Análise do Comportamento Ecológico de Estudantes de Administração Outros Idiomas

ID:
37195
Resumo:
O comportamento ecológico, ou pró-ambiental, tanto de atividades quanto de aspectos de vida dos indivíduos e da sociedade em relação ao meio ambiente, relaciona-se diretamente à conscientização ambiental que, atualmente, tem apoio no ensino de graduação em disciplinas como educação ambiental, que buscam formar o profissional mais consciente de seus atos em relação ao ambiente natural. O presente estudo quantitativo e descritivo buscou entender os fatores que influenciam o Comportamento Ecológico de universitários do curso de Administração, usando como amostra alunos de Instituições de Ensino Superior públicas e privadas, do Estado do Piauí. Para coleta, utilizou-se a Escala de Comportamento Ecológico, validada por Pato e Tamayo (2006), aplicada a discentes do curso de Bacharelado em Administração, com amostras de 486 respondentes. Foram utilizadas análises descritivas e multivariadas para avaliar os dados. A partir da análise paralela e da análise fatorial exploratória encontrou-se seis fatores que, em seguida, foram utilizados como variáveis independentes na análise de regressão, cuja variável dependente era o Comportamento Ecológico. A análise de regressão apresentou modelo de altíssimo nível explicativo, com R²=99,2%, validando os fatores explicativos do comportamento ecológico que, neste estudo, diferem dos de Pato e Tamayo (2006), especialmente subdividindo “economia de água e energia” em um fator para cada recurso e, também, separando “ativismo-consumo” em “ativismo” e “ativismo-consumo”. As contribuições teóricas do estudo residem na distinção de resultados, ainda que se utilizando respondentes similares, no caso, estudantes, o que pode ser devido a fatores culturais ou regionais.
Citação ABNT:
SOUSA FILHO, J. M.; COIMBRA, D. B.; MESQUITA, R. F.; LUNA, R. A. Análise do Comportamento Ecológico de Estudantes de Administração. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 21, n. 2, p. 10-2311, 2015.
Citação APA:
Sousa Filho, J. M., Coimbra, D. B., Mesquita, R. F., & Luna, R. A. (2015). Análise do Comportamento Ecológico de Estudantes de Administração. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 21(2), 10-2311.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/37195/analise-do-comportamento-ecologico-de-estudantes-de-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BABBIE, E. Métodos de pesquisa de survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

BARBIERI, J. C. Educação Ambiental e a Gestão Ambiental nos cursos de graduação em Administração: objetivos, desafios e propostas. Revista de Administração Pública, v. 38, n. 6, p. 919-946, 2004.

BARBIERI, J. C.; SILVA, D. Educação ambiental na formação do administrador. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

BARKER, R. G. Explorations in ecological psychology. American Psychologist, v. 20, n. 1, p. 1-14, 1965.

BEURON, T. A.; SCHUCH JÚNIOR, V. F.; MADRUGA, L. R. R. G.; CARPES, A. M. Relações entre os valores pessoais e os comportamentos ecológicos no contexto da sustentabilidade. Revista Ibero‐Americana de Ciências Ambientais, v. 3, n. 2, jun./dez. 2012.

BRAUS, J.; WOOD, D. Environment education in the schools: creating a program that works! Washington, DC: Peace Corps, 1993.

BUTZKE, I. C.; PEREIRA, G. R.; NOEBAUER, D. Sugestão de indicadores para avaliação do desempenho das atividades educativas do sistema de gestão ambiental – SGA da Universidade Regional de Blumenau – FURB. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Ed. Esp., abr./jun. 2001.

CARVALHO, M. I. C. Comportamentos de crianças pequenas em creches e arranjo espacial. Temas em Psicologia, v. 6. n. 2. p. 125-133. 1998.

CARVALHO, R. V.; DIAS, R. O desenvolvimento de uma cultura ambiental corporativa através da educação ambiental. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, v. 6, n. 3, p. 479-496, set./dez. 2013.

COIMBRA, D. B. Abordagens e limitações da educação ambiental no ensino superior: percepções a partir da disciplina de gestão ambiental nos cursos de graduação em administração na cidade de Fortaleza/CE. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Ceará. Fortaleza. 2011.

CORRAL-VERDUGO, V.; PINHEIRO, J. Q. Condições para o estudo do comportamento pró-ambiental. Estudos de Psicologia, n. 4. p. 7-22. 1999.

CORRAR, L. J.; PAULO, E.; DIAS-FILHO, J. M. Análise multivariada: para cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 2009.

DONATO, V. Logística verde: uma abordagem socioambiental. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2008.

DOWBOR, L. Educação, tecnologia e desenvolvimento. In: BRUNO, L. Educação e trabalho no capitalismo. São Paulo: Atlas, 1996.

FERREIRA, D. D. M.; FERREIRA, L. F. O ensino de gestão ambiental nos cursos de administração de empresas nas IES (instituições de ensino superior) do estado de Santa Catarina: um estudo exploratório. In: IV CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO. Anais... Rio de Janeiro, 2008.

FREITAS, H. et al. O método de pesquisa survey. Revista de Administração, v. 35, n. 3, p. 105-112, jul./set. 2000.

HAIR, J. F. Jr.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. 6 ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HINES, J. M.; HUNGERFORD, H. R.; TOMERA, A. N. Analysis and synthesis of research on responsible environmental behavior: a meta-analysis. Journal of Environmental Education, n. 18, p. 1-8, 1987.

IBGE. Censo Demográfico de 2010. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, dados referentes à cidade de Fortaleza – Ceará, fornecidos em meio eletrônico. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=230440. Acesso em 30 maio, 2013. 2010.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, mar. 2003.

KRUGLIANSKAS, I. Educação para a Gestão Ambiental: a cidadania no enfrentamento político dos conflitos socioambientais. In: LOUREIRO, C.; LAYRARGUES, P.; CASTRO, R. de (Orgs.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2002.

KRUGLIANSKAS, I. Ensino da gestão ambiental em escolas de administração de empresas: a experiência da FEA/USP. In: Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente. Anais... São Paulo: FEA/USP, EAESP/FGV, 1993.

LEDESMA, R. D.; VALERO-MORA, P. Determining the number of factors to retain in EFA: an easy-to-use computer program for carrying out parallel analysis. Practical Assessment, Research & Evaluation, v. 12, n. 2, p. 1-11, 2007.

LINS, S. L. B.; CAVALCANTI, C. M.; FARIA, R. C. P. Valores humanos e comportamento ecológico de universitários brasileiros e portugueses. Revista EDUCAMAZÔNIA, v. 1, n. 6, p. 42-74, jan./jun., 2011.

LOURES, R. C. R. Sustentabilidade XXI: educar e inovar sob uma nova consciência. São Paulo: Editora Gente, 2009.

MAY, T. Surveys sociais: do desenho à análise. In: MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MEADOWS, D. et al. Os limites do crescimento. São Paulo: Perspectiva, 1972.

MESQUITA, R. F.; SOUSA, L. R. M.; LIMA, F. F.; SILVA, G. O.; CARVALHO, M. L.; FERREIRA, A. K. A. Proposta metodológica e reflexões sobre o desenvolvimento sustentável e a educação ambiental no ensino médio. Revista Interdisciplinar, v. 7, n. 2, p. 165-172, 2014.

O'CONNOR, B. P. SPSS and SAS programs for determining the number of components using parallel analysis and Velicer's MAP test. Behavior Research Methods, Instrumentation and Computers, v. 32, p. 396-402, 2000.

PATO, C. M. L.; TAMAYO, A. A Escala de comportamento ecológico: desenvolvimento e validação de um instrumento de medida. Estudos de Psicologia, v. 11, n. 3, p. 289-296, 2006.

PAULO, R. R. D.; FEROLLA, L. M. Ensaio Sobre a Educação Ambiental na Formação de Gestores. In: Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente, 2010. São Paulo. Anais... São Paulo: FEA/USP, 2010.

PINHEIRO, L. V. S.; MONTEIRO, D. L. C.; GUERRA, D. S.; PEÑALOZA, V. Transformando o discurso em prática: uma análise dos motivos e das preocupações que influenciam o comportamento pró-ambiental. RAM - Revista de Administração Mackenzie, v. 12, n. 3, ed esp., p. 83-113, maio/jun. 2011.

SAUVÉ, L. Environmental education between modernity and postmodernity: searching for an integrating educational framework. Canadian Journal of Environmental Education, n. 4. p. 9-35, 1999.

SAUVÉ, L. L’éducation Relative à L’environnement: possibilities et contraintes. Educação e Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 317-322. 2005.

SILVA, H. H. M.; CAMPANARIO, M. A.; SOUZA, M. T. S. O isomorfismo na educação ambiental como tema transversal em programas de graduação em administração. Revista de Ciências da Administração, v. 15, n. 37, p. 170-186, dez. 2013.

SIMÕES, R.; GIRALDI, J.; OLIVEIRA, S. Influência dos valores pessoais no comportamento verde do consumidor. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v. 11, n. 4, p. 26-37, 2012.

THOMAZ, C. Educação ambiental na formação inicial de professores. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas. 2006.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL SCIENTIF AND CULTURAL ORGANIZATION - UNESCO.ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA. Tendências de la educación ambiental. Paris: Unesco, 1997. Disponível em www.unesco.org. Acessado em 18 nov 2013. 1997.