Indicadores de desempenho como ferramenta de alinhamento estratégico – A experiência do Senac Paraná Outros Idiomas

ID:
34559
Citação ABNT:
VALENTE, S. A.Indicadores de desempenho como ferramenta de alinhamento estratégico – A experiência do Senac Paraná. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 13, n. 4, p. 33-43, 2014.
Citação APA:
Valente, S. A.(2014). Indicadores de desempenho como ferramenta de alinhamento estratégico – A experiência do Senac Paraná. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 13(4), 33-43.
DOI:
10.5585/riae.v1 3 i 4 . 2 109
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/34559/indicadores-de-desempenho-como-ferramenta-de-alinhamento-estrategico-----a-experiencia-do-senac-parana/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Achwarz, F.; Amiden, M. A. M.; Pinho, L. C. (2005). Alinhamento e desdobramento da estratégia. In: Kallás, D.; Coutinho, A. R. Gestão da estratégia: experiências e lições de empresas brasileiras. Rio de Janeiro: Elsevier.

Caiuby, R. D.; Luciano, D. M. (2005). Vinculando estratégia aos processos operacionais. In: Kallás, D.; Coutinho, A. R. Gestão da estratégia: experiências e lições de empresas brasileiras. Rio de Janeiro: Elsevier.

Costa, A. P. P. (2006). Balanced Scorecard. Conceitos e guia de implementação. São Paulo: Atlas.

Damke, E. J.; Silva, E. D.; Walter, S. A. (2011). Sistemas de controle e alinhamento estratégico: proposição de indicadores. Revista Eletrônica Estratégia & Negócios, v. 4, n. 1, p. 65-87.

Fernandes, B. H. R.; Berton, L. H. (2004). Administração estratégica. Da competência empreendedora à avaliação de desempenho. Curitiba: Positivo.

Gaio, J. (2012). Método de avaliação do alinhamento estratégico entre diferentes níveis organizacionais em instituição educacional religiosa, sem fins lucrativos. Foco na qualidade dos serviços prestados no ensino superior. Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Paraná.

Herman, R. D.; Renz, D. O. (1999). Theses on nonprofit organization effectiveness. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 28, n. 2, p. 107-126.

Johnston, R.; Pongatichat, P. (2008). Managing the tension between performance measurement and strategy: coping strategies. International Journal of Operations & Production Management, v. 28, n. 10, p. 941-967.

Kaplan, R. S.; Norton, D. P. (1997). A estratégia em ação. Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Campus.

Kaplan, R. S.; Norton, D. P. (2001). Organização orientada para a estratégia – The StrategicFocused Organization. Rio de Janeiro: Campus.

Lima, C. R. M.; Soares, T. C.; Lima, M. A. (2011). Balanced scorecard em instituições de ensino superior: uma análise das perspectivas. Revista Eletrônica Estratégia & Negócios, v. 4, n. 1, p.183-205.

Manzione, S. (2006). Marketing para o terceiro setor. São Paulo: Novatec.

Müller, C. J.; Cortimiglia, M. N.; Gabrieli, L. V.; Kappel, A. M. (2003). Gerenciamento de processos e indicadores em educação à distância. In: Encontro Nacional De Engenharia De Produção, 23, 2003, Ouro Preto. São Paulo: ENEGEP.

Niven, P. R. (2003). Balanced Scorecard: Step-by-Step for Government and Nonprofit Agencies. John Wiley & Sons: New Jersey.

Walter, S. A.; Tontini, G.; Andrade, K. A.; Bach, T. M. (2014). Qualidade percebida de stakeholders como estratégia de melhoria dos serviços. Revista Eletrônica Estratégia & Negócios, v. 7, n. 1, p. 1-28.

Wunder, T. (2005). New strategy alignment in multinational corporations. In: Strategic Finance, Montvale: Institute of Management Accountants. v. 87, n. 5.