Inovações em Organizações Públicas: estudo dos Fatores que Influenciam um Ambiente Inovador no Estado de Minas Gerais Outros Idiomas

ID:
38083
Resumo:
O objetivo deste trabalho é analisar o ambiente de inovação nas organizações públicas do Estado de Minas Gerais, sob a perspectiva dos gestores envolvidos em projetos estratégicos e arranjos institucionais voltados para a inovação. Para tal, analisou-se os fatores que influenciam a inovação no ambiente público, identificando pontos críticos a serem priorizados pela política de inovação do Estado, de forma a aperfeiçoá-la. Verificou-se que o grau de presença destes fatores é, em geral, baixo, embora os gestores tenham atribuído a eles elevada importância. Verificou-se, também, divergência de opiniões entre gestores por nível hierárquico quanto a importância e presença destes fatores.
Citação ABNT:
ARAÚJO, R. F.; ROCHA, E. M. P.; CARVALHAIS, J. N. Inovações em Organizações Públicas: estudo dos Fatores que Influenciam um Ambiente Inovador no Estado de Minas Gerais. Revista de Administração e Inovação, v. 12, n. 3, p. 7-27, 2015.
Citação APA:
Araújo, R. F., Rocha, E. M. P., & Carvalhais, J. N. (2015). Inovações em Organizações Públicas: estudo dos Fatores que Influenciam um Ambiente Inovador no Estado de Minas Gerais. Revista de Administração e Inovação, 12(3), 7-27.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/38083/inovacoes-em-organizacoes-publicas--estudo-dos-fatores-que-influenciam-um-ambiente-inovador-no-estado-de-minas-gerais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abrucio, F. L. (2007). Trajetória recente da gestão pública brasileira: um balanço crítico e a renovação da agenda de reformas [Edição especial]. Revista de Administração Pública (RAP), 41, 67-86.

Borins, S. (2008). The challenge of innovating in government. IBM Center for the Business of Government.

Carteira de Programas Estruturadores do Governo de Minas Gerais (2011-2014). Minas Gerais. Retirado de http://www.planejamento.mg.gov.br/governo/planejamento/ppag/ppag.asp.

Ferreira, R. A. (2012). Inovações em Organizações Públicas: estudo dos fatores que influenciam um ambiente inovador. FJP.

Klering, L. R., & Andrade, J. A. (2006). Inovação na Gestão Pública: compreensão do conceito a partir da teoria e da prática. In Jacobi, P., & Pinho, J. A. (Orgs.), Inovação no campo da gestão pública local: novos desafios, novos patamares. Rio de Janeiro: FGV.

Knox, S. (2002). The boardroom agenda: developing the innovative organization. Corporate Governance, 2 (1), 27-36.

Lei Delegada nº 180. (2011). Sobre estrutura orgânica da administração pública do poder executivo de Minas Gerais e outras disposições como e implementação da política de inovação do Estado. Minas Gerais. Retirado de http://www.almg.gov.br.

Martilla, J. A., & James, J. C. (1977) Importance-performance analysis. Journal of Marketing, 41(1), 77-79.

Moraes, M. V. E. Políticas inovadoras em gestão no Brasil. Ministério do Planejamento. Retirado de http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/seges/090729_SEGES_Arq_politicas _inovadora.pdf.

Motta, P. R. (1997). Transformação organizacional: a teoria e prática de inovar. Rio de Janeiro: Quality Mark.

Mulgan, G., & Albury, D. (2003). Innovation in the public sector. Cabinet: Office. Retirado de http://www.michaellittle.org/documents/Mulgan%20on%20Innovation.pdf.

Nesta. (2008). Innovation in Government Organizations, Public Sector Agencies and Public Service NOGOs. Retirado de http://api.ning.com/files/t3ZSopUVDgbrxgdKtSVTth4RYtQtOJ94sojoKkeCbAN1O3wHOkEuD8 UIDKBBI1dOA3udXfL7AVvGlI4yswQU31r0g4AQiOvL/41.InnovationinGovernmentOrganizatio nsPubilcSectorAgenciesandPublicServiceNGOsDunleavyetal.pdf.

Netto Machado, D. Del P. (2007). Organizações inovadoras: estudo dos fatores que formam um ambiente inovador. RAI – Revista de Administração e Inovação, 4(2), 5-28.

OCDE. (2004). Manual de Oslo. Proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovações tecnológicas.

Pereira, L. C. B. (1996). Administração Pública Gerencial: Estratégia e Estrutura para um Novo Estado. Texto para Discussão ENAP nº 9. Brasília: ENAP.

Polignano, L. C. (2009). A inovação e o novo contexto global. Revista IETEC.

Publin. (2005). Innovation in the public sector: on the differences between public and private sector innovation. Retirado de http://survey.nifu.no/step/publin/reports/d9differences.pdf

Queiroz, R. G. M., Ckagnazaroff, I. B. (2010). Inovação no setor público: uma análise do choque de gestão (2003-10) sob a ótica dos servidores e dos preceitos teóricos relacionados à inovação no setor público. RAP, 44(3), 679-705.

Relatório de Avaliação PPAG 2008-2011 (exercício 2010). Minas Gerais. Retirado de http://www.planejamento.mg.gov.br/governo/planejamento/ppag/ppag.asp.

Roste, R., Miles, I. L. (2005). Differences between public and private sector innovation. Publin Report nº D 9. NIFU STE, Oslo.

Soares, A. V. A. (2011). Inovação no setor público: obstáculos e alternativas. Retirado de www.administradores.com.br/informe-se/producao.../download.

Triola, M. F. (1998). Introdução à Estatística. Rio de Janeiro: Ed. LTC.

Van De Ven, A. H., & Angle, H. L. (1989). An Introduction to the Minnesota Innovation Research Program. In Van De Ven, A., Angle, H., & Poole, M. S. (Eds.). Research on the Management of Innovation: The Minnesota Studies. New York: Ballinger/Harper & Row.