Mapeando a produção científica sobre economia criativa em periódicos nacionais e internacionais de 2000 a 2013 Outros Idiomas

ID:
34408
Resumo:
Os estudos sobre a economia criativa tem crescido significativamente em muitas economias desenvolvidas e em desenvolvimento e pesquisas sobre essa temática estão cada vez mais institucionalizadas. Este estudo pretende descrever e analisar a produção cientifica que aborda esta temática em periódicos nacionais e internacionais publicados no período entre 2000 a 2013. Especificamente pretende apontar as principais temáticas e teorias abordadas nos estudos nacionais e internacionais e analisar as abordagens metodológicas adotadas nesses estudos. A amostra foi constituída de noventa e uma publicações obtida pela busca no portal de Periódicos Capes. Constatou-se que as publicações nacionais são mais voltadas para a indústria cultural, tem como tema central a educação, a abordagem teórica mais adotada é a Teoria Crítica e são, essencialmente, teóricos. Por sua vez; as publicações internacionais são direcionadas para a indústria criativa, tem como tema central a gestão dessas indústrias, a abordagem teórica mais utilizada é a Teoria do Capital Criativo e são, em sua maioria, teórico-empíricos. Destaca-se o aumento no número de publicações ao longo dos anos, a diversidade de temáticas abordadas e o baixo índice de artigos quantitativos. Com base em conclusões, limitações e implicações encontradas nas publicações analisadas, são apresentadas sugestões para futuros estudos, de modo a contribuir para a consolidação do campo de estudo.
Citação ABNT:
ALMEIDA, A. S.; TEIXEIRA, R. M.; LUFT, M. C. M. S. Mapeando a produção científica sobre economia criativa em periódicos nacionais e internacionais de 2000 a 2013 . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 8, n. 4, p. 23-47, 2014.
Citação APA:
Almeida, A. S., Teixeira, R. M., & Luft, M. C. M. S. (2014). Mapeando a produção científica sobre economia criativa em periódicos nacionais e internacionais de 2000 a 2013 . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 8(4), 23-47.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/34408/mapeando-a-producao-cientifica-sobre-economia-criativa-em-periodicos-nacionais-e-internacionais-de-2000-a-2013--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, Elder P. Maia Alves; Souza, Carlos Alexsandro de Carvalho Souza. A economia criativa no Brasil: o capitalismo cultural brasileiro contemporâneo. Latitude, vol.6, n. 2, p.119 -173, 2012

ARAÚJO, Carlos Alberto. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun. 2006

BORGES, J. D. Competitividade criativa. GV Executivo, v. 4, n. 3, p. 86-90, ago./out., 2005.

BRASIL. Plano da Secretaria da Economia Criativa: políticas, diretrizes e ações, 2011 – 2014. Brasília, Ministério da Cultura, 2011.

CANIATO, A. M. P.; Rodrigues, S. M. A construção psicossocial da competição: o engano na cumplicidade de uma falsa vida. Psicologia & Sociedade, 24(1), 23-35, 2012

CAPES, Portal Periódicos. http://www.periodicos.capes.gov.br/. Acessado em: Fevereiro de2014.

CARVALHO, Aline Torres Sousa; Rezende, Guilherme Jorge de. A Espetacularização da Figura de Chico Xavier e a Doutrina Espírita. Intercom – RBCC São Paulo, v. 36, n. 2, p. 105-134, jul./dez. 2013

COSTA, Jean Henrique. A atualidade da discussão sobre a Indústria Cultural em Theodor W. Adorno. Trans/Form/Ação, Marília, v. 36, n. 2, p. 135-154, Maio/Ago., 2013

DCMS, Department of Culture, Media and Sport. Creative Industries Mapping Document 2001, London. 2001.

FIRJAN, Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil. Outubro de 2012.

KNEIPP, Jordana Marques; Luciana Aparecida Barbieri da Rosa; Roberto Schoproni Bichueti; Ranice Höehr Pedrazzi Pozzer; Vitor Francisco Schuch Júnior. Análise bibliométrica da produção científica da revista de Adminstração da UFSM: em busca de novas perspectivas e desafios. Rev. Adm. UFSM, v. 6, n. 2, p. 443-458, Jun. 2013

KONG, Lily. From precarious labor to precarious economy? Planning for precarity in Singapore’s creative economy. National University of Singapore, Singapore. City, Culture and Society, v. 2, p. 55-64. 2011

MASCENA, Keysa Manuela Cunha de; Figueiredo, Fernanda Cruz; Boaventura, João Maurício Gama. Clusters e APL’S: Análise Bibliométrica Das Publicações Nacionais No Período De 2000 A 2011. RAE, São Paulo, v. 53 , n. 5 , 2013 , p. 454-468.

MERIGHI, Miriam Ap. Barbosa; Gonçalves, Roselane; Ferreira, Fernanda Cristina. Estudo bibliométrico sobre dissertações e teses em enfermagem com abordagem fenomenológica: tendência e perspectivas. Rev Latino-am Enfermagem, 15 (4). 2007

MUNAKATA, Kazumi. O livro didático como mercadoria. Pro-Posições, v. 23, n. 3, p. 51-66. 2012

PIRES, Vladimir Sibylla; ALBAGLI, Sarita. Estratégias empresariais, dinâmicas informacionais e identidade de marca na economia criativa. Perspectivas em Ciência da Informação, v.17, n. 2, p.109-122, abr./jun. 2012.

REIS, Ana Carla Fonseca. Economia criativa como estratégia de desenvolvimento : uma visão dos países em desenvolvimento / Organização: Ana Carla Fonseca Reis. São Paulo: Itaú Cultural, 2008.

SANTOS-DUISENBERG, Edna dos. Secretaria da Economia Criativa no Brasil. In: BRASIL. Plano da Secretaria da Economia Criativa: políticas, diretrizes e ações, 2011 – 2014. Brasília, Ministério da Cultura, 2011.

SILVA, Francisco Raniere Moreira da. As relações entre cultura e desenvolvimento e a economia criativa: Reflexões sobre a realidade brasileira. Revista NAU Social, v. 3, n. 4, p. 111-121, maio/out. 2012.

UNCTAD, Relatório de Economia Criativa 2010 – Economia Criativa: Uma Opção de Desenvolvimento Viável. São Paulo, 2010.

ZARDO, Julia Bloomfield Gama; MELLO, Ruth Espínola Soriano de. Rio Criativo – Incubadora de Empreendimentos da Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro: Análise Crítica da Universidade Empreendedora Executora de Política Pública. Sistemas & Gestão, p. 206-221, 2012.