A hospitalidade e a gestão de restaurantes: evidências de um estudo múltiplo de caso em São Paulo, SP, Brasil Outros Idiomas

ID:
34974
Resumo:
O setor dos serviços de alimentação mudou significativamente nas últimas três décadas. O estilo familiar que antes imperava deu lugar a empreendimentos profissionalizados. Este artigo busca compreender esta evolução a partir da relação entre os conceitos da gestão de restaurantes e a hospitalidade. Para atender este objetivo elaborou-se um estudo múltiplo de caso envolvendo quatro restaurantes de diferentes posicionamentos, em São Paulo/SP, todos reconhecidos por seu sucesso há mais de quinze anos. O estudo da identidade dos estabelecimentos possibilita a concepção de processos operacionais e sua relação com a hospitalidade. Os resultados do estudo sugerem que a gestão da hospitalidade nos restaurantes pesquisados é prioritária para seus dirigentes, que atestam sua importância na complexa gestão do negócio e fazem-no eficientemente. Conclui-se que um plano inicial de ação e o posicionamento temático são, assim como o plano de negócio se procedimentos financeiros,indispensáveis para o sucesso e perenidade destes empreendimentos.
Citação ABNT:
OLIVEIRA, M. S.; MORETTI, S. L. A.; POZO, H. A hospitalidade e a gestão de restaurantes: evidências de um estudo múltiplo de caso em São Paulo, SP, Brasil. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, v. 7, n. 1, p. 20-33, 2015.
Citação APA:
Oliveira, M. S., Moretti, S. L. A., & Pozo, H. (2015). A hospitalidade e a gestão de restaurantes: evidências de um estudo múltiplo de caso em São Paulo, SP, Brasil. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, 7(1), 20-33.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/34974/a-hospitalidade-e-a-gestao-de-restaurantes--evidencias-de-um-estudo-multiplo-de-caso-em-sao-paulo--sp--brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRASEL - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (2014). Disponível em http://www.abrasel.com.br. Acesso em 30 abril de 2014.

Brillat-Savarin, J. A. (1995).A fisiologia do gosto. São Paulo: Companhia das Letras.

Camargo, L. O. (2003). Os domínios da hospitalidade. In: Dencker, A; Bueno, M. Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Camargo, L. O. (2004). Hospitalidade. Coleção ABC de Turismo. São Paulo: Aleph

Chon, N. K. S.; Sparrowe, R. T. (2003). Hospitalidade:conceitos e aplicações. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Cohen, E.; Avieli, N. (2004). Food in tourism: attraction and impediment. Annals of Tourism Research, 31(4), 755-778.

Cui, G.; Chan, T.; Joy, A. (2008). Consumers attitudes toward marketing: A cross-cultural study of China and Canada. Journal of International Consumer Marketing, 20(3/4), 81-93.

Del Corso, J. M.; Petraski, S. J.; Silva, W. V.; Taffarel, M. (2014). Gestão estratégica de recursos humanos: identificando o processo de alinhamento estratégico. Tourism & Management Studies, 10(Spec. Issue), 49-57.

Dencker A.; Bueno, M. (2003). Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Eddleston, K.; Kellermanns, F.; Zellweger, T. (2012). Exploring the entrepreneurial behavior of family firms: does the stewardship perspective explain differences? Entrepreneurship Theory and Practice, 36(2), 347-367.

Fernandes, P.; Correia, L. (2013). Atitudes do consumidor em relação às práticas do marketing em Portugal. Tourism & Management Studies, 9(2), 86-92

Fonseca, M. T. (2000). Tecnologias gerenciais de restaurante. São Paulo. Senac.

Hernandez, F. A.; Peñalver A. J. B. (2012). La administración inteligente como factor para reducir el fracaso empresarial. Tourism & Management Studies, n. 8.

Kotler, P.; Keller, K. (2012.). Administração de marketing: Análise, planejamento eimplantação. São Paulo: Atlas.

Machado, F. C. (2014). Casas de Pasto: presença na proto-história do turismo no Rio Grande do Sul. Revista Rosa dos Ventos, 6(2), 307-320.

Maricato, P. (2001). Como montar e administrar bares e restaurantes. São Paulo: Senac.

Mendes, M. C.; Pires, P. S.; Krause, R. W. (2014). Relevância da gastronomia em restaurantes temáticos: um estudo de caso em Balneário Camboriú, SC. Revista Rosa dos Ventos, 6(1), 66-75.

Merriam, S. B. (1988). Case study research in education: a qualitative approach. San Francisco: Jossey-Bass.

Meyer, D. (2007). Hospitalidade e negócios. São Paulo: Novo Conceito.

Miranda, E. C. P.; Rejowski, M. (2013). Turismo e Hospitalidade no cenário da comunicação científica: avaliação de periódicos científicos eletrônicos. Revista Rosa dos Ventos, 5(4), 559-576.

Montgomery, C. A.; Porter, M. E. (1998). Estratégia: a busca da vantagem competitiva. Rio de janeiro: Campus.

Moysés Filho, J. E.; Rodrigues, A. L; Moretti, S. L. A. (2011). Gestão social e ambiental em pequenas e médias empresas: Influência e poder dos stakeholders. REAd – Revista Eletrônica de Administração, 17(1), 204-236.

Oliveira, J.; Silva, W; Araújo, E. (2013). Longevidade empresarial e características empreendedoras: análise das MPE’s da microrregião de Teófilo Otoni, Minas Gerais, Brasil. Tourism & Management Studies, 9(2), 107-117.

Parsa, H. G.; Self, J. T.; Njite D; King T. (2005). Why restaurants fail. Cornell: Cornell Hotel and restaurant Administration Quaterly. Cornell University, 46(3), 304-322.

Paula, N. M. (2002). Introdução ao conceito de hospitalidade em serviços de alimentação. In: Dias, Célia M.M. (org.). Hospitalidade: Reflexões e perspectivas. São Paulo: Manole.

Paula, N. M. (2004). Planejamento e gestão da hospitalidade em restaurantes. In Dencker, A. (org.) Planejamento e Gestão em Turismo e Hospitalidade. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Porter, M. E. (1989). Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus.

Powers, T.; Barrows, C. (2004). Administração no setor de hospitalidade: turismo, hotelaria e restaurante. São Paulo: Atlas.

Rego, R. A.; Silva, A.; Edson, A. (2003). A atmosfera das cidades e a hospitalidade. In: Dencker, A.F.M; Bueno, M.S. (Orgs.). Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Selltiz, C.; Wrightsman, N. L.; Cook, S. (1987). Métodos de pesquisa nas relações sociais, 1, São Paulo, EPU

Stake, R. E. (2000). Case studies. In: Denzin, N. K; Lincoln, Y. S. (Eds.). Handbook of qualitative research. Thousand Oaks: Sage. pp. 435-454.

Taborda, C.; Estevão, C.; Nunes, S. (2013). A gestão da inovação nas PME's da Beira Interior: as perspectivas dos gestores. Tourism & Management Studies, 9(2), 124‐129.

Telfer, E. (2004). A filosofia da hospitabilidade. In Lashley C; Morrison (org.), A. Em busca da Hospitalidade: perspectivas para um mundo globalizado. Barueri: Manole.

Wada, E. K. (2003). Reflexões de uma aprendiz da hospitalidade.In: Dencker, A; Bueno, M. (orgs.). Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Walker, J.; Lundeberg, D. E. (2003). Restaurante:conceito e operação. Porto Alegre: Bookman.

Williams, A. (2004). O consumo da hospitalidade: o que aprender do pós-modernismo? In: Lashley & Morrison (org.). Em busca da hospitalidade: perspectivas para um mundo globalizado. Barueri: Manole

Wood, T. N.; Muñoz, L. C. (2006). ‘No rules, just right’ or is it? The roled of themed restaurants as cultural embassadors. Tourism and Hospitality Research, 7(3/4), 242-255.

Yin, R. K. (1993). Applications of case study research. Thousand Oaks, California: Sage Publications.

Yin, R. K. (2002). Estudo de Caso:planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.

Abbade, E.; Zanini R.; Souza, A. (2012). Orientação para aprendizagem, orientação para mercado e desempenho organizacional: evidências empíricas. RAC Revista de Administração Contemporânea, 16(1), 118‐136.

Gilinsky Jr, A.; Lopez, R.; Santini, C.; Eyler, R. (2010). Big bets, small wins?Entrepreneurial behavior and ROI. International Journal of Wine Business Research, 22(3), 238-250.