Custos da rotatividade de pessoal: evidências no setor de supermercados Outros Idiomas

ID:
37494
Resumo:
A rotatividade de funcionários é um desafio significativo para as organizações, pois reflete nas estratégias e no desempenho organizacional. Este estudo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre rotatividade no setor de supermercados, com foco especial nos custos resultantes desse processo. Com base na literatura sobre rotatividade e dados atualizados sobre o tema, um estudo de caso foi desenvolvido em uma empresa familiar do segmento supermercadista de Santana do Livramento, RS. Todos os dados referentes à rotatividade ao longo de um ano foram coletados, complementados com entrevistas e observação direta, possibilitando fornecer um panorama sobre o tema. A pesquisa demonstra que os principais custos da rotatividade estão atrelados aos processos de desligamento, reposição e treinamento dos novos colaboradores. A pesquisa confirma o que aponta o panorama nacional de um elevado índice de rotatividade, o qual contribuiu para a incidência de altos custos, indicando a necessidade de planejar ações empresariais, como o aperfeiçoamento do processo de recrutamento e seleção, recepção, acompanhamento e treinamento dos colaboradores. Por fim, o estudo aponta para a necessidade de mensuração dos custos intangíveis da rotatividade, além do desenvolvimento de novas pesquisas sobre o tema, com foco nas causas desse fenômeno.
Citação ABNT:
PATIAS, T. Z.; WITTMANN, M. L.; LISZBINSKI, B. B.; BALESTRERI, A. S.; COSTA, C. F. Custos da rotatividade de pessoal: evidências no setor de supermercados. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 14, n. 1, p. 143-170, 2015.
Citação APA:
Patias, T. Z., Wittmann, M. L., Liszbinski, B. B., Balestreri, A. S., & Costa, C. F. (2015). Custos da rotatividade de pessoal: evidências no setor de supermercados. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 14(1), 143-170.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/37494/custos-da-rotatividade-de-pessoal--evidencias-no-setor-de-supermercados/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 6. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BORGES, M. S.; RAMOS, N. M. Turnover: uma consequência de estratégias ineficientes de gestão empresarial? In: CONGRESSO VIRTUAL BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO, 8.; 2011, Online. Anais… Online, CONVIBRA, 2011. Disponível em: http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_2784.pdf . Acesso em: 14 out. 2014.

CASCIO, W.; BOUDREAU, J. Investing in people: financial impact of human resource initiatives. 2. ed. New Jersey: Pearson Education, 2011.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Porto Alegre: Bookman, 2005.

CORSEUIL, C. H. et al. Youth labor market in Brazil through the lens of the flow approach. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 41.; 2013, Foz do Iguaçú. Anais... Foz do Iguaçú: ANPEC, 2013.

COSTA, K.; ARAÚJO, E.; CURADO, M. Heterogeneidade estrutural, precarização das condições de trabalho e pleno emprego no ciclo de desenvolvimento da economia brasileira entre 2002 e 2011. In: CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES, 2.; 2013, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: CONINTER, 2013.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Rotatividade da mão de obra. São Paulo: Dieese, 2010.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Rotatividade e flexibilidade no mercado de trabalho. São Paulo: Dieese, 2011.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Rotatividade e políticas públicas para o mercado de trabalho. São Paulo: Dieese, 2014.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Rotatividade setorial: dados e diretrizes para a ação sindical. São Paulo: Dieese, 2014.

ECKERT, A. et al. As motivações e os reflexos do turnover em termos contábeis e econômicos numa entidade sem fins lucrativos do município gaúcho de Caxias do Sul. Santa Cruz do Sul, 2011. Disponível em: www.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/tc13_3279951870050.pdf . Acesso em: 16 abr. 2011.

ESTECHE, A. M. C.; LOZECKYI, J. Um estudo exploratório sobre a importância do capital humano para as empresas. Revista Eletrônica Lato Sensu, n. 1, 2007.

GONZAGA, G. Labor turnover and labor legislation in Brazil. Economía - Journal of the Latin American and Caribbean Economic Association, v. 4, n. 1, p. 165-200, 2003.

GONZAGA, G.; PINTO, R. C. Rotatividade do trabalho e incentivos da legislação trabalhista. Texto para discussão 625, Departamento de Economia, PUC-Rio, 2014.

IBSEN, R.; WESTERGAARD-NIELSEN, N. Job creation and destruction over the business cycles and the impact on individual job flows in Denmark 1980-2001. Allgemeines Statistisches Archiv, v. 89, n. 2, p. 183-207, 2005.

IUDÍCIBUS, S. de; MARION, J. C. Contabilidade comercial: atualizado conforme o novo Código Civil. São Paulo: Atlas, 2009.

LASHLEY, C. Costing staff turnover in hospitality service organizations. Journal of Services Research, v. 1, n. 2, p. 3-22, 2001.

MALONEY, W. F. Comments on labor turnover and labor legislation in Brazil, Economía: Journal of the Latin American and Caribbean Economic Association, v. 4, n. 1, p. 208-215, 2003.

MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. São Paulo: Futura, 2000.

MOBLEY, W. H. Turnover: causas, consequências e controle. Porto Alegre: Ortiz, 1992.

nd. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL. 2013. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/home/ . Acesso em: 12 maio 2014. 2013.

ORELLANO, V.; MATTOS, E.; PAZELLO, E. A substituição de trabalhadores como instrumentos para redução de gastos com salários: evidências para a indústria paulista. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 63, n. 2, p. 135-152, 2009.

PACHECO, V. A Contabilidade de recursos humanos e o capital intelectual das organizações. 20. ed. Curitiba: Biblioteca do CRCPR, 2002.

PARK, T. Y.; SHAW, J. D. Turnover rates and organizational performance: a metaanalysis. Journal of Applied Psychology, v. 98, n. 2, p. 268-309, 2013.

PATIAS, Tiago Zardin et al. Custos da rotatividade de pessoal: evidências no setor de supermercados. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Joaçaba: Ed. Unoesc, v. 14, n. 1, p. 143-170, jan. /abr. 2015. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/race . Acesso em: dia/mês/ano. 2015.

Patias, T. Z.; Wittmann, M. L.; Liszbinski, B. B.; Balestreri, A. S.; Costa, C. F. da. (2015). Custos da rotatividade de pessoal: evidências no setor de supermercados. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 14(1), 143-170. Recuperado em dia/mês/ano, de http://editora.unoesc.edu.br/index.php/race .

SILVA, G L da R. Controle do Turnover: como prevenir e demitir com responsabilidade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

TON, Z.; HUCKMAN, R. S. Managing the impact of employee turnover on performance: the role of process conformance. Organization Science, v. 19, n. 1, p. 56-68, 2008.

TRACEY, B.; HINKIN, T. R. Contextual factors and cost profiles associated with employee turnover. Cornell Hospitality Quarterly, v. 49, n. 1, p. 12-27, 2008.

TRICHES, D. Taxa de rotatividade e a nova regra para o aviso prévio: impactos no mercado de trabalho formal de Caxias do Sul-RS. Economia & Região, v. 2, n. 1, p. 146-164, 2014.

WATSON WYATT INC. Get the Most Out of Your Company’s Turnover – Lessons from Watson Wyatt’s Human Capital, 2005. Disponível em: http://www.watsonwyatt.com/us/pubs/insider/showarticle.asp?ArticleID=15304 . Acesso em: 10 ago. 2012. 2005.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ZYLBERSTAJN, H. Custo da demissão e qualidade do emprego. São Paulo: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, 2007.