Reflexões sobre a reforma gerencial brasileira de 1995 Outros Idiomas

ID:
35956
Resumo:
Neste trabalho o autor — Ministro da Administração Federal e Reforma do Estado no primeiro Governo Cardoso (1995-98) — pergunta-se por que, nesse período, a emenda constitucional que ficou chamada de Reforma Administrativa foi aprovada, enquanto que a Reforma Tributária e a Reforma da Previdência Social não o foram. Suas respostas são que a Reforma Administrativa (a) respondia a uma demanda social real; (b) possuía objetivos claros (tornar viável a Reforma Gerencial da administração pública burocrática brasileira); (c) tinha uma concepção precisa, particularmente em relação à proposta de mudança no direito à estabilidade; (d) envolveu alianças políticas e compromissos limitados; e (e) foi o resultado de um debate nacional que terminou por persuadir a opinião pública e os altos administradores públicos.
Citação ABNT:
PEREIRA, L. C. B.Reflexões sobre a reforma gerencial brasileira de 1995. Revista do Serviço Público, v. 50, n. 4, p. 5-29, 1999.
Citação APA:
Pereira, L. C. B.(1999). Reflexões sobre a reforma gerencial brasileira de 1995. Revista do Serviço Público, 50(4), 5-29.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/35956/reflexoes-sobre-a-reforma-gerencial-brasileira-de-1995/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português