Impacto das dimensões culturais na confiança online: um estudo cross-cultural Outros Idiomas

ID:
35131
Resumo:
Estudos sugerem que a confiança online nasce da percepção de antecedentes, como a habilidade do varejista online, sua benevolência, a aparente segurança do website, selos de órgãos reguladores externos e a qualidade da competência técnica do sistema de vendas. Pode haver diferença na percepção destes antecedentes entre consumidores de diferentes países, influenciados pela cultura. Assim, este estudo objetiva investigar o impacto das dimensões culturais na relação com os antecedentes da confiança online por parte dos consumidores brasileiros e canadenses. Propõe-se que as dimensões culturais, em especial individualismo versus coletivismo e aversão à incerteza, influenciam o desenvolvimento das relações de confiança entre consumidores e varejistas online. Pautada no referencial teórico de Hofstede (2001) e outros autores (JARVENPAA; TRACKTINSKY, 1999; LEE; TURBAN, 2001; CHOI; GEISTFELD, 2004; AN; KIM, 2008), a pesquisa de campo foi realizada em Fortaleza (Brasil) e em Montreal (Canadá). Realizou-se análise descritiva, bem como a montagem de um modelo de Regressão Linear Múltiplo com a confiança online como variável dependente. Os resultados apontaram rejeição dos pressupostos sobre a apreciação do público brasileiro por características de benevolência dos vendedores online em comparação com o público canadense, assim como rejeições da pressuposição de apreciação dos canadenses sobre os brasileiros relativos à percepção da competência técnica dos sistemas de vendas e das garantias aferidas por terceiros em lojas online. Os resultados sugeriram, ainda, a afirmação dos pressupostos feitos acerca da predileção dos canadenses sobre os brasileiros em relação à percepção das habilidades do varejista online, assim como a afirmação dos pressupostos de que brasileiros atribuem maior importância à indicativos de segurança dos sistemas online, em comparação com o público canadense. É apontado que a cultura afeta a percepção de consumidores coletivistas e avessos a incertezas acerca da segurança do sistema de vendas, enquanto age sobre a percepção de consumidores individualistas e com baixa aversão à incerteza em relação às habilidades individuais de varejistas online. Recomenda-se a empresas focadas em países coletivistas ou com alta aversão à incerteza atenção à evidenciação de fatores que garantam uma experiência de compra segura, bem como normas, regulamentos e demonstrativos que transmitam ao consumidor um sentimento de segurança e qualidade enquanto navega no ambiente online de suas lojas. Por outro lado, websites de varejo que busquem cativar a atenção de consumidores de culturas individualistas, e com baixa aversão à incerteza, devem focar-se em destacar seus esforços individuais perante a concorrência, agregando valor que os diferencie dos demais, transmitindo aos potenciais clientes ser capaz de atender às suas necessidades e agir com competência e eficiência.
Citação ABNT:
ROCHA, D. C.; FERRAZ, S. B.; REINALDO, H. O. A. Impacto das dimensões culturais na confiança online: um estudo cross-cultural . Revista de Administração da Unimep, v. 13, n. 1, p. 117-140, 2015.
Citação APA:
Rocha, D. C., Ferraz, S. B., & Reinaldo, H. O. A. (2015). Impacto das dimensões culturais na confiança online: um estudo cross-cultural . Revista de Administração da Unimep, 13(1), 117-140.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/35131/impacto-das-dimensoes-culturais-na-confianca-online--um-estudo-cross-cultural-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBERTIN, L. A. Comércio Eletrônico. 5. Ed.São Paulo: Atlas, 2004

AN, D.; KIM, S. Effects of national culture on the development of consumer trust in online shopping, Seoul Journal of Business, v.14, No. 1, 2008.

BHATTACHERJEE, A. Individual Trust in Online Firms: Scale Development and Initial Test. Journal of Management Information Systems, 211-241, 2002.

BLOEMER, J.; DEKKER, D. Effects of Personal Values on Customer Satisfaction: an Empirical test of the Value Percept Disparity Model and the Value Disconfirmation Model. International Journal of Bank Marketing. v. 33, pp. 30-45 Yotkshire, 2007.

CHOI, J.; GEISTFELD, L.V. A cross-cultural investigation of consumer e-shopping adoption. Journal of Economic Psychology, 25(6): 821-38, 2004.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P.S. Métodos de Pesquisa em Administração. São Paulo: 2010.

DAVIDOV, E.; SCHMIDT, P.; SCHWARTZ, S. Bringing Values Back In: The Adequacy of the European Social Survey to Measure Values in 20 countries. Public Opinion Quarterly, 72(3), 420-445, 2008.

DAWAR, N.; PARKER, P.; PRICE, L. J. A cross-cultural study of interpersonal information exchange. Journal of International Business Studies, 27, 497 – 516, 1996.

DE MOOIJ, M. Consumer Behavior and Culture: Consequences for Global Marketing and Advertising. Thousand Oaks, CA: Sage, 2005.

DE PIERE, C. C. L. S. Atitude empreendedora e cultura: um estudo em organizações brasileiras. Dissertação (Mestrado de Gestão Social e Trabalho) – Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação (FACE). Universidade de Brasília (UnB), Brasília/DF, 2005.

DONEY, P. M.; CANNON, J. P.; MULLEN, M. Understanding the Influence of National Culture on the Development of Trust. The Academy of Management Review, vol 23, N0. 3, 601–620, 1998.

FERREIRA, M. C.; MENDES, A. M. Contexto de trabalho. In SIQUEIRA, M. M. M (Org). Medidas de Comportamento Organizacional, pp, 111-123. Porto Alegre. Artmed, 2008.

GEFEN, D. E-Commerce: The Role of Familiarity and Trust, Omega, 2000.

GRABNER-KRÄUTER, S.; MÖDRITSCHER, G.; Alternative Approaches Toward, Measuring CRM Performance. Research Conference on Relationship Marketing and Customer Relationship Management, 6 ed. Atlanta, USA, 2002.

HILAL, Q. V. G. Organizational culture dimensions: a Brazilian case. Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Atibaia: Em ANPAD, 2003. p. 1-16, 2003.

HOFFMAN, D. L.; Novak T. P. Marketing In hypermedia computermediated environments: Conceptual foundations, London: McGraw-Hill, 1995.

HOFSTEDE, G. J. Culturas e organizações: compreender a nossa programação mental. Lisboa: Silabo, 1998.

HOFSTEDE, G. J. Culture and organizations: Software of the mind, London: McGrawHill, 1991, 1994.

HOFSTEDE, G. J. Culture’s Consequences. 2 ed. Sage. Thousand Oaks, CA, 2001.

HOFSTEDE, G. J. Culture’s consequences: comparing values, behaviors, institutions, and organizations across nations (2nd ed). Thousand Oaks, CA: Sage, 2000.

HOFSTEDE, G. J. Dimensions Do Not Exist: a replay to Brendan McSweeney. Human Relations, 55, 1355-1361, 2010.

HOFSTEDE, G. J.; HILAL, A. V. G.; MALVEZZI, S. Comparing Regional Cultures Within A Country: Lessons from Brazil. Journal of Cross-Cultural Psychology, v. 41, n. 3, pp. 336-351, 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

INSTITUT DE LA STATISTIQUE DU QUEBÉC. Disponível em: http://www.stat.gouv.qc.ca/. Acesso em : 02 de julho de 2012.

INTERNET AND CONVENTIONAL RETAILERS, 2000. Disponível em: http://ecommerce.mit.edu/research/papers.html>, Acesso em: 1 de julho de 2012.

INTERNET WORLD STATS, 2011. Disponível em: http://www.Internetworldstats.com. Acesso em: 18 de julho 2012.

JANDT, F. E. An Introduction to Intercultural Communication. Thousand Oaks, California, United States of America. Sage Publications, 2010.

JAVENPAA, S. L.; TODD, P. A. Consumer Reactions To Electronic Shopping On The World Wide Web. International Journal of Electronic Commerce, 1997.

JAVENPAA, S. L.; TRACTINSKY, L. Consumer Trust In An Internet Store: A CrossCultural Validation. Journal of Computer-Mediated Communication, 5(2), 1999.

KAHLE, L. R. Social Values and Social Change. Adaptation to life in America. New York, Praeger, 1983.

KALE, S. H.; MCINTYRE, R. P, Distribution channel relationships in diverse cultures. International Marketing Review, 8, 31-45, 1991.

KOLLOCK, P. The Production of Trust in Online Markets. Advances in Group Processes (Vol. 16), Greenwich, CT: JAI Press, 1999.

LEE, M. K.O.; TURBAN, E. A Trust Model for Consumer Internet Shopping. International Journal of Electronic Commerce, September, vol. 6, no. 1, pp. 75-91, 2001.

LIM, K. H.; LEUNG, K.; SIA, C. L.; LEE, M. K. O. Is e-Commerce Boundary-Less? Effects of Individualism-Collectivism and Uncertainty Avoidance on Internet Shopping. Journal of International Business Studies, Vol. 35. No. 7, 2004.

LIM, K. H.; SIA, C. L.; LEE, M. K. O.; BENBASAT, I. How Do I Trust You Online, and If So, Will I Buy? An Empirical Study on Designing Web Contents to Develop Online Trust, Journal of Management Information Systems (23:2), pp. 233-266, 2000.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MAYER, R.C.; DAVIS, J.H.; SCHOORMAN, F.D. An integrative model of organizational Global Strategy, Harvard Business Review Press, 2011.

MCCANN, I; RADFORD, R; Mentoring for teachers: The collaborative approach. In B.J. Cadwell and E.M. Carter (Eds.). The return of the mentor: Strategies for workplace learning (pp. 25-41). Washington, DC: Falmer Press, 1993.

MORETTIN, P.; BUSSAB, W. H. S. Cálculo: Função de uma e várias variáveis. 1ed. Atual Editora, 2003.

NOTEBERG, A, CHRISTIAANSE, E, WALLAGE, P. The Role Of Trust And Assurance Services In Electronic Channels: an exploratory study. International Conference on Information System, 1999.

SCHWARTZ, S. H. Are There Universal Aspects In The Structure And Contents Of Human Values? Journal of Social Issues, v. 50, pp. 19-45, 1994.

SHACKLETON, V. J., ALI, A. H. Work-related values of managers: A test of the Hofstede model. Journal of Cross-Cultural Psychology, 21(1), 109-118, 1990.

SHEK, S.P.W.; SIA, C.L.; Lim, K. H. A Preliminary Assessment Of Different Trust Formation Models: the effect of third party endorsements on online shopping, International Conference on System Sciences, Maui, Hawaii, 2003.

SHETH, J. N.; GARDNER, D. M.; GARRET, D. E. Marketing Theory Evolultion and Evaluation, John Wiley & Sons, 2001.

SMITH, P. B.; DUGAN, S.; TROMPENAARS, F. National culture and the values of organizational employees: A dimensional analysis across 43 nations. Journal of crosscultural Psychology, 27, 231-264, 1996.

TAMAYO, A.; SCHWARTZ, S. H. Estrutura motivacional dos valores humanos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 9 (2), 329-348, 1993.

TRIANDIS, H. Culture and social behavior New York: McGraw-Hill, 1994.

VERGARA, S. C. Gestão de Pessoas, 3 ed. São Paulo, Atlas, 2003.

WEBER, E. U.; HSEE, C. K. Cross-cultural differences in risk perception, but cross-cultural similarities in attitude towards perceived risk. Management Science, in press, 1998.

YAMAGUCHI, S. Biased Risk Perceptions among Japanese: Illusion of Interdependence among Risk Companions, Asian Journal of Social Psychology, 1, 117-131, 1998.