Reputação Corporativa e a Criação de Riqueza nas Empresas Listadas na BM&FBovespa Outros Idiomas

ID:
37224
Resumo:
Este estudo tem como objetivo investigar a relação entre a reputação corporativa e a criação de riqueza pelas companhias listadas na BM&FBovespa, considerando a Teoria da Sinalização. Fez-se uso da Regressão Linear Múltipla e do teste de MannWhitney em uma amostra de 309 empresas. A coleta de dados foi realizada com base nas Demonstrações Financeiras Padronizadas, no Formulário de Referência e na participação das empresas em alguns rankings. Os resultados revelaram que: (i) a criação de riqueza é influenciada pela reputação corporativa, assim como o tamanho, o endividamento, a proporção de ativos intangíveis, a idade e a internacionalização; (ii) há diferenças estatisticamente significantes entre as empresas com reputação e aquelas que não possuem reputação corporativa. Conclui-se que manter uma boa reputação corporativa, sendo esta considerada um ativo intangível, dificilmente copiada e proveniente dos sinais positivos emitidos para os stakeholders, constitui fator determinante na explicação da criação de riqueza.
Citação ABNT:
LUCA, M. M. M.; GÓIS, A. D.; COSTA, J. A.; MAIA, A. J. R. Reputação Corporativa e a Criação de Riqueza nas Empresas Listadas na BM&FBovespa. Revista de Ciências da Administração, v. 17, n. 42, p. 51-63, 2015.
Citação APA:
Luca, M. M. M., Góis, A. D., Costa, J. A., & Maia, A. J. R. (2015). Reputação Corporativa e a Criação de Riqueza nas Empresas Listadas na BM&FBovespa. Revista de Ciências da Administração, 17(42), 51-63.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/37224/reputacao-corporativa-e-a-criacao-de-riqueza-nas-empresas-listadas-na-bm-fbovespa/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BALMER, J. M. T.; GREYSER, S. A. Revealing the corporation: perspectives on identity, image, reputation, corporate branding, and corporate-level marketing: an anthology. London: Routledge, 2003.

BRITO, R. P.; BRITO, L. A. L. Vantagem competitiva, criação de valor e seus efeitos sobre o desempenho. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 52, n. 1, p. 70-84, 2011.

CAIXETA, C. G. F.; et al. Reputação corporativa e desempenho econômico-financeiro: um estudo em cinco grandes grupos empresariais brasileiros. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, Recife, v. 1, n. 9, p. 86-109, 2011.

CARDOSO, V. I.; et al. Reputação corporativa como fator propulsor do desempenho empresarial. In: CONGRESSO ANPCONT, 7.; 2013, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, 2013.

CARTA CAPITAL. As empresas mais admiradas no Brasil. São Paulo: Confiança, 2012.

CASTRO, D. J. Como se constrói uma “reputação corporativa”? 2008. 170f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2008.

CHUN, R. Corporate reputation: meaning and measurement. International Journal of Management Reviews, London, v. 7, n. 2, p. 91-109, 2005.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para os alunos de graduação e pósgraduação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

DALMÁCIO, F. Z. et al. Uma análise da relação entre governança corporativa e acurácia das previsões dos analistas do mercado brasileiro. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 5, 2013.

DAVIES, G. et al. Corporate reputational and competitiveness. London: Routledge, 2003.

DE LUCA, M. M. M. et al. Demonstração do valor adicionado: do cálculo da riqueza criada pela empresa ao valor do PIB. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

DOMINGOS, S. R. M.; MOURA, A. A. F. Reputação corporativa e desempenho: uma análise nas maiores companhias abertas do Brasil. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 13.; 2013, São Paulo. Anais…São Paulo, Universidade de São Paulo, 2013.

DOWLING, G. Communicating corporate reputation through stories. California Management Review, Berkeley, v. 48, n. 1, p. 82-100, 2006.

DOWLING, G. Creating corporate reputations – identity, image and performance. New York: Oxford University Press: 2001.

DUNBAR, R. L. M.; SCHWALBACH, J. Corporate reputation and performance in Germany. Corporate Reputation Review, London, v. 3, n. 2, p. 115-123, 2000.

EXAME. Melhores e maiores: as 1.000 maiores empresas do Brasil, São Paulo: Abril, 2012.

FOMBRUN, C. J.; GARDBERG, N. A.; SEVER, J. M. The reputation quotientSM: a multi-stakeholder measure of corporate reputation. The Journal of Brand Management, Bradford, v. 7, n. 4, p. 241-255, 2000.

FOMBRUN, C. J.; SHANLEY, M. What’s in a name? Reputation building and corporate strategy. Academy of Management Journal, Mississippi, Briarcliff Manor, v. 33, n. 2, p. 233-58, 1990.

FOMBRUN, C. J.; VAN RIEL, C. The reputational landscape. Corporate Reputation Review, London, v. 1, n. 1/2, p. 5-13, 1997.

GOMES, G. A. et al. Responsabilidade socioambiental corporativa e indicador de maturidade mediando desempenho estratégico para as organizações. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 244-269, 2010.

GONZÁLEZ, P. G. As mudanças nas políticas de dividendos e o mercado financeiro. Caderno de Estudos, São Paulo, n. 19, p. 1-12, 1998.

HALL, R. The strategic analysis of intangible resources. Strategic Management Journal, Candler, v. 13, n. 2, p. 135-144, 1992.

HERREMANS, I. M.; AKATHAPORN, P.; McINNES, M. An investigation of corporate social responsibility reputation and economic performance. Accounting Organizations and Society, Amsterdam, v. 18, p. 587-604, 1993.

HORIUCHI, W. S. Reputação corporativa: impacto no valor de mercado das companhias abertas brasileiras. 2010. 61 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Instituto de Ensino e Pesquisa, São Paulo, 2010.

HUSTED, B. W.; ALLEN, D. B. Strategic corporate social responsibility and value creation among large firms: lessons from the Spanish experience. Long Range Planning, Amsterdam, v. 40, p. 594-610, 2007.

INGLIS, R.; MORLEY, C.; SAMMUT, P. Corporate reputation and organizational performance: an Australian study. Managerial Auditing Journal, Bradford, v. 21 n. 9, p. 934-947, 2006.

ISTOÉ DINHEIRO. As marcas mais valiosas do Brasil. São Paulo: Três, 2012.

JORGE, N. S. Reputação: um elemento diferenciador e protetor face a crises organizacionais. 2010. 127f. Dissertação (Mestrado em Gestão Estratégica das Relações Públicas) – Escola Superior de Comunicação Social, Instituto Politécnico de Lisboa, Lisboa, 2010.

KLANN, R. C.; BEUREN, I. M. Características de empresas que influenciam o seu disclosure voluntário de indicadores de desempenho. Brazilian Business Review, Vitória, v. 8, n. 2, p. 97, 2011.

LANDON, S.; SMITH, C. E. The use of quality and reputation indicators by consumers: the case of bordeaux wine. Journal of Consumer Policy, New York, v. 20, p. 289-323, 1997.

MACHADO FILHO, C. P. Responsabilidade social e governança: o debate e as implicações: responsabilidade social, instituições, governança e reputação. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. N. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2009.

MOTA, A. F.; DE LUCA, M. M. M.; VASCONCELOS, A. C.; CARDOSO, V. I. C. Reputação corporativa e indicadores empresariais: uma abordagem à luz da Teoria da Sinalização. In: CONGRESSO ADCONT, 4.; 2013, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

PETERAF, M. A.; BARNEY, J. B. Unraveling the resourcebased tangle. Managerial and Decision Economics, [S.l.], v. 24, n. 4, p. 309-323, 2003.

RIAHI-BELKAOUI, A. Value added reporting: lessons for the United States. New York: Quorum Books, 1992.

ROBERTS, P. W.; DOWLING, G. R. Corporate reputation and sustained superior financial performance. Strategic Management Journal, Candler, v. 23, n. 12, p. 1.0771.093, 2002.

ROSE, C.; THOMSEN, S. The impact of corporate reputation performance: some Danish evidence. European Management Journal, Amsterdam, v. 22, n. 2, p. 201-2.010, 2004.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LÚCIO, P. B. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw Hill, 2013.

SÁNCHEZ, J.; SOTORRÍO, L. The creation of value through corporate reputation. Journal of Business Ethics, New York, v. 76, n. 3, p. 335-343, 2007.

SANTOS, A. Demonstração do valor adicionado: como elaborar e analisar a DVA. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

SANTOS, P. M. F.; PORTO, R. B. A gestão ambiental como fonte de vantagem competitiva sustentável: contribuições da visão baseada em recursos e da teoria institucional. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 15, n. 35, p. 152-167, 2013.

SPENCE, M. Job market signaling. The Quartely Journal of Economics, Oxford, v. 87, n. 3, p. 355-374, 1973.

THOMAZ, J. C.; BRITO, E. P. Z. Reputação corporativa: construtos formativos e implicações para a gestão. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 229-250, 2010.

TISCHER, S.; HILDEBRANDT, L. Linking corporate reputation and shareholder value using the publication of reputation rankings. Journal of Business Research, Amsterdam, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 jan.2014. 2013.