Mobilidade e turismo: hospitalidade no transporte coletivo em Caxias do Sul/RS Outros Idiomas

ID:
33657
Resumo:
Na cidade, a perspectiva aberta por uma boa rede de ligações internas confere ao morador – e, consequentemente, também ao turista/visitante que nela se encontra – independência para traçar seus caminhos para o destino a que deseja dirigir-se. Entretanto, mais do que isso, há que se considerar o transporte como um dentre os serviços que, em sua inter-relação com os processos de gestão e com os traços culturais de uma comunidade, configuram-na como um Corpo Coletivo Acolhedor (Santos e Perazzolo, 2012), no seio do qual moradores e turistas/visitantes possam sentir-se contemplados em suas necessidades e expectativas humano-sociais. Sob essa perspectiva coletiva da hospitalidade e de acordo com o Ministério das Cidades e a Secretaria Nacional de Transporte e de Mobilidade Urbana, as cidades devem oferecer os meios necessários para favorecer a locomoção de pessoas, compreendidas aquelas com necessidades especiais, implementando, dentre outras, políticas municipais específicas para o sistema de transporte. O presente artigo apresenta resultados de pesquisa qualitativa realizada no município de Caxias do Sul/RS, em 2013, com o objetivo de identificar sinalizadores de hospitalidade no transporte coletivo urbano local. A análise das condições de hospitalidade apoia-se particularmente nos conceitos de acessibilidade, legibilidade e identidade propostos por Grinover (2007). Sob esse olhar, os resultados revelam, dentre outras ações de hospitalidade nos serviços prestados pela empresa, a disponibilização de elevadores de acesso ao ônibus, interior adaptado para deficientes visuais, visibilidade de informações, transporte especial de porta a porta (PCD). Da análise decorrem algumas proposições de melhoria, ressaltando-se, no entanto, que essas ações não diminuem a importância de que haja políticas públicas que possam potencializar a qualificação permanente do transporte coletivo urbano.
Citação ABNT:
SIMON, S.; GASTAL, S.; SANTOS, M. M. C. D. Mobilidade e turismo: hospitalidade no transporte coletivo em Caxias do Sul/RS. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 8, n. 3, p. 552-567, 2014.
Citação APA:
Simon, S., Gastal, S., & Santos, M. M. C. D. (2014). Mobilidade e turismo: hospitalidade no transporte coletivo em Caxias do Sul/RS. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 8(3), 552-567.
DOI:
10.7784/rbtur.v8i3.812
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33657/mobilidade-e-turismo--hospitalidade-no-transporte-coletivo-em-caxias-do-sul-rs/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Baptista, I. (2008). Pedagogia Social, sustentabilidade e desenvolvimento humano. Grupo Interdisciplinar de Ética, UCP, Porto.

Brasil Acessível. Programa Brasileiro de Acessibilidade Urbana. Recuperado em 22 outubro,2013, de http://www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSEMOB/Biblioteca/BrasilAcessivelCaderno01.pdf

Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul. (2014). Perfil de Caxias do Sul. Recuperado em 15 junho,2014, de http://www.bmaiscompet.com.br/download_arquivos.asp?id_arquivo=9CBA13049CAC-4B79-9BEA-79852BEF1003.

Castaño, J. M., Moreno, A., & Crego, A. (2006). Fatores psicosociales y formación de imagenes en el turismo: un estudo de caso sobre Madrid. In: Pasos. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, v. 4, n. 3, p. 287-299.

Cinotti, Y. (2009). L’hospitalité touristique au service des destinations. In: Lemasson, J. P.; Violier, P. (Org). Destinations et territoires: coprésence à l’oeuvre. Québec: Edition Téoros.

Conseil National des Transports: nouveaux rythmes urbains et organisation des transports. s.d.

Distânciacidades.Com. Recuperado em 27 outubro,2013, de

Escriche, M. M., (2010). Planificación: transporte, turismo y territorio. Gran Tour: Revista de Investigaciones Turísticas, n. 1, p. 97-119.

Gastal, S. A., & Castrogiovanni, A. C. (2002). Turismo na pós-modernidade: (des)inquietações. São Paulo: EDIPUCRS.

Gérardot, M. (2009). Comprendre la touristisation métropolitaine. In: Lemasson, J. P.; Violier, P. (org). Destinations et territoires: coprésence à l’oeuvre. Québec: Edition Téoros.

Grinover, L. (2007). A hospitalidade, a cidade e o turismo. São Paulo: Aleph.

Grinover, L. (2009). A hospitalidade na perspectiva do espaço urbano. Revista Hospitalidade. 6(1), 4-16. jun.

Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. Recuperado em 27 outubro,2013, de http://cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=430510&search=rio-grande-do-sul|caxiasdo-sul|infograficos:-dados-gerais-do-municipio

Lickorish. L. J., & Jenkins, C. L. (2000). Introdução ao turismo. Rio de Janeiro: Campus.

Lourenço, G. F. T. (2009). Hospitalidade Virtual no Turismo: do Informacional ao Comunicacional. Artigo (Mestrando em Comunicação e Sociedade) – Universidade Federal de Juiz de Fora. Recuperado em 8 outubro,2013 de http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2009/resumos/R4-0717-1.pdf

Morin, E. (2005). A organização (do objeto ao sistema). In Morin, E. O método 1: a natureza da natureza. 2a ed. Porto Alegre: Sulina, p. 122-34.

Paviani, J. (2014). A função ética e educativa da cidade. In Santos, M. M. C. & Batista, I, (2014). Laços sociais: por uma epistemologia da hospitalidade. Caxias do Sul/RS, Educs, p. 83-98.

Perazzolo, O. A., & Santos, M. M. C. (2012). Hospitalidade numa perspectiva coletiva: o corpo coletivo acolhedor. Revista Brasileira de Pesquisa Em Turismo, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 3-15. jan./abr. Recuperado em 15 outubro,2014 de http://www.rbtur.org.br/ojs/index.php/rbtur/article/view/484/503

PlanMob – PLANO DE MOBILIDADE URBANA. Recuperado em 22 outubro,2013, de http://www.mobilize.org.br/midias/pesquisas/planmob---construindo-a-cidade-sustentavel.pdf

Prefeitura de Caxias Do Sul. Recuperado em 10 outubro,2013 de http://www.caxias.rs.gov.br/

Serragaúcha.Com. Recuperado em 10, outubro,2013 http://www.serragaucha.com/pt/paginas/caxias-dosul/

Visate. Recuperado em 20 agosto,2013 de http://www.visate.com.br/2012/index.php#