A prática de reconhecimento e mensuração das perdas estimadas em créditos de liquidação duvidosa antes e após a adoção das normas internacionais de contabilidade Outros Idiomas

ID:
33712
Resumo:
O objetivo deste artigo é verificar por meio da análise de conteúdo das notas explicativas das demonstrações financeiras do ano de 2006 a 2011, e pela aplicação de um modelo econométrico, se houve mudanças nos critérios de mensuração e reconhecimento das Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD), a partir da implementação do Pronunciamento Técnico 38 emitido pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis. De acordo com esse pronunciamento, as perdas futuras esperadas, que ainda não ocorreram, não devem mais ser reconhecidas por meio de estimativas, ou seja, é preciso que o evento tenha efetivamente ocorrido para que possa ser registrada a perda. Esta norma traz para o contexto empresarial brasileiro uma nova forma de reconhecimento e mensuração da PECLD, que passa a ser baseada nas perdas efetivamente incorridas, diferente da prática anteriormente adotada, que consistia na contabilização baseada nas perdas esperadas. A população deste estudo são todas as empresas ativas listadas na BM&FBOVESPA. Já a amostra constitui-se em uma escolha não probabilística, sendo selecionadas para o estudo as empresas ativas classificadas no setor de comércio da Economática®, totalizando 19 empresas a serem estudadas. Os resultados obtidos revelam que após a adoção do CPC 38 o critério de reconhecimento da PECLD não foi, em sua totalidade, baseado no método trazido pelo CPC, ou seja, nas perdas incorridas. Percebe-se um reduzido nível de conformidade das práticas contábeis adotadas em relação à norma. Com o processo de convergência e a adesão das empresas brasileiras às normas internacionais, a expectativa era que as companhias utilizassem as perdas incorridas como base para reconhecimento da PECLD.
Citação ABNT:
HOLTZ, L.; SALAROLI, A. R.; SARLO NETO, A.; BORTOLON, P. M.; PAULO, E. A prática de reconhecimento e mensuração das perdas estimadas em créditos de liquidação duvidosa antes e após a adoção das normas internacionais de contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 9, n. 1, p. 65-81, 2014.
Citação APA:
Holtz, L., Salaroli, A. R., Sarlo Neto, A., Bortolon, P. M., & Paulo, E. (2014). A prática de reconhecimento e mensuração das perdas estimadas em créditos de liquidação duvidosa antes e após a adoção das normas internacionais de contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 9(1), 65-81.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33712/a-pratica-de-reconhecimento-e-mensuracao-das-perdas-estimadas-em-creditos-de-liquidacao-duvidosa-antes-e-apos-a-adocao-das-normas-internacionais-de-contabilidade/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ASSAF NETO, A. Administração de capital de giro. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 3ªEd. Lisboa: Edições 70, 2004.

BARTH, M. E.; LANDSMAN, W. R.; LANG, M. H. International Accounting Standards and Accounting Quality. Journal of Accounting Research, v.46, n.3, 2008.

BERVIAN, P. A.; CERVO, A. L.; SILVA, R. da. Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

BRASIL. Lei 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Disponível em: . Acesso em: 25 de janeiro de 2012.

CARNEIRO JÚNIOR, J. B. A.; WATANABE, S. H.E.; MARQUES, J.A.V.da C.; KUBRUSLY, L. S. Provisões para operações de crédito das instituições financeiras no Brasil: um estudo dos efeitos contábeis das alterações normativas do Conselho Monetário Nacional, no período de 1995-2005. IN: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 8, 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2008.

CHIQUETO, F. Impactos na provisão para devedores duvidosos dos bancos europeus listados na Bolsa de Nova Iorque após a adoção das normas internacionais de contabilidade. 2008. 138 f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (Brasil). Pronunciamento Técnico 38: Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração. Correlação às Normas internacionais de Contabilidade IAS 39 Disponível em: < www.cpc.gov.br>. Acesso em: 10 janeiro 2012.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (Brasil). Pronunciamento Técnico 40: Instrumentos Financeiros: Evidenciação. Correlação às Normas internacionais de Contabilidade IFRS 7. Disponível em: < www.cpc.gov.br>. Acesso em: 10 janeiro 2012.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Resolução nº 1.055 de 07 de outubro de 2005. Cria o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Disponível em: . Acesso em: 25 de janeiro de 2012.

COSTA, J. A.; YAMAMOTO, M. M.; THEÓPHILO, C. R. A aderência dos pronunciamentos contábeis do CPC às normas internacionais de contabilidade. IN: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 11, 2011, São Paulo. Anais... São Paulo, 2011.

FIPECAFI. Manual de contabilidade das sociedades por ações: aplicável às demais sociedades. 1 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. Brasília: Editora Plano, 2003.

FUJI, A. H. Gerenciamento de resultados contábeis no âmbito das instituições financeiras atuantes no Brasil. 2004. 133 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUJARATI; D. N. Econometria básica. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier: Campus, 2006.

HENDRIKSEN, E.S.; VAN BREDA, M.F. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2009.

IUDÍCIBUS, S. Teoria da contabilidade. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

JENSEN M.C. e MECKLING, W. Theory of the firm: Managerial behavior, agency cost, and ownership structure. Journal of Financial Economics, p. 305 360, 1976.

LEMES, S.; CARVALHO, L. N. G. Efeito da convergência das normas contábeis brasileiras para as normas internacionais do IASB. IN: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 4, 2004, São Paulo. Anais... São Paulo: FEA/USP, 2004.

LEVENTIS S.; DIMITROPOULOS, P. E.; ANANDARAJAN, A. Signalling by banks using loan loss provisions: the case of the European Union. Journal of Economic Studies, Vol. 39, ISS. 5, p. 604 618, 2012.

LEVINE, D. M.; STEPHAN D. F.; KREHBIEL, T. C.; BERENSON, M. L. Estatística: teoria e aplicações. 5 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

LIMA, G.A.S.F. Utilização da teoria da divulgação para avaliação da relação do nível de disclosure com o custo da dívida das empresas brasileiras. 2007.108 p. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

LOPES, A. B.; MARTINS, E. Teoria da contabildade: uma nova abordagem. São Paulo: Atlas, 2005.

LUCENA, W. G. L, LEITE, D. C. C.; NIYAMA, J. K. Contabilidade Internacional e os desafios da harmonização mundial. Disponível em: . Acesso em: 03 de fevereiro de 2012.

MARTINEZ, A. L. Minimizando a variabilidade dos resultados contábeis: um estudo empírico do income smoothing no Brasil. Revista Universo Contábil. Blumenau, v. 2, n. 1, p. 09-25, 2006.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MEDEIROS, K. M. D. de ; BRITO, F. I. G. ; ARAUJO, A. O. Gestão de crédito e cobrança: análise dos resultados da terceirização em uma financeira. IN: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 8, 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: FEA/USP. 2008.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Cadernos de Pesquisa, FEA, USP, 1996.

PEREIRA, L.C. J. Decisão de Crédito para Grandes Corporações. 1998. 298 p. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade São Paulo, São Paulo, 1998.

SALOTTI, B. M.; YAMAMOTO, M. M. Ensaio sobre a teoria da divulgação. BBR Brazilian Business Review, vol. 2, núm. 1, p. 53-70, 2005.

SANTOS, J. O.; FAMÁ, R. Avaliação da aplicabilidade de um modelo de credit scoring com variáveis sistêmicas e não sistêmicas em carteiras de crédito bancário rotativo de pessoas físicas. Revista Contabilidade e Finanças. vol.18, nº.44, 2007.

SILVA, A. H. C. ; ALMEIDA, S. R. V. ; COSTA, T. A. Análise dos impactos das normas internacionais de contabilidade sobre o lucro líquido e o patrimônio líquido das empresas de extração e processamento de recursos naturais. IN: Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis AdCont, 2, 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2011.

SOUSA, A. F. de; CHAIA, A. J. Política de crédito: uma análise qualitativa dos processos em empresas. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 7, nº 3, 2000.

STOLF, W.A. Quantificação do risco de crédito: um estudo de caso utilizando o modelo Creditrisk*.2008. 111 p. Dissertação (Mestrado em Ciências). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2008.

STREET, D. ; GRAY, S. Observance of International Accounting Standards: Factors Explaining Non-Compliance, ACCA Research Report No. 74, London, UK, 2001.

ZENDERSKY, H. C. Gerenciamento de resultados em instituições financeiras no Brasil – 2000 a 2004. 2005. 131 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Universidade de Brasília, Brasília, 2005.