Análise comparativa do controle interno no contas a receber e a pagar nas empresas Beta Ltda e Alfa Ltda Outros Idiomas

ID:
33387
Resumo:
A necessidade constante de um excelente desempenho empresarial leva à busca da qualidade e confiabilidade da informação para o auxílio na tomada de decisão. Neste contexto, a auditoria contábil tem um papel importante na análise das práticas administrativas adotadas pelas entidades. Desse modo, o objetivo deste artigo é comparar a estruturação dos controles internos no contas a receber e a pagar nas empresas Beta Ltda, a qual não contrata serviços de auditoria externa, e Alfa Ltda, que os contrata. Este estudo caracteriza-se como de caso comparativo de caráter descritivo por meio de questionário e entrevista. Os resultados apontam que a empresa Alfa Ltda tem melhores níveis de controle interno e, consequentemente, está menos exposta a erros e fraudes. Desse modo, entende-se que os seviços de auditoria atuam como um instrumento de auxílio para minimização dos riscos operacionais e servem de alerta aos gestores quanto à eficiência das transações. Contudo, percebe-se que a qualidade dos controles internos nas organizações depende diretamente da utilização de procedimentos de monitoramento.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
RITTA, C. O.Análise comparativa do controle interno no contas a receber e a pagar nas empresas Beta Ltda e Alfa Ltda. Revista Catarinense da Ciência Contábil, v. 9, n. 26, p. 63-78, 2010.
Citação APA:
Ritta, C. O.(2010). Análise comparativa do controle interno no contas a receber e a pagar nas empresas Beta Ltda e Alfa Ltda. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 9(26), 63-78.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33387/analise-comparativa-do-controle-interno-no-contas-a-receber-e-a-pagar-nas-empresas-beta-ltda-e-alfa-ltda/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, M. C. Auditoria: um curso moderno completo. São Paulo: Atlas, 1996.

ATTIE, W. Auditoria: conceitos e aplicações. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

BASSO, I. P. Iniciação à auditoria. 3. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.

BERGAMINI JUNIOR, S. Controles internos como um instrumento de Governança Corporativa. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, v. 12, n. 24, p. 149-188, dez/2005.

BOYNTON, W. C.; JOHNSON, R. N.; KELL, W. G. Auditoria. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

COMMITTEE OF SPONSORINGORGANIZATIONS OF THE TREADWAY COMMISSION – COSO. Gerenciamento de riscos corporativos: estrutura integrada. Jersey City, AICPA, 2007.

CRC-SP/IBRACON. Controles internos contábeis e alguns aspectos de auditoria. São Paulo: Atlas, 2000.

CREPALDI, S. A. Auditoria contábil: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2000.

DIAS, S. V. S. Auditoria de processos organizacionais: teoria, finalidade, metodologia de trabalho e resultados esperados. São Paulo: Atlas, 2006

FRANCO, H.; MARRA, E. Auditoria contábil. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HAMMERSLEY, J.S.; MYERS, L.A.; SHAKESPEARE, C. Market reactions to the disclosure of internal control weaknesses and to the characteristics of those weaknesses under section 302 of the Sarbanes Oxley Act of 2002. Review of Accounting Studies, v. 13, n. 1, p. 141-165. 2008.

JUNG, C. F. Metodologia para pesquisa & desenvolvimento: aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.

MARTINS, G. A. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MIGLIAVACCA, P. N. Controles internos nas organizações: um estudo abrangente dos princípios de controle interno: ferramentas para avaliação dos controles internos em sua organização. 2. ed. São Paulo: Edicta, 2004.

PIYATRAPOOMI, N.; KUMAR, A.; SETUNGE, S. Framework for investment decision-making under risk and uncertainty for infrastructure asset management. Research in Transportation Economics, v. 8, n. 1, p.199-214, 2004.

RAE, K.R., SUBRAMANIAM, N. Quality of internal control procedures: Antecedents and moderating effect on organisational justice and employee fraud. Managerial Auditing Journal, v. 23, n. 2, p. 104-124, 2008.

REGO, A. M. P. S.; BRUNI, R. A. A utilização do COSO na controladoria: um estudo de caso no Brasil. Salvador: UNIFACS/ UFBA, 2009.

SÁ, A. L. Curso de Auditoria. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SHAPIRO, B., MATSON, D. Strategies of resistance to internal control regulation. Accounting, Organizations and Society, v. 33, n. 2, p. 199-228, 2008.

SHELTON, S.W., WHITTINGTON, O.R. The influence of the auditor’s report on investors’ evaluations after the Sarbanes-Oxley Act. Managerial Auditing Journal, v. 23, n. 2, p. 142-160, 2008.

VIANNA, I. O. A. Metodologia do trabalho científico: um enfoque didático da produção científica. São Paulo: EPU, 2001.