Burocracia e a revolução gerencial — a persistência da dicotomia entre política e administração Outros Idiomas

ID:
36012
Resumo:
Este ensaio trata da integração entre política e administração no contexto da chamada revolução gerencial. O texto está estruturado em cinco segmentos. Os dois primeiros delineiam uma interpretação weberiana do problema da burocracia: a dicotomização entre política e administração, tanto no nível teórico da governança contemporânea, onde propõe-se um quadro de referência analítica à integração entre política e administração, quanto no contexto da modernização da administração pública brasileira. O terceiro segmento busca caracterizar os atributos do modelo ideal de administração pública preconizado pela revolução gerencial, a partir da contraposição de outros paradigmas reconstituídos da literatura: um ortodoxo, um liberal, outro empreendedor. O quarto segmento sustenta que os modelos de administração pública preconizados pela revolução gerencial apresentam o mesmo caráter dicotomizante entre política e administração típica da burocracia. O sexto segmento ensaia algumas reflexões sobre a validade da revolução gerencial, sua contribuição para a experiência brasileira e sobre o advento de uma revolução pós-gerencial.
Citação ABNT:
MARTINS, H. F.Burocracia e a revolução gerencial — a persistência da dicotomia entre política e administração. Revista do Serviço Público, v. 48, n. 1, p. 42-78, 1997.
Citação APA:
Martins, H. F.(1997). Burocracia e a revolução gerencial — a persistência da dicotomia entre política e administração. Revista do Serviço Público, 48(1), 42-78.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/36012/burocracia-e-a-revolucao-gerencial-----a-persistencia-da-dicotomia-entre-politica-e-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português