Reconhecimento de Leasing Financeiro em Arrendadoras Brasileiras: Diferenças dos Padrões Contábeis BACEN e CPC 06 Outros Idiomas

ID:
37179
Resumo:
A pesquisa investiga a extensão das diferenças pela aplicação de padrão contábil CPC 06 e BACEN no reconhecimento de operações de arrendamento mercantil financeiro por arrendadoras brasileiras. Para tanto, foram comparados montantes de contas patrimoniais e de resultado divulgadas pelo padrão BACEN com os saldos simulados pela aplicação do padrão CPC 06. Adota-se como suporte teórico a hipótese de que diferentes modelos de reconhecimento conduzem a divulgações contábeis contraditórias com efeitos econômicos na tomada de decisão de usuários externos. A metodologia aplicada resumiu-se a arrolar saldos referentes a 46 empresas arrendadoras registradas na CVM; submeteu-se os dados reais a simulações e a testes de diferenças de média (paramétrico e não paramétrico), inclusive comparando indicadores financeiros nos dois casos e analisando-se o sentido das diferenças nos Índices de Basileia. Os achados revelaram diferenças estatisticamente significantes entre as informações contábeis produzidas pelos padrões contábeis analisados. Ademais, inferiu-se que a adoção do padrão contábil CPC 06 geraria informação contábil capaz de alterar a avaliação contábil das empresas também de forma significante. Constatou-se que se reduziria o Índice de Basileia de tais instituições, implicando em necessidade de aporte de capital nas arrendadoras; por outro lado, se reduziria o Índice de Imobilização, outro referencial de risco de instituições financeiras.
Citação ABNT:
COELHO, A. C.; CRUZ, S. I. F.; HOLANDA, A. P. Reconhecimento de Leasing Financeiro em Arrendadoras Brasileiras: Diferenças dos Padrões Contábeis BACEN e CPC 06. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 18, n. 2, p. 101-118, 2015.
Citação APA:
Coelho, A. C., Cruz, S. I. F., & Holanda, A. P. (2015). Reconhecimento de Leasing Financeiro em Arrendadoras Brasileiras: Diferenças dos Padrões Contábeis BACEN e CPC 06. Contabilidade, Gestão e Governança, 18(2), 101-118.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/37179/reconhecimento-de-leasing-financeiro-em-arrendadoras-brasileiras--diferencas-dos-padroes-contabeis-bacen-e-cpc-06/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Almeida, J. E. F. (2010). Qualidade da informação contábil em ambientes competitivos. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Associação Brasileira de Leasing (ABEL) (2011). Estatísticas do setor 2011. Recuperado em 05 maio 2012, de http://www.leasingabel.org.br/site/Adm/userfiles/Estatisticas%20do%20setor.pdf.

Banco Central. (1994). Resolução n° 2.099, de 17 de agosto de 1994. Aprova regulamentos que dispõem sobre as condições relativamente ao acesso ao sistema financeiro nacional, aos valores mínimos de capital e patrimônio líquido ajustado, à instalação de dependências e à obrigatoriedade da manutenção de patrimônio líquido ajustado em valor compatível com o grau de risco das operações ativas das instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central. . Recuperado em 30 novembro 2014, de http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=res&ano=1994&numero=2099. 1994.

Banco Central. (1999). Resolução n° 2.669, de 25 de novembro de 1999. Altera o cronograma de redução do limite de aplicação de recursos no ativo permanente. Recuperado em 30 novembro 2014, de http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=res&ano=1999&numero=2669. 1999.

Banco Central. (2007). Circular n° 3.360, de 12 de setembro de 2007. Estabelece os procedimentos para o cálculo da parcela do patrimônio de referência exigido (PRE) referente às exposições ponderadas por fator de risco (PEPR), de que trata a Resolução n. 3.490, de 2007. Recuperado em 30 novembro 2014, de http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?tipo=circ&ano=2007&numero=3360. 2007.

Borelli, M. T.; Coelho, A. C. (2006). Operação de leasing - arrendamento mercantil. In: LIMA, I. S.; LIMA, G. A. S. F. de & PIMENTEL, R. C. (Org.). Curso de mercado financeiro: tópicos especiais. São Paulo: Atlas.

Brasil (1974). Lei n° 6.099, de 12 de setembro de 1974. Dispõe sobre o tratamento tributário das operações de arrendamento mercantil e dá outras providências. Recuperado em 30 abril 2012, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6099.htm. 1974.

Brasil (1976). Lei n° 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as sociedades por ações. Recuperado em 30 abril 2012, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6404consol.htm. 1976.

Calcado, E. D.; Dantas, J. A.; Niyama, J. K.; Rodrigues, J. M. (2013). Indicadores econômico-financeiros dos bancos brasileiros: impactos associados aos padrões contábeis do IASB e do BCB. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 13.

Carvalho, A. G. T. de. (2011). Acordo de Basiléia II no Brasil: implantação, supervisão e fatores de risco dos principais bancos brasileiros. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília.

Carvalho, F. A.; Ponte, V. M. R.; Coelho, A. C. D.; Luca, M. M. M. (2011). Impactos de alterações nas práticas contábeis nos indicadores financeiros das empresas brasileiras. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 11.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. (2010). Pronunciamento Técnico CPC 06 (R1). Operações de arrendamento mercantil. Recuperado em 15 março 2012, de http://www.cpc.org.br/pdf/CPC_06n.pdf.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. (2011). Pronunciamento Técnico CPC 00 (R1). Estrutura conceitual para elaboração e divulgação de relatório contábil-financeiro. Recuperado em 15 março 2012, de http://www.cpc.org.br/pdf/CPC00_R1.pdf.

Conselho Federal de Contabilidade. (2001). Resolução n. 921/2001. Aprova NBC T 10 – dos aspectos contábeis específicos em entidades diversas, o item: NBC T 10.2 – Arrendamento Mercantil. Recuperado em 15 março 2012, de http://www2.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=2001/000921.

Costa, C. G. (2010). Utilização de indicadores de desempenho no processo de tomada de decisões nas cooperativas de crédito: um estudo nos Estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Dissertação de Mestrado, Programa Multiinstitucional e inter-regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, UnB, UFPB, UFRN, João Pessoa.

Cruz, C. V. O. A. (2010). A relevância da informação contábil para os investidores sociais privados de entidades do terceiro setor no Brasil: uma investigação empírica. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Hendriksen, E. S.; Van Breda, M. F. (1999). Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S. (2010). Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas.

Levin, J. (1978). Estatística aplicada a ciências humanas. São Paulo: Harbra.

Lopes, A. B.; Martins, E. (2005). Teoria da contabilidade: uma nova abordagem. São Paulo: Atlas.

Marcondes, D. A.; Coelho, A. C.; Martins, Gilberto A. (2012). Disciplina de Mercado e Manipulação Contábil: Evidências para o mercado bancário brasileiro. Anais do Encontro Brasileiro de Finanças, São Paulo, SP, Brasil, 12.

Marques, R. R. (1999). O leasing financeiro na arrendatária e o reflexo da análise das demonstrações contábeis. Contabilidade, Gestão e Governança, 2 (1), 75-101.

Matos, E. B. S.; Niyama, J. K. (2013). Nível de percepção dos usuários da informação contábil sobre os critérios de reconhecimento, mensuração e apresentação constantes da minuta de pronunciamento do FASB/IASB - ED/2010/9 - Leases. Revista Enfoque: Reflexão Contábil, 32 (2), 101-118.

Niyama, J. K.; Barbosa, E. J. P.; Cavalcanti, R. F. V.; Leite, D C de C. (2002). Contabilização das operações de leasing: avaliação do nível de aderência da norma técnica 10.2 do Conselho Federal de Contabilidade à luz das Normas Internacionais de Contabilidade do IASB. Contabilidade Vista & Revista. 13 (2), 21-34.

Niyama, J. K.; Silva, C. A. T. (2011). Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas.

Paulo, E. (2007). Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese de Doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Pereira, A. (2004). SPSS: guia prático de utilização. Análise de dados para ciências sociais e psicologia. Lisboa: Edições Sílabo.

Rech, I. J.; Cunha, M F da C.; Pereira, I. V. & Oliveira, J R de O. (2008) Leasing financeiro: um estudo do reconhecimento e evidenciação nas demonstrações financeiras de uma empresa de aviação civil. In: Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 8.

Roza, M. M. C.; Alberton, L.; Limongi, B. (2008). A gestão tributária do leasing como fonte de receita municipal. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 13 (3), 1-10.

Santana, H. G. P. & Campos, N. G. de. (2007). Os reflexos do leasing financeiro nas demonstrações contábeis das empresas: um estudo de caso com a Usifast Logística Industrial S/A e com a Bradesco Leasing S/A. Arrendamento Mercantil com enfoque na forma de contabilização do leasing conforme a Lei 6.099/74 e a NBC T10.2. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 7.

Santos, N. de A.; Raimundin, S. L.; Sousa, C. A. B. de. (2007). Evidenciação Contábil: análise comparativa da aplicação das Normas Internacionais de Contabilidade e das normas vigentes no Brasil em operações de arrendamento mercantil financeiro. Enfoque Reflexão Contábil, 26 (2), 72-87.