Valores no trabalho de gestores de organizações de saúde: um estudo em um Hospital Público Federal Outros Idiomas

ID:
34008
Resumo:
O presente artigo objetiva a identificar os valores mais evidenciados pelos gestores de saúde de um Hospital Público Federal. Como aporte teórico utilizou-se o referencial sobre gestores e as organizações hospitalares, além das teorias referentes a valores e valores no trabalho. Quanto ao método, utilizou-se uma pesquisa do tipo survey, de natureza quantitativa. O instrumento de pesquisa foi um questionário contendo dois blocos; o primeiro sobre o perfil dos entrevistados e o segundo bloco originário da Escala de Valores no Trabalho (EVT) de Porto e Tamayo (2008). Como principais resultados verificou-se que os gestores pesquisados indicaram, com o valor de 97,70 %, em primeiro lugar ser feliz com o trabalho que realizam como o valor mais importante dos 45 valores pertencentes a EVT, seguido por ter prazer no que faz e a satisfação pessoal, com 96,5% e 95,4%, respectivamente. Cabe salientar que, entre os construtos pesquisados, destacou-se o bom relacionamento com colegas de trabalho e o auxílio aos colegas de trabalho como quarto e quinto lugares respectivamente, com 95,4% das respostas predominantes.
Citação ABNT:
POZZOBOM, J.; MADRUGA, L. R. R. G.; ÁVILA, L. V.; BEURON, T. A. Valores no trabalho de gestores de organizações de saúde: um estudo em um Hospital Público Federal . Revista Gestão & Tecnologia, v. 14, n. 3, p. 225-248, 2014.
Citação APA:
Pozzobom, J., Madruga, L. R. R. G., ávila, L. V., & Beuron, T. A. (2014). Valores no trabalho de gestores de organizações de saúde: um estudo em um Hospital Público Federal . Revista Gestão & Tecnologia, 14(3), 225-248.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/34008/valores-no-trabalho-de-gestores-de-organizacoes-de-saude--um-estudo-em-um-hospital-publico-federal--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Albornoz, S. (2002). O que é trabalho. São Paulo: Brasiliense.

Assêncio, E. (2008). Contribuição ao estudo da influência dos valores no desempenho empresarial. Dissertação de Mestrado, UC Santos, Santos, SP, Brasil. Disponível:< www.aedb.br >.

Azevedo, A. C. (1993). Indicadores de Qualidade e Produtividade em Serviços de Saúde. Revista Indicadores da Qualidade e Produtividade, 1(1), 49-54.

Babbie, E. (2001). Métodos de pesquisa de Survey. Belo Horizonte: UFMG.

Bisqueira, R.; Sarriera, J. C.; & Martínez, F. (2004). Introdução à estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Porto Alegre: Artmed.

Bulamarqui, P.; & Keller, A. (2004). Organização hospitalares e o corpo clínico: gerenciando custo ou saúde? Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, Curitiba, PR, Brasil, 28.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2a ed. Porto Alegre: Artmed.

Fleury, M. T. L. (2002). As Pessoas na Organização. São Paulo: Gente.

Hair, J. F. Jr; Wolfinbarger, M.; Ortinau, D. J.; & Bush, R. P. (2010). Fundamentos de pesquisa de marketing. Porto Alegre: Bookman.

Holanda, A. B.(2004). Novo Dicionário Aurélio. Curitiba: Positivo.

Kalleberg, A. L. (1997). Work values and job rewards: a theory of job satisfaction. Am. Sociol. Rev., 42, 124-143.

Lima, G. E. (1998). Estrutura organizacional do hospital moderno. Revista de Administração de Empresas, 38(1), 80-90.

Loch, C. L.; & Correia, G. S. (2004). A flexibilidade do trabalho e da gestão de pessoas limitadas pela racionalidade instrumental. Revista de Ciências da Administração, 6 (12). Recuperado em 22 julho,2010, de .

Malhotra, N. K. (2006). Pesquisa de marketing: Uma orientação aplicada. 4a ed. São Paulo: Bookman.

Mendes, A. M.; & Tamayo, A. (2001). Valores organizacionais e prazer-sofrimento no trabalho. PsicoUSF, 6(1), 39-46.

Milton J. Rokeach. (1968). A Theory of Organization and Change Within Value Attitude Systems. Journal of Social Issues, v. 24, 13-22.

Porto, J. B.; & Tamayo, A. (2008). Valores do trabalho. In M. M. M. Siqueira (Ed.), Medidas do comportamento organizacional. Porto Alegre: Artmed.

Sagie A.; & Elizur, D. (1996). The Structural of Personal Values: A Conical Representation of Multiple Life Areas. Journal of Organizational Behavior, v. 17, 573-586.

Schwartz, S. H. (1992). Universals in the context and structure of values: theoretical advances and empirical tests in 20 countries. In M. Zanna (Org.), Advances in experimental social psychology. New York: Academic Press.

Schwartz, S. H. (1994). Are there universal aspects in the structure and contents of human values? Journal of Social Issues, v. 50, 19-45.

Schwartz, S. H. (1999). Cultural value differences: Some implications for work. Applied Psychology: An International Review, v. 48, 23-47.

Seixas, M. A. S.; & Melo, H. T. (2004). Desafios do administrador hospitalar. Revista Gestão e Planejamento, 5 (9).

Siqueira, M. M. (Org) et al. (2008). Medidas do Comportamento Organizacional: Ferramentas de diagnostico de gestão. Porto Alegre: Artemed.

Tamayo, A.; & Porto, B. J. (2003). Escala de Valores Relativos ao Trabalho. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(2), 145-152.

Villena, D. J. S. (2006). As contribuições da Economia de Comunhão para o estudo da influência de valores no ambiente organizacional. Dissertação de Mestrado, UFES, Vitória, ES, Brasil. Disponível: .