Aprendizagem Organizacional no Setor Farmacêutico: uma Análise Multinível a Partir da Percepção dos Gestores Outros Idiomas

ID:
38061
Resumo:
Neste trabalho se teve o objetivo de compreender como ocorre o desenvolvimento da aprendizagem nos níveis individual, grupal e organizacional, a partir da percepção dos gestores de uma empresa do setor Farmacêutico. Para tanto, assumiu-se uma abordagem qualitativa, tomando a entrevista semiestruturada enquanto instrumento para a coleta de dados. As entrevistas foram realizadas com os gestores da empresa pesquisada. Como principais resultados, constatou-se que a aprendizagem, em múltiplos níveis (individual, grupal e organizacional), ocorre por vários meios na indústria farmacêutica, manifestandose enquanto formas de compartilhamento que se configuram como fundamentais para a competitividade da organização.
Citação ABNT:
SILVA, E. C. A.; VIEIRA, A. M.; KUBO, E. K. M.; BISPO, M. S. Aprendizagem Organizacional no Setor Farmacêutico: uma Análise Multinível a Partir da Percepção dos Gestores. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 14, n. 3, p. 1091-1118, 2015.
Citação APA:
Silva, E. C. A., Vieira, A. M., Kubo, E. K. M., & Bispo, M. S. (2015). Aprendizagem Organizacional no Setor Farmacêutico: uma Análise Multinível a Partir da Percepção dos Gestores. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 14(3), 1091-1118.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18593/race.v14i3.5898
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/38061/aprendizagem-organizacional-no-setor-farmaceutico--uma-analise-multinivel-a-partir-da-percepcao-dos-gestores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AMARO, R. A. A aprendizagem profissional em uma empresa de comunicação: um estudo à luz da aprendizagem informal. Revista de Administração da Unimep, v. 12, n. 2, p. 59-84, 2014.

ANTONELLO, C. S.; GODOY, A. S. A encruzilhada da aprendizagem organizacional: uma visão paradigmática. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 2, p. 310-332, 2010.

ARGYRIS, C. D. On organizational learning. Oxford: Blackwell Publishers, 1999.

ARGYRIS, C. D.; SCHON, D. Organizational learning II: theory, method, and practice. Reading, MA: Addison Wesley, 1996.

BIDO, D. S. et al. Articulação entre as aprendizagens individual, grupal e organizacional: um estudo no ambiente industrial. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 68-95, 2010.

BISPO, M. S.; MELLO, A. S. A miopia da aprendizagem coletiva nas organizações: existe uma lente para ela? Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 12, n. 3, p. 728-745, 2012.

BRUSONI, S.; ROSENKRANZ, N. A. Reading between the lines: learning as a process between organizational context and individuals’ proclivities. European Management Journal, v. 32, n. 1, p. 147-154, 2014.

CALDEIRA, A.; GODOY, A. S. O processo de análise do ambiente e sua relação com a aprendizagem organizacional: um estudo de caso. REAd, v. 73, n. 3, p. 779, 812, 2012.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. 2. ed. São Paulo: Senac, 2006.

CROSSAN, M.; LANE, H.; WHITE, R. An organizational learning framework: from intuition. Academy of Management Review, v. 24, n. 3, p. 522-537, 1999.

DAFT, R. L.; WEICK, K. E. Organizações como sistemas interpretativos: em busca de um modelo. In: CALDAS, M. P.; BERTERO, C. O. (Coord.). Teoria das Organizações. São Paulo: Atlas, 2007.

DEFILLIPPI, R.; ORNSTEIN, S. Psychological perspectives underlying theories of organizational learning. In: EASTERBY-SMITH, M.; LYLES, M. A. (Ed.). Handbook of organizational learning and knowledge management. London: Blackwell Publishing, 2003.

DENZIN, K. N.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006. 432 p.

DIAS, G. P. P.; SAUAIA, A. C. A.; YOSHIZAKI, H. T. Y. Estilos de aprendizagem Felder-Silverman e o aprendizado com jogos de empresa. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 5, p. 469-484, 2013.

DODGSON, M. Organizational learning: a review of some literatures. Organization Studies, p. 375-394, 1993.

EBOLI, M. Educação Corporativa no Brasil: Mitos e Verdades. 2. ed. São Paulo: Gente, 2004.

FIOL, M.; LYLES, M. Organizational learning. Academy of Management Review, v. 10, n. 4, p. 803-813, 1985.

FLASCHBERGER, E.; GUGGLBERGER, L.; DIETSCHER, C. Learning in networks: individual teacher learning versus organizational learning in a regional health-promoting schools network. Health Educ. Res.; v. 28, n. 6, p. 993-1003, 2013.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010. 184 p.

HUBER, G. Organizational learning: the contributing processes and the literatures, Organization Science, v. 12, n. 1, p. 88-115, 1991.

KIM, D. H. The Link between Individual and Organizational Learning. Sloan Management Review, v. 35, n. 1, p. 37-50, 1993.

MAIER, G.; PRANGE, C.; ROSENSTIEL, V. L. Psychological perspectives of organizational learning. In: DIERKES, M. et al. (Org.). Organizational Learning and knowledge. New York: Oxford, 2001.

MERRIAN, S. B. Qualitative research and case study applications in education. San Francisco: Jossey-Bass, 1998.

MOSCARDINI, T. N.; KLEIN, A. Educação Corporativa e desenvolvimento de lideranças em empresas multisite. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n. 1, p. 84-106, 2015.

MOZZATO, A. R.; BITENCOURT, C. C. Understanding Interorganizational Learning Based on Social Spaces and Learning Episodes. Brazilian Business Review, v. 11, n. 3, p. 284-301, 2014.

NOGUEIRA, R. A.; ODELIUS, C. C. Desafios da Pesquisa em Aprendizagem Organizacional. Cadernos EBAPE.BR, v. 13, n. 1, p. 83-83, 2015.

PAWLOWSKY, P. The treatment of organizational learning in management science. In: DIERKES, M. et al. (Org.). Organizational Learning and knowledge. New York: Oxford, 2001.

POWELL, W. W. Learning from collaboration: knowledge and networks in the biotechnology and pharmaceutical industries. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 228-240, 1998.

RUAS, R. L.; ANTONELLO, C. S. Repensando os Referenciais Analíticos em Aprendizagem Organizacional: uma Alternativa para Análise Multidimensional. Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 3, p. 203-212, 2003.

SONAGLIO, A. L. B.; GODOI, C. K.; SILVA, A. B. Estilos de Aprendizagem Experiencial e Aquisição de Habilidades: um Estudo com Discentes de Graduação em Administração em Instituições de Ensino Superior. RAEP - Administração: Ensino e Pesquisa, v. 14, p. 123-159, 2013.

TAKAHASHI, A. R. W.; FISCHER, A. L. Processos de aprendizagem organizacional no desenvolvimento de competências em instituições de ensino superior para a oferta de cursos superiores de tecnologia (CSTS). Revista de Administração Contemporânea, p. 818-835, 2010.

VERGARA, S. C. Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas, 2009.

VISSER, M. Gregory Bateson on deutero-learning and double bind: A brief conceptual history. Journal of the History of the Behavioral Sciences, v. 39, n. 3, p. 269-278, 2003.

WEICK, K.; WESTLEY, F. Aprendizagem Organizacional: confirmando um oximoro. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. (Org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2004.