Crianças como pequenos adultos? um estudo sobre a percepção da adultização na comunicação de marketing de empresas de vestuário infantil Outros Idiomas

ID:
33717
Resumo:
A entrada, cada vez mais precoce, de crianças no universo de consumidores, cria um mercado de consumo considerado dos mais atrativos em vários setores. Trabalhos anteriores indicam que existe um processo latente de adultização, como forma de socialização de crianças para o mercado de consumo (SILVEIRA NETTO et al 2010). Um exemplo recente dá conta da criação de um sutiã com enchimento dirigido para meninas de seis anos de idade, vendido em uma grande loja de departamentos (FOLHA DE SÃO PAULO, 2011), o que evidencia que o fenômeno de adultização é crescente e carece de atenção especial. Este trabalho pretende investigar junto a pais e mães de crianças com até 12 anos, bem como com adultos sem filhos, como se dá a percepção da adultização em marcas de vestuário infantil populares no Brasil. Coletou-se material de comunicação de marketing das principais empresas de vestuário infantil atuantes no Rio de Janeiro, disponível em seus websites, como forma de investigar as representações infantis dos produtos ofertados nas coleções. A pesquisa de campo contou comum questionário semiestruturado, para levantar a percepção de pais/mães sobre as representações infantis na apresentação dos produtos de vestuário infantil. Foram considerados sujeitos de pesquisa também adultos sem filhos ou com filhos acima dos 12 anos para investigar se a percepção de adultização seria consistente em indivíduos com esse perfil. Os resultados indicam que há uma percepção da existência de um processo de adultização infantil, embora alguns respondentes verbalizem que há adequação quanto ao uso de alguns produtos e práticas outrora restritos ao universo adulto.
Citação ABNT:
BARROS, R. A. F.; BARROS, D. F.; GOUVEIA, T. M. O. A. Crianças como pequenos adultos? um estudo sobre a percepção da adultização na comunicação de marketing de empresas de vestuário infantil. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 8, n. 3, p. 6-20, 2013.
Citação APA:
Barros, R. A. F., Barros, D. F., & Gouveia, T. M. O. A. (2013). Crianças como pequenos adultos? um estudo sobre a percepção da adultização na comunicação de marketing de empresas de vestuário infantil. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(3), 6-20.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33717/criancas-como-pequenos-adultos--um-estudo-sobre-a-percepcao-da-adultizacao-na-comunicacao-de-marketing-de-empresas-de-vestuario-infantil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBAN, Renato. ‘Boom’ do Mercado Infantil Atrai Novos Negócios. Jornal A Tarde, edição de 3 de ago. 2013. Disponível em: http://atarde.uol.com.br/empregos/materias/1523150-boom-do-mercado-infantil-atrai-novosnegocios . Acesso em: 3 set. 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BAUDRILLARD; Jean. A Sociedade de Consumo. Lisboa, Edições 70, 2008.

BJURSTRÖM, Erling. Children and television advertising – A critical study of international research concerning the effects of TV – commercials on children Report. Konsument verket, Swedish Consumer Agency, 1994.

BRASIL. Código de Defesa do Consumidor. Lei nº 8.078 de 11 de setembro de 1990. Dispõe sobre a Proteção do Consumidor e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.

BREI, Vinicius; GARCIA, Luciana Burnett; STREHLAU, Suzane. A influência do marketing na erotização precoce infantil. XXXII Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro. 2008.

BUCHT, Catharina. Perspectivas sobre a criança e a mídia. Brasília: UNESCO, 2002.

D'EMILIO, John; FREEDMAN, Estelle B. Intimate Matters: A History of Sexuality in America. New York: Harper & Row, 1989.

ENGEL, S.L. Real kids: Creating meaning in everyday life. Harvard University Press, 2005

FEATHERSTONE, M. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Nobel, 1995

FOLHA DE SÃO PAULO. Sutiã aos 6 anos reabre polêmica da "adultização" de crianças. Em: Acesso em: 10 abr. 2011

FULLERTON, R. A.; PUNJ, G. The Unintended Consequences of the Culture of Consumption: An Historical-Theoretical Analysis of Consumer Misbehavior. Consumption, Markets and Culture, v. 1, n. 4, p.393-423, 1998.

GABRIEL, Yannis.; LANG, Tim. The Unmanageable Consumer. London: Sage, 2006.

HENRIQUES, Isabella Vieira Machado. Controle social e regulação da publicidade infantil. O caso da comunicação mercadológica de alimentos voltada às crianças brasileiras. Revista eletrônica de Comunicação, Inovação & Saúde, v. 04, n. 04, nov 2010. Disponível em www.reciis.cict.fiocruz.br Acessado em 28.04.11.

IBGE. Disponível em: www.ibge.gov.br Acessado em 28.03.2011

IBOPE. Consumo de artigos infantis deve movimentar R$ 26,2 bilhões em 2011. Disponível em: Acesso em: 20 abr.12

IBOPE. Mães contemporâneas. Disponível em Acesso em: 07 jun.11

IBOPE. População brasileira faz avaliação positiva da publicidade e reconhece seu papel na sociedade. Disponível em: Acesso em: 07 jun.11

INSTITUTO ALANA. Opiniões sobre a propaganda infantil Maio 2011. Disponível em: http://biblioteca.alana.org.br/banco_arquivos/arquivos/docs/biblioteca/pesquisas/propagandainfantil-maio-2011.pdf Acesso em: 03 out. 2013.

INTERSCIENCE (2003). Fatores que influenciam as crianças no consumo. Disponível em www.interscience.com.br Acessado em 18.04.11.

JOHN, Deborah Roedder. Consumer socialization of children: retrospective look at twentyfive y of research. Journal of Consumer Research. v. 26, p.184-205, dez. 1999.

LILICA RIPILICA. Disponível em www.lilicaripilica.com.br Acessado em 15.04.2011.

LIMA, Fernanda da Silva. Publicidade e consumismo precoce: Um ensaio sobre a violação aos direitos fundamentais de crianças e adolescentes no Brasil, Revista Âmbito Jurídico, n. 84, ano XIV, jan/2011.

MCCRACKEN, G. Culture and Consumption: a Theoretical Account of the Structure and Movement of the Cultural Meaning of Consumer goods, Journal of Consumer Research, v. 13, p. 71-84, 1986.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR E ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO. MDIC e ABIT realizam pesquisa inédita sobre perfil do consumidor de vestuário. Em: < http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/noticia.php?area=1¬icia=11095> Em 10 nov.2011

SILVEIRA NETTO, Carla Freitas; BREI, Vinícius Andrade; FLORES-PEREIRA, Maria Tereza. O fim da infância? As ações de marketing e a "adultização" do consumidor infantil. RAM, Rev. Adm. Mackenzie (Online), São Paulo, v. 11, n. 5, Oct. 2010.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 9ªed. São Paulo: Atlas. 2007.