Qualidade da auditoria no Brasil: um estudo sobre a atuação das auditorias independentes denominadas Big Four Outros Idiomas

ID:
33964
Resumo:
A auditoria independente, como intermediária informacional nas relações contratuais entre a gente e principal, tem papel fundamental no processo de convergência para as normas internacionais de contabilidade. Os esforços despedidos à adoção das IFRS tornaram-se uma questão de grande amplitude para as Empresas, sendo oportuno neste momento pesquisar sobre a qualidade dos serviços de auditoria analisando a capacidade técnica dos profissionais envolvidos baseado em seus julgamentos da aplicação dessas normas. Diante desse contexto tem-se a seguinte questão de pesquisa: As empresas de auditoria Big Four possuem qualidade uniforme, baseando-se no critério técnico de seu julgamento quando da adoção adequada do CPC 01 pelas companhias abertas? O objetivo principal dessa pesquisa é analisar a existência da uniformidade da qualidade nos serviços realizados pelas empresas de auditoria independentes denominadas Big Four. O estudo foi realizado pelo exame das demonstrações, notas explicativas e do julgamento evidenciado nos pareceres das auditorias independentes emitidos pelas Big Four sobre as demonstrações contábeis das companhias abertas brasileiras do setor de telecomunicações, pautado sobre a adoção da norma emitida pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), que trata sobre a Redução ao Valor Recuperável dos Ativos (CPC 01). Os resultados do estudo evidenciam a não existência de uniformidade na qualidade dos serviços de auditorias realizados pelas Big Four, e abre caminhos para novas pesquisas buscando desenvolver e aprimorar a técnica dos auditores, uma profissão importantíssima no contexto econômico do País.
Citação ABNT:
FIRMINO, J. E.; DAMASCENA, L. G.; PAULO, E. Qualidade da auditoria no Brasil: um estudo sobre a atuação das auditorias independentes denominadas Big Four. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 5, n. 3, p. 40-50, 2010.
Citação APA:
Firmino, J. E., Damascena, L. G., & Paulo, E. (2010). Qualidade da auditoria no Brasil: um estudo sobre a atuação das auditorias independentes denominadas Big Four. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 5(3), 40-50.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/33964/qualidade-da-auditoria-no-brasil--um-estudo-sobre-a-atuacao-das-auditorias-independentes-denominadas-big-four/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, Jose Elias F. de; ALMEIDA, Juan Carlos G. de. Auditoria e Earnings Management: Estudo Empírico nas empresas de capital aberto auditadas pelas Big Four e demais firmas de auditoria. In: 7o Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2007, São Paulo. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2007.

BARTH, Mary E.; LANDSMAN, Wayne R.; LANG, Mark H. International accounting standards and accounting quality. Journal of Accounting Research. v. 46. 2008. p.467-498.

BOYNTON, William C.; JOHNSON, Raymond N.; KELL, Walter G.. Auditoria. São Paulo: Atlas, 2002.

BRASIL. Lei nº 11.638. Brasília, 2007.

BRASIL. Lei nº 6.404. Brasília, 1976.

CARLIN, Tyrone M.; FINCH, Nigel; LAILI, Nur Hidayah. Questioning the Big 4 Audit Quality Assumption: New Evidence from Malaysia (October 8, 2008). MGSM Working Paper No. 2008-9. Available at SSRN: Acesso em: 30 nov. 2009.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Cientifica. 5 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CHRISTENSEN, Hans B.; LEE, Edward; WALKER, Martin. Incentives or standards: What determines accounting quality changes around IFRS adoption. Working Papers. Manchester Business School, mar., 2008. Disponível em: . Acesso em: 13/03/2009.

COMISSÃO VALORES MOBILIARIOS (CVM). Ofício-Circular/CVM/SNC nº 12. Brasília: CVM, 2009.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). CPC nº 01. Brasília: CPC, 2009.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. CPC Estrutura para a Preparação e a Apresentação das Demonstrações Contábeis . Brasília: CPC, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HENDRIKSEN, Eldon S.; BREDA, Michael F. Van. Teoria da Contabilidade. 5a ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HUNG, M.; SUBRAMANYAM, K. Financial statements effects of adopting international accounting standard: The case of Germany. Review of Accounting Studies. v. 12. n. 4. 2007. p.623-657.

LAM, S.; CHANG, S. "Auditor Service Quality and Auditor Size: Evidence from Initial Public Offerings in Singapore", Journal of International Accounting, Auditing & Taxation, 3(1): 103-114, 1994.

LOPES, Alexandro B. A informação contábil e o mercado de capitais. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

LOPES, Alexandro B; MARTINS, Eliseu. Teoria da Contabilidade: uma nova abordagem. São Paulo: Atlas, 2005.

MARTINEZ, Antonio Lobo. Quando o conselho de administração e a auditoria evitam earnings management? Evidências empíricas para empresas brasileiras. In: 8º Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2008, São Paulo. Anais doCongresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2008.

MARTINS, Eliseu. Entrevista: País está mais bem preparado para a mudança. Valor Online. São Paulo: 2008. Disponível em: Acesso em: 20 nov. 2009.

NIYAMA, Jorge K. Contabilidade internacional. São Paulo: Atlas, 2005.

SIEGEL, G.; RAMANAUSKAS-MARCONI, H. Behavioral Accounting. Cincinnati: SouthWestern Publishing, 1989.

SUNDER, Shyam. Theory of accounting and control. Cincinnati: South-Western Publishing, 1997.