Estratégia como prática e VBR: uma articulação teórica Outros Idiomas

ID:
35217
Resumo:
Este trabalho tem como objetivo apresentar uma articulação teórica sob a ótica da estratégia como prática social e da Visão Baseada em Recursos (VBR), a fim de compreender como os resultados estratégicos são construídos a partir da práxis e da interação dos praticantes. Optouse por utilizar, principalmente, os estudos de Johnson, Melin e Whittington (2003) e Jarzabkowski, Balogun e Seidl (2007) por oferecerem conteúdo relevante para o desenvolvimento da articulação teórica pretendida. A VBR foi norteada pelos estudos de Barney (1991), com ênfase em alguns conceitos relativos ao modelo VRIS. Ao longo do trabalho apresentou-se uma estrutura conceitual que pode ser tomada como ponto de partida para pesquisas sob a perspectiva prática. Articulação entre as teorias busca apresentar como a estratégia como prática pode preencher algumas lacunas a que a VBR não tem respondido a contento.
Citação ABNT:
BENTO, C. S.; MONTENEGRO, L. M. Estratégia como prática e VBR: uma articulação teórica . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 9, n. 1, p. 159-170, 2015.
Citação APA:
Bento, C. S., & Montenegro, L. M. (2015). Estratégia como prática e VBR: uma articulação teórica . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 9(1), 159-170.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/35217/estrategia-como-pratica-e-vbr--uma-articulacao-teorica-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABIB, Gustavo; BULGACOV, Sergio e AMORIM André L. M. do. A estrutura informacional no processo de decisão estratégica: estudo baseado na estratégia enquanto prática. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação. Journal of Information Systems and Technology Management, vol. 4, n. 3, 2007, p. 333-352.

AMBROSINI, V.; BOWMAN, C.; BURTON-TAYLOR, S. Inter-team coordination activities as a source of customer satisfaction. Human relations, v. 60, n. 1, p. 59–98. 2007.

BARNEY, J. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17. p. 99-120, 1991.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

CANHADA. Diego I. Dias; BULGACOV, Sérgio. Práticas sociais estratégicas e resultados acadêmicos: o doutorado em administração na USP e na UFRGS. Revista de Administração Pública (RAP), v. 45, n. 1, p. 7-32, 2011.

JARZABKOWSKI, P.; BALOGUN, J.; SEIDL, David. Strategizing: The challenges of a practice perspective. Human Relations. v. 60, n. 5, 2007.

JOHNSON, G. et. al. Strategy as practice: Research, directions and resources. Cambridge University Press, 2007. Disponível em: Acessado dia 13. Jul. 2014.

JOHNSON, G.; MELIN, L.; WHITTINGTON, R. Micro Strategy and Strategizing: Towards an Activity-Based View. Journal of Management Studies, v. 40, n.1, p. 3-22, 2003.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de Estratégia: Um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MONTENEGRO, L. M.; BULGACOV, Y. L. M. Construção de Sentidos em Práticas de um Processo Estratégico: Um Estudo de Casos Múltiplos em Duas IES do Estado do Paraná. Revista Organizações em Contexto (ROC), v. 10, n. 19, p. 245-277, 2014.

TURETA, C.; LIMA, J. B. Estratégia como Prática Social: O estrategizar em uma rede interorganizacional. Revista Administração Mackenzie (RAM), v. 12, n. 6, ed. especial. São Paulo, 2011.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal. v. 5, p. 171-180, 1984.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm: Ten years after. Strategic Management Journal. v. 16, p. 171-174, 1995.

WHITTINGTON, R. Completing the Practice Turn in Strategy Research. Organization studies, v. 27. n. 5, p. 613-634, 2006.

WHITTINGTON, R. O que é estratégia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

WHITTINGTON, R. Strategy as Practice. Long Range Planning. v. 29, n. 5, p. 731-735, 1996.