Redes de inovação e a difusão da tecnologia solar no Brasil Outros Idiomas

ID:
36660
Resumo:
Este estudo tem como objetivo responder ao seguinte problema central de pesquisa: de que forma a gestão de relacionamentos em redes interorganizacionais da Soletrol favoreceu a criação de processos inovativos para o desenvolvimento de aquecedores solares de água como proposta de substituição ao chuveiro elétrico? Trata-se de uma pesquisa descritiva e qualitativa, por meio de um estudo de caso. O profissional-chave da Soletrol foi entrevistado para identificar e descrever as estruturas de relacionamentos interorganizacionais que resultaram em uma contribuição inovativa para a sustentabilidade ambiental. O estudo mostra os impactos ambientais da energia elétrica no Brasil, enfatizando que a redução do uso do chuveiro elétrico pode ajudar a amenizar os problemas na rede de distribuição de energia, causados pela sobrecarga deste sistema nos horários de pico, trazendo uma revisão da literatura acadêmica sobre a inovação tecnológica ambiental e as redes de inovação. Por fim, mostra a importância da gestão de relacionamentos interorganizacionais para o desenvolvimento de um produto sustentável com uso da tecnologia solar no Brasil.
Citação ABNT:
CONEJERO, M. C.; CALIA, R. C.; SAUAIA, A. C. A. Redes de inovação e a difusão da tecnologia solar no Brasil . Revista de Administração e Inovação, v. 12, n. 2, p. 90-109, 2015.
Citação APA:
Conejero, M. C., Calia, R. C., & Sauaia, A. C. A. (2015). Redes de inovação e a difusão da tecnologia solar no Brasil . Revista de Administração e Inovação, 12(2), 90-109.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/36660/redes-de-inovacao-e-a-difusao-da-tecnologia-solar-no-brasil-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL, 2011) – Disponível em: http://www.aneel.gov.br/biblioteca/downloads/livros/Relatorio_Aneel_2011.pdf [Acesso em 02 de Julho de 2013].

AHUJA, G. Collaboration Networks, Structural Holes, and Innovation: A Longitudinal Study. Administrative Science Quarterly, v. 45, pp. 425-455, 2000.

AMATO NETO, J. Redes de Cooperação Produtiva e Clusters Regionais: Oportunidades para as Pequenas e Médias Empresas. São Paulo: Atlas, 2000.

Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA, 2013) – Disponível em: http://www.dasolabrava.org.br/informacoes/beneficios-do-aquecimento-solar/ [Acesso em 03 de Julho de 2013]. Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL, 2011) – Disponível em: http://www.aneel.gov.br/biblioteca/downloads/livros/Relatorio_Aneel_2011.pdf [Acesso em 02 de Julho de 2013].

AYUSO, S.; ANGEL, M.; RICART, R.; RICART, J.E. Responsible competitiveness at the ‘‘micro’’ level of the firm using stakeholder dialogue as a source for new ideas: a dynamic capability underlying sustainable innovation. Corporate Governance. Vol. 6 No. 4, pp. 475-490, Q Emerald Group Publishing Limited, 2006.

BOMMEL, H.W.M.V. A Conceptual Framework for Analyzing Sustainability Strategies in Industrial Supply Networks from an Innovation Perspective. Journal of Cleaner Production, v.19 (2011), pp.895904, 2011.

CARVALHO, M.M.; TÁLAMO, J.R. Redes de Cooperação com Foco em Inovação: um Estudo Exploratório. Gestão & Produção, v.17, n.4, UFSCAR, 2010.

CHEN, Y. S. et al. The influence of green innovation performance on corporate advantage in Taiwan. Journal of Business Ethics, n. 67, p. 331-339, Springer 2006.

CLARK, K. B.; WHEELWRIGHT, S. C. Managing new product and process development: text and cases. New York: The Free Press, 1993.

CONWAY, S.; STEWARD, F. Networks and Interfaces in Environmental Innovation: A Comparative Study in UK and Germany. The Journal of High Technology Management Research, v.9, n.2, pp.239253, 1998.

Departamento Nacional de Aquecimento Solar da ABRAVA – DASOL (2013) – Disponível em: http://www.dasolabrava.org.br/informacoes/dados-de-mercado/ [Acesso em 03 de Julho de 2013]. Evolução de Mercado de Aquecimento Solar Brasileiro até 2011 – Figura 1 – Disponível em: http://www.dasolabrava.org.br/informacoes/dados-de-mercado/ [Acesso em 21 de Maio de 2013].

Evolução de Mercado de Aquecimento Solar Brasileiro até 2011 – Figura 1 – Disponível em: http://www.dasolabrava.org.br/informacoes/dados-de-mercado/ [Acesso em 21 de Maio de 2013].

Funcionamento do Aquecedor Solar (2013) – Figura 2 Disponível em: http://www.soletrol.com.br/educacional/comofunciona.php [Acesso em 02 de Julho de 2013].

Funcionamento do Coletor Solar (2013) – Figura 3 Disponível em: http://www.soletrol.com.br/educacional/comofunciona.php [Acesso em 03 de Julho de 2013].

Funcionamento do Reservatório Térmico (2013) – Figura 4 Disponível em: http://www.soletrol.com.br/educacional/comofunciona.php [Acesso em 02 de Julho de 2013].

GRITSEVSKY, A.; NAKICENOVIC, N. Modelling Uncertainty of Induced Technological Change. In: Technological Change and the Environment, A. Grubler, N. Nakicenovic, W.D. Nordhaus, (eds.). Resources for the Future, pp. 251-279, 2002.

HOBSBAWM, E. J. Da Revolução Industrial Inglesa ao Imperialismo. Rio de Janeiro: Forense, 1979.

KEMP, R.; ARUNDEL, A. Survey Indicators for Environmental Innovation, IDEA Paper Series, 1998.

LASZLO, C. Sustainable Value, How the World’s Leading Companies Are Doing Well by Doing Good, Charleston: Greenleaf Publishing, 2008.

MOTTA, F. C. P.; VASCONCELOS, I. F. G. Teoria Geral da Administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. Organização das Nações Unidas (ONU, 2013) – Disponível em: http://www.who.int/heli/risks/en/ [Acesso em 15 de Maio 2013].

Organização Mundial da Saúde (World Heath Organization, 2013) – Disponível em: http://www.who.int/heli/risks/en/ [Acesso em 15 de Maio 2013].

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, 2011) – Disponível em: http://www.ipcc.ch/pdf/special-reports/srren/SRREN_Full_Report.pdf [Acesso em 02 de Julho de 2013].

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, 2012) – Disponível em: http://www.ipcc.ch/pdf/special-reports/srex/SREX_Full_Report.pdf [Acesso em 02 de Julho de 2013].

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA, 2013) – Disponível em: http://www.pnuma.org.br/ [Acesso em 15 de Maio 2013].

Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL, 2007) – Disponível em: http://www.eletrobras.com/elb/data/Pages/LUMIS293E16C4PTBRIE.htm [Acesso em 02 de Julho de 2013].

RITTER, T.; GEMÜNDEN, H.G. The Impact of a Company's Business Strategy on its Technological Competence, Network Competence and Innovation Success, Journal of Business Research 57 (5), pp. 548–556, 2004.

ROTHWELL, R. Industrial Innovation: Success, Strategy, Trends. In DODGSON, M.; ROTHWELL, R (Eds.) The Handbook of Industrial Innovation. Hants: Edward Elgar, 1994.

SAMBIASE, M.F.; FRANKLIN, M.A.; TEIXEIRA, J.A. Inovação para o Desenvolvimento Sustentável como Fator de Competitividade para as Organizações: um Estudo de Caso Duratex. RAI – Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v.10, n.2, pp.144-168, abri/jun 2013.

SCHUMPETER, J.A. Capitalism, socialism and democracy. New York: Harper, 1950.

STERN, N. The Economics of Climate Change: The Stern Review. Cambridge University, 2007. ZENG, S.X.; XIE, X.M. e TAM, C.M. Relationship Between Cooperation Networks and Innovation Performance of SMEs (Small and Medium Sized Enterprises). Technovation, v.30, pp. 181-194, 2010.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos, 4ª Edição. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ZENG, S.X.; XIE, X.M. e TAM, C.M. Relationship Between Cooperation Networks and Innovation Performance of SMEs (Small and Medium Sized Enterprises). Technovation, v.30, pp. 181-194, 2010.