Do descredenciamento a reestruturação: o Programa de Pós-Graduação em Administração da UFPB e os PNPGs. Outros Idiomas

ID:
32607
Resumo:
Este estudo buscou compreender a história do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal da Paraíba. Partiu-se de uma perspectiva historiográfica alinhada aos pressupostos da Escola dos Annales, tendo como pano de fundo histórico a emergência da Pós-Graduação no Brasil, e utilizando como principal referência os Planos Nacionais de Pós-Graduação. A metodologia adotada é de caráter qualitativo, utilizando-se como fontes principais as atas de reuniões e outros documentos disponíveis, bem como entrevistas com ex-coordenadores e vice-coordenadores do Programa. Os resultados apontam para cinco fases distintas: (1) criação; (2) consolidação; (3) expansão; (4) retração; (5) reestruturação. A relevância do estudo consiste em resgatar a memória institucional deste PPGA, sobretudo a partir de uma discussão mais aprofundada sobre os períodos de maior turbulência, onde a CAPES indicou possibilidade de descredenciamento.
Citação ABNT:
ARAÚJO, G. D.; MORAES, A. F. G. Do descredenciamento a reestruturação: o Programa de Pós-Graduação em Administração da UFPB e os PNPGs.. Administração Pública e Gestão Social, v. 6, n. 4, p. 195-203, 2014.
Citação APA:
Araújo, G. D., & Moraes, A. F. G. (2014). Do descredenciamento a reestruturação: o Programa de Pós-Graduação em Administração da UFPB e os PNPGs.. Administração Pública e Gestão Social, 6(4), 195-203.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/32607/do-descredenciamento-a-reestruturacao--o-programa-de-pos-graduacao-em-administracao-da-ufpb-e-os-pnpgs-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Barros, E. M. C. de. (1998) Política de Pós-Graduação: um estudo da comunidade científica. São Carlos: Ed. UFSCar.

BLOCH, M. L. B. (2001) Apologia da História. Ou o ofício de historiador. Trad. de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Borges, V. (1987) O que é história. São Paulo: Brasiliense.

Burke, P. (1997). A escola dos Annales (1929-1989): A revolução francesa da historiografia. São Paulo: Fundação Editora da UNESP.

Burrell, G. & Morgan, G. (1979). Sociological Paradigms and Organisational Analysis: elements of the Sociology of Corporate Life. Heinemann Educational Books.

Cadiou, F., Coulomb, C., Lemonde, A., Santamaria, Y. (2007). Como se faz a história: historiografia, método e pesquisa. Petrópolis: Vozes.

Capes. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Plano Nacional de Pós-Graduação 2011-2020. (2012) Recuperado: http://www.capes.gov.br/sobre-a-capes/plano-nacional-de-pos-graduacao

Castro, H. (1997). História Social. In: Cardoso, C. F, Vainfas, R. (Orgs). Domínios da História: Ensaios de Teoria e Metodologia. (pp. 76-96) Rio de Janeiro: Campus.

Córdova, R., Gusso, D., Luna, S. (1986). A Pós-graduação na América Latina: o caso brasileiro. Brasília: UNESCO/CRESALC/MEC/SESu/CAPES.

Fischer, T. (2010). A perduração de um mestre e uma agenda de pesquisas na educação de Administração: artesanato de si, memória dos outros e legados de ensino. Revista Organizações & Sociedade, 17 (52), 209-219.

Land, A. G., Delfino, I. A. L., Lucena, A., Machado, A. G. C. (2011, setembro). Mudanças Estratégicas em um Programa de Pós-Graduação em Administração entre 1975 e 2010. Anais do Encontro nacional da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

Lobo, E. L. (1997) História empresarial. In: Cardoso, C. F. & Vainfas, R. (orgs). Domínios da história: Ensaios de Teoria e Metodologia. (pp. 217-239). Rio de Janeiro: Campus.

Machado, A. M. N., Alves, V. (2005). Políticas Nacionais Atuais para a Produção Científica na Pós-Graduação em Educação e Seus Efeitos e Autoria de Investigadores e Pesquisadores em Formação.

Mendonça, A. W. P. C. (2003) A Pós-graduação como estratégia de reconstrução da universidade brasileira. Educar em Revista. Curitiba: Editora UFPR, (21), pp 289-308.

Reis, J. C. (2000). Escola dos Annales: a inovação em História. São Paulo: Paz e Terra.

Romêo, J. R. M., Romêo, C. I. M., Jorge, V. L. (2012); Estudos de pósgraduação no Brasil. Recuperado de: http://www.ccpg.pucrio.br/nucleodememoria/textosfinais/romeo2004.pdf

Santos, C. M. (2003). Tradições e contradições da Pós-Graduação no Brasil. Educação e Sociedade. Campinas, 24 (83), pp. 627-641.

Saraiva, L. A. S.,Costa, A. M. (2010, setembro) O que lembrar e o que esquecer? Memória e a Formalização Social do passado nas organizações. ANAIS do Encontro nacional da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 34.

Saviani, D. (2002). A Pós-graduação em educação no Brasil: pensando o problema da orientação. In: Bianchetti, L.; Machado, A. M. N. (Orgs.). A bússola do escrever. Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. São Paulo e Florianópolis: Cortez e Editora UFSC.

Silva, A. B. (2005) A vivência de conflitos entre a prática gerencial e as relações em família (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Üsdiken, B.,Kieser, A. (2004). Introduction: history in organization studies. Business History, 46 (3), pp. 321-330.

Vizeu, F. (2008) Management no Brasil em perspectiva histórica: o projeto do IDORT nas décadas de 1930 e 1940 (Tese de doutorado). Fundação Getulio Vargas – FGV, São Paulo, SP, Brasil.

Yin, R. K. (2001). Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.