Analisando as decisões do COPOM

ID:
38015
Resumo:
Este artigo visa modelar a política de condução da taxa de juros pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (COPOM), seguindo metodologicamente o arcabouço estatístico desenvolvido por Engle & Russel (1998) e utilizado por Hamilton & Jordà (2002) no estudo das decisões do Federal Reserve nos Estados Unidos. Os resultados obtidos, observando-se o período de janeiro de 2002 a julho de 2010 com frequência semanal, sugerem que o COPOM seja influenciado pelos gastos governamentais e que este possua um comportamento forward-looking, atendo-se às expectativas do Produto Interno Bruto (PIB) e da inflação oficial do país. Além desta evidência relevante na discussão sobre o equilíbrio entre políticas fiscal e monetária no Brasil, a autoridade monetária brasileira teoricamente possui um comportamento alinhado ao observado na prática, porém apresentando uma maior sensibilidade às variações macroeconômicas, reagindo mais frequentemente e em menor intensidade.
Citação ABNT:
MATOS, P. R. F.; ANDRADE NETO, J. Analisando as decisões do COPOM . Brazilian Business Review, v. 12, n. 6, p. 26-48, 2015.
Citação APA:
Matos, P. R. F., & Andrade Neto, J. (2015). Analisando as decisões do COPOM . Brazilian Business Review, 12(6), 26-48.
DOI:
http://dx.doi.org/10.15728/bbr.2015.12.6.2
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/38015/analisando-as-decisoes-do-copom-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BACEN. Banco Central do Brasil. Atas das reuniões do COPOM.

BOLLERSLEV, T. Generalized autoregressive conditional heteroskedasticity. Journal of Econometrics, v. 31, 1986.

BONOMO, M.; BRITO, R. (2002). Regras monetárias e dinâmica macroeconômica no Brasil: uma abordagem de expectativas racionais. Revista Brasileira de Economia, v. 56, 2002.

BONOMO, M.; CARRASCO, V.; MOREIRA, H. Aprendizado evolucionário, inércia inflacionária e recessão em desinflações monetárias. Revista Brasileira de Economia, v. 57, 2003.

CAETANTO, S.; SILVA JUNIOR, G.; CORRÊA, W. Abordagem discreta para a dinâmica da taxa SELIC-meta. Economia Aplicada, v. 15, 2011.

ENGLE, R.; RUSSEL, J. Analysis of high frequency data. In: AIT-SAHALIA, A.; HANSEN, L. P. (Eds.). Handbook of financial econometrics. North-Holland: Elsevier, 2002.

ENGLE, R.; RUSSEL, J. Autoregressive conditional duration: a new model for irregularly spaced transaction data. Econometrica, v. 66, 1998.

ENGLE, R.; RUSSEL, J. Forecasting the frequency of changes in quoted foreign exchange prices with the autoregressive conditional duration model. Journal of Empirical Finance, v. 12, 1997.

ENGLE, R. The econometrics of ultra high frequency data. Econométrica, v. 68, 2000.

Ferreira, A.; Jayme Junior, F. As Metas de Inflação e Vulnerabilidade Externa no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA DA ANPEC, 33.; 2005, Natal (RN). Anais… Natal: ANPEC, 2005.

HAMILTON, J.; JORDÀ, O. A model of the federal funds rate target. The Journal of Political Economy, v. 110, 2002.

HAUSMAN, J.; LO, A.; MACKINLEY, A. An ordered probit analysis of transaction stock prices. The Journal of Financial Economics, v. 31, 1992

HOLANDA, F. Inflação, indexação e orçamento do governo. Revista Brasileira de Economia, v. 41, 1987.

HOLANDA, F. Plano Collor: um golpe de mestre contra a inflação. Revista Brasileira de Economia, v. 45, 1991.

LEE, S.; HANSEN, B. Asymptotic theory for the GARCH (1,1) quasi-maximum likelihood estimator. Econometric Theory, v. 10, 1994.

LUMSDAINE, R. Consistency and asymptotic normality of the quasi-maximum likelihood estimator en IGARCH (1,1) and covariance stationary GARCH(1,1) models. Econométrica, v. 64, 1996.

MANKIW, N. The inexorable and mysterious tradeoff between inflation and unemployment. NBER working paper n. 7884, 2000.

PACURAR, M. Autoregressive conditional duration models in finance: a survey of the theoretical and empirical literature. Journal of Economic Surveys, v. 22, 2008.

PASTORE, A.; PINOTTI, M. Inflação e estabilização: algumas lições da experiência brasileira. Revista Brasileira de Economia, v. 53, 1999.

PORTUGAL, M.; SILVA, E. Central Bank preferences and monetary rules under the inflation targeting regime in Brazil. Brazilian Review of Econometrics, v. 29, 2009.

TELES, V.; NEMOTO, J. O regime de metas de inflação do Brasil é crível? Revista Brasileira de Economia, v. 59, 2005.