituição do tempo de trabalho dos investigadores. Educação, Sociedade & Culturas, v. 28, p.53-69.

Brasil. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2008). Reestruturação do Qualis. Brasília.

Camargo Jr, K. R. (2012). A indústria de publicação contra o acesso aberto. Revista de Saúde Pública, 46(6), 1090-1094.

Carvalho, K. (2011). Revista científica e pesquisa: perspectiva histórica. In D. Población et al. (Orgs.), Revistas científicas: dos processos tradicionais às perspectivas alternativas de comunicação. Cotia, SP: Ateliê Editorial.

Creswell, J. W. (2012). Qualitative inquiry and research design. 3a ed. Los Angeles: Sage.

Dias, C. G. S. (2006). Periódicos da comunicação científica: produção e difusão de periódicos e panorama dos veículos brasileiros da área de Comunicação na base Qualis. Dissertação de Mestrado, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Dias, G. A.; & Garcia, J. C. R. (2008). Revistas científicas: financiamento, recursos tecnológicos e custos. In S. M. P. Ferreira, & M. G. Targino (Orgs.), Mais sobre revistas científicas: em foco a gestão. São Paulo: Senac/ Cengage Learning.

Dubini, P.; & Giglia, E. (2009). Economic sustainability during transition: the case of scholarly publishing. Proceedings of the International Conference on Electronic Publishing, Milan, Italy, 13.

Eriksson, H.-E.; & Penker, M. (2000). Business modeling with UML: business patterns at work. New York: John Wiley & Sons.

Gomes, V. P. (2010). O editor de revista científica: desafios da prática e da formação. Informação & Informação, 15(1), 147-172.

Gruszynski, A. C.; Golin, C.; & Castedo, R. (2008). Produção editorial e comunicação científica: uma proposta para edição de revistas científicas. E-Compós, 11 (2).

Guanaes, P. C. V.; & Guimarães, M. C. S. (2012). Modelos de gestão de revistas científicas: uma discussão necessária. Perspectivas em Ciência da Informação, 17(1), 56-73.

Gumieiro, K. A. (2009). Modelos de negócios para periódicos científicos eletrônicos de acesso aberto. Dissertação de Mestrado, Departamento de Ciência da Informação e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Harvie, D.; Lightfoot, G.; Lilley, S.; & Weir, K. (2012). What are we to do with feral publishers? Organization, 19(6), 905-914. doi 10.1177/1350508412448859

Houghton, J. W.; & Oppenheim, C. (2010). The economic implications of alternative publishing models. Prometheus: Critical Studies in Innovation, 28(1), 41-54. doi 10.1080/08109021003676359

Machado-da-Silva, C. L.; Guarido Filho, E. R.; Rossoni, L.; & Graeff, J. F. (2008). Periódicos brasileiros de administração: análise bibliométrica de impacto no triênio 2005-2007. RAC-Eletrônica, 2(3), 351-373.

Morrison, H. (2011). Scholarly communication in crisis: freedom for scholarship in the internet age. PhD dissertation (in progess), School of Communication, Simon Fraser University, Vancouver, Canada.

Mueller, S. P. M. (2011). Produção e financiamento de periódicos científicos de acesso aberto: um estudo na base SciELO. In D. Población et al. (Orgs.), Revistas científicas: dos processos tradicionais às perspectivas alternativas de comunicação (Cap. 9). Cotia, SP: Ateliê Editorial.

Myers, M. D. (1997). Qualitative research in Information Systems. MIS Quarterly, 21 (2).

Población, D et al. (2003). Revistas brasileiras publicadoras de artigos científicos em cirurgia. Terminologia e atribuições adotadas pelos editores. Proposta de organograma do periódico e fluxograma do artigo. Acta Cirúrgica Brasileira, 18(6), 497-501.

Regalado, A. (2010). Science in Brazil: Brazilian science riding a gusher. Science, 330(6009), 1306-1312.

Rezende, S. M. (2011). Produção científica e tecnológica no Brasil: conquistas recentes e desafios para a próxima década. Revista de Administração de Empresas – RAE, 51(2), 202-209.

Sousa, C. P.; & Macedo, E. (2009). Avaliação da pesquisa em educação e indicadores de produção bibliográfica: um relato sobre o Qualis Periódicos. Revista de Educação Pública, 18(37), 255-272.

Souza, E. P.; & Paula, M. C. S. (2002). Qualis: a base de classificação de periódicos científicos utilizada na avaliação da Capes. Infocapes – Boletim Informativo da Capes, 10(2), 7-25.

SQW. (2004). Costs and business models in scientific research publishing: a report commissioned by the Wellcome Trust. London: The Wellcome Trust.

Stahler, P. (2002). Business models as an unit of analysis for strategizing. Recuperado em 5 janeiro,2013, de http://www.geschaeftsmodellinnovation.de/english/definitions.htm

Targino, M. G.; & Garcia, J. C. R. (2008). O editor e a revista científica: entre o “feijão e o sonho”. In S. M. P. Ferreira, & M. G. Targino (Orgs.), Mais sobre revistas científicas: em foco a gestão. São Paulo: Senac/Cengage Learning.

Teece, D. (2010). Business models, business strategy and innovation. Long Range Planing, 43(2-3), 172-194. doi 10.1016/j.lrp.2009.07.003

Teixeira, R. K. C.; Silveira, T. S.; Botelho, N. M.; & Petroianu, A. (2012). Citação de artigos nacionais: a (des) valorização dos periódicos brasileiros. Rev. Col. Bras. Cir, 39(5), 421-424.

Trzesniak, P. (2009). A estrutura editorial de um periódico científico. In A. Sabadini, M. Sampaio, & S. Koller (Orgs.), Publicar em psicologia: um enfoque para a revista científica. (Cap. 4). São Paulo: Associação Brasileira de Editores Científicos de Psicologia.

Walsham, D. (1995). Interpretative case studies in IS research: nature and method. European Journal of Information Systems, v. 4, p. 74-81.

Wood Jr, T.; & Chueke, G. V. (2008). Ranking de produção científica em administração de empresas no Brasil. Revista de Administração Mackenzie – RAM, 9(4), 13-31.