A adoção das normas internacionais de contabilidade ocasionou um maior reconhecimento dos ativos intangíveis no Brasil? Outros Idiomas

ID:
33227
Resumo:
O objetivo deste trabalho foi analisar se a transição das normas contábeis locais para as normas internacionais de contabilidade propostas pelo International Accounting Standards Board – IASB acarretou um maior reconhecimento dos ativos intangíveis nas empresas no Brasil e se há alguma correlação entre o preço das ações dessas empresas e a informação do ativo intangível publicado em suas demonstrações contábeis. A amostra utilizada foi de 213 empresas listadas na BM&FBOVESPA em um período de 6 anos, compreendidos entre 2005 e 2007 (antes da adoção das IAS/IFRS) e de 2009 a 2011 (pós adoção as IAS/IFRS). Para a verificação do aumento ou diminuição do reconhecimento dos ativos intangíveis identificáveis e dos ativos intangíveis não identificáveis (goodwill) utilizou-se a análise descritiva dos dados e, posteriormente, realizou-se dois testes comparativos de média: t-student e wilcoxon. Para a análise da existência de correlação entre o preço das ações e a informação do intangível divulgado nas demonstrações contábeis das empresas selecionadas para o estudo, foi utilizado um modelo de regressão multivariada. Os resultados encontrados utilizando-se o teste t-student indicaram que houve um maior reconhecimento por parte das empresas no que se refere às variáveis ativos intangíveis identificáveis e ativo intangível total, não acontecendo o mesmo em relação à variável goodwill. Já com relação ao valor do preço das ações e o intangível publicado, foi constatado que há uma relação entre o valor das ações e o total dos ativos intangíveis reconhecidos.
Citação ABNT:
CARLOS FILHO, F. A.; SILVA FILHO, L. L.; LAGIOIA, U. C. T.; SILVA, I. ?. M.; ARAÚJO, J. G. A adoção das normas internacionais de contabilidade ocasionou um maior reconhecimento dos ativos intangíveis no Brasil?. Revista Catarinense da Ciência Contábil, v. 12, n. 37, p. 51-63, 2013.
Citação APA:
Carlos Filho, F. A., Silva Filho, L. L., Lagioia, U. C. T., Silva, I. ?. M., & Araújo, J. G. (2013). A adoção das normas internacionais de contabilidade ocasionou um maior reconhecimento dos ativos intangíveis no Brasil?. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 12(37), 51-63.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33227/a-adocao-das-normas-internacionais-de-contabilidade-ocasionou-um-maior-reconhecimento-dos-ativos-intangiveis-no-brasil-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BOWRIN, Anthony R. International accounting Standards and financial reporting quality in Trinidad and Tobago. Journal of Business, Finance and Economics in Emerging Economies, v. 3, n. 1, p. 118-150, 2008.

BRASIL, Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Pronunciamento Técnico CPC 01(R1). Disponível em: www.cpc.org.br. Acesso em abr/2012.

BRASIL, Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Pronunciamento técnico CPC 04 (R1) – Ativo Intangível. Novembro, 2010.

BRASIL, Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Pronunciamento Técnico CPC 04(R1). Disponível em: www.cpc.org.br. Acesso em abr/2012.

CARLIN, Tyrone M.; FINCH, Nigel. Evidence on IFRS goodwill impairment testing by Australian and New Zealand firms. Managerial Finance, v. 36. n. 9, p.785-798, 2010.

CHAREONSUK, Chaichan.; CHANSA-NGAVEJ, Chuvej. Intangible asset management framework: an empirical evidence. Industrial Management & Data Systems, v. 110, n. 7, p.1094-1112, 2010.

CHAREONSUK, Chaichan.; CHANSA-NGAVEJ, Chuvej. Intangible asset management framework for long-term financial performance. Industrial Management & Data Systems, v. 108, n. 6, p.812-828, 2008.

CRISÓSTOMO, Vicente L. Ativos Intangíveis: estudo comparativo dos critérios de reconhecimento, mensuração e evidenciação adotados no Brasil e em outros países. Revista Contabilidade, Gestão e Governança. Brasília, v. 12, n. 1, p. 50-68, jan/abr. 2009

CVM, Instrução Normativa nº 202/93. Disponível em: . Acesso em:18/09/2013.

FAMA, Eugene; FRENCH, Keneth. R. The Cross-Section of Expected Stock Returns. The Journal of Finance, v. 47, n. 2, p.427-465, june,1992.

GERPOTT, Torsten J.; THOMAS, Sandra E.; HOFFMANN, Alexander P. Intangible asset disclosure in the telecommunications industry. Journal of Intellectual Capital, v. 9, n. 1, p.37-61, 2008.

GIULIANI, Marco.; BRANNSTROM, Daniel. Defining goodwill: a practice perspective. Journal of Financial reporting & Accounting, v. 9, n. 2, p.161-175, 2011.

GJERDE, Oystein et all. The value relevance of adopting IFRS: evidence from 145 NPCGA restatements. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation, v. 17, n. 2, p. 92-112, 2008.

GLAUTIER, M. W. E; UNDERDOWN, B. Accounting Theory and Practice. 5ª ed., London: Pitman Publishing, 1995.

GRIMALDI, Michele.; CRICELLI, Livio. Intangible asset contribution to company performance: the “hierarchical assessment index”. The Journal of information and knowledge management systems, v. 39, n. 1, p.40-54, 2009.

HALL, R. The strategic analysis of intangible resources. Strategic Management Journal, Vol. 13, pp. 135-44,1992.

HAUGEN, Robert A. Modern Investment Theory. 5ed. Nova Jersey: Prentice –Hall, 2001.

HENDRIKSEN, Eldon S.; VAN BREDA, Michael F. Teoria da Contabilidade. 5ª ed., São Paulo: Atlas, 2009.

IUDÍCIBUS, Sérgio de.; Marion, José C. Introdução à Teoria da Contabilidade. Atlas, São Paulo, 2000.

JOHNSON, L. T.; PETRONE, Kimberley R. Commentary: Is Goodwill an Asset?. Accounting Horizons, vol. 12, N. 3, 1998.

LAGIOIA, Umbelina Cravo Teixeira. Pronunciamentos Contábeis na Prática. Atlas, São Paulo, 2012.

LEV, B. Intangibles – Management, Measurement, and Reporting. Wasington: Brookings Institution Press. 2001.

LEVINSOHN, J. The World Bank’s Poverty Reduction Strategy Paper Approach: Good Marketing or Good Policy? G-24 Discussion Paper Series, n. 21. New York: United

LHAOPADCHAN, Suntharee. Fair value accounting and intangible assets: Goodwill impairment and managerial choice. Journal of Financial Regulation and Compliance, v. 18. n. 2, p.120-130, 2010.

MARTINEZ, Antonio Lopo. “Gerenciamento” dos Resultados Contábeis: Estudo empírico das Companhias Abertas Brasileiras. São Paulo, 2001. Tese (Doutorado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

MOELLER, Klauss. Intangible and financial performance: causes and effects. Journal of Intellectual Capital, v. 10, n. 2, p.224-245, 2009.

MONOBE, Massanori. Contribuição à Mensuração e Contabilização do Goodwill Adquirido. São Paulo, 1986. Tese (Doutorado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

NAKAMURA, L. Atrillion dollars a year in intangible investment and the new economy. Oxford University Press, Oxford, pp. 469-85, 2003.

Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD) and C e n t e r f o r I n t e r n a t i o n a l D e v e l o p m e n t , H a r v a r d U n i v e r s i t y , 2 0 0 3 . D i s p o n í v e l e m 126<>Acesso em: abril de 2010.

PEREZ, Marcelo Monteiro; FAMÁ, Rubens. Ativos Intangíveis e o desempenho empresarial. Revista de Contabilidade e Finanças. São Paulo, n.40, p. 7-24, jan./abr. 2006.

PEREZ, Marcelo Monteiro; FAMÁ, Rubens. Características estratégicas dos ativos intangíveis e o desempenho econômico da empresa. In: ENANPAD, 28, 2004, Curitiba. Anais...Rio de Janeiro: ANPAD, 2004. CD-ROM.

RITTER, Adam; WELLS, Peter. Identifiable intangible asset disclosures, stock prices and future earnings. Accounting and Finance, 46, p.843-863, 2006.

SAHUT, Jean-Michel.; Boulerne, Sandrine.; TEOLON, Fréderic. Do IFRS provide better information about intangibles in Europe?. Review of Accounting and Finance, v. 10, n. 3, p. 267-290, 2011.

SANTOS, Luis P. G.; LIMA, Gerlando A. S. F.; FREITAS, Sheizi C.; LIMA, Iran S. Efeitos da Lei 11.638/07 sobre conservadorismo condicional das empresas listadas BM&FBOVESPA. Revista Cont Fin, v. 22, n. 56, p. 174-188, 2011.

SCHULTZE, Wolfgang.; WEILER, Andreas. Goodwill accounting and performance measurement. Finance managerial, v. 36, n. 9, p.768-784, 2010.

SOUZA, Ricardo G. Normas Internacionais de Contabilidade: percepção dos profissionais quanto às barreiras para a sua adoção no Brasil. São Paulo, 2009. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

SRIRAM, Ram S. Relevance of intangible assets to evaluate financial health. Journal of Intellectual Capital, v. 9, n. 3, p.351-366, 2008.

SULLIVAN, P. H. Jr., and Sullivan, P. H. Valuing intangibles companies – An intellectual capital approach. Journal of Intellectual Capital, 1(4): 328-340, 2000.