Mulheres líderes: as desigualdades de gênero, carreira e família nas organizações de trabalho Other Languages

ID:
38917
Abstract:
Este estudo tem como objetivo mostrar o caminho percorrido pelas mulheres líderes na organização onde trabalham, investigando as dificuldades e desafios enfrentados por elas para a concretização dos projetos pessoais e profissionais. Para o embasamento teórico foram definidos os tópicos: Diversidade na liderança, que aborda o emprego dos atributos de ambos os gêneros na gestão das empresas e carreira, trabalho e família, que apresenta as novas configurações familiares e as transformações econômicas e sociais ocorridas no âmbito do trabalho. Para a coleta dos dados foram realizadas entrevistas individuais com seis gestoras. A análise dos diálogos se deu por meio de quatro categorias: planejamento de carreira; trabalho e família; estilo de liderança e características da liderança de gênero do ponto de vista do líder homem. Finalmente, os dados apontaram que a construção e o sucesso na carreira implicam muito estudo, esforço e autodesenvolvimento. Elas vivem o conflito do equilíbrio do pessoal com o profissional e preocupam-se em desempenhar bem as várias figuras – mulher, mãe, esposa e gestora. Apresentam características de sensibilidade, flexibilidade e parceria no trabalho em equipe, sendo exigentes e objetivas quando a situação obriga. Verifica-se a necessidade de maior observação nos estilos de liderança, associados à dicotomia dos perfis de comportamento masculino e feminino de gerenciar.
ABNT Citation:
CANABARRO, J. R. D. S.; SALVAGNI, J. Mulheres líderes: as desigualdades de gênero, carreira e família nas organizações de trabalho. Revista de Gestão e Secretariado, v. 6, n. 2, p. 88-110, 2015.
APA Citation:
Canabarro, J. R. D. S., & Salvagni, J. (2015). Mulheres líderes: as desigualdades de gênero, carreira e família nas organizações de trabalho. Revista de Gestão e Secretariado, 6(2), 88-110.
Permalink:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/38917/mulheres-lideres--as-desigualdades-de-genero--carreira-e-familia-nas-organizacoes-de-trabalho/i/en
Document type:
Artigo
Language:
Português
References:
Araújo, L. C. G; Carmo, M. S.; Matesco, K. (2013). Ações estratégicas: desafios e caminhos para a gestão contemporânea. São Paulo: Atlas.

Bardin, Laurence. (1995). Análise de conteúdo. Porto: Edições 70.

Bauer, M.; Gaskell, G. (2002). Pesquisa qualitativa: com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes.

Bruschini, C. (2000). Gênero e trabalho no Brasil: novas conquistas ou persistência da discriminação: In: Baltar da Rocha, M. I (org.) Trabalho e gênero: mudanças, permanências e desafios. São Paulo: Editora 34.

Bruschini, C. (2007). Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos. Cadernos de Pesquisa, vol. 37, n. 132, pp. 537-572.

Bruschini, C.; Puppin, A. B. (2004). O trabalho de mulheres executivas no Brasil no final do século XX. Cadernos de Pesquisa, vol. 34, n. 121, pp. 105-138, jan./abr.

Dutra, J. S. (2002). A gestão de carreira. In: Fleury, M. T. L. (org.). As pessoas na organização. São Paulo: Gente.

Fontenele-Mourão, T. M. (2006). Mulheres no topo de carreira: flexibilidade e persistência. Brasília, DF: Secretaria de Política para as Mulheres.

Galeazzi, I. (2001). Mulheres trabalhadoras: a chefia da família e os condicionantes de gênero. Mulher e Trabalho. Porto Alegre: FEE; FGTAS/Sine-RS; Dieese; Seade-SP; FAT, vol. 1, pp. 61-68.

Gil, A. C. (2006). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5a ed. São Paulo: Atlas.

Gill, R. (2003). Análise de Discurso. In: Bauer, M; Gaskell, G. Pesquisa qualitativa: com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes.

Hofmeister, D. L. F. (2009). Planejamento e desenvolvimento de carreira. Curitiba: Iesde Brasil.

Hunter, J. C. (2006). Como se tornar um líder servidor: os princípios de liderança de o monge e o executivo. Rio de Janeiro: Sextante.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2012). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – PNAD. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro.

Kanan, L. A. (2010). Poder e liderança de mulheres nas organizações de trabalho. Organização e sociedade, vol. 17, n. 53, p. 243-257.

Menda, P. B. (2004). Análise da dicotomia sofrimento e prazer na função gerencial feminina. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-graduação em Administração, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil.

Nicholson, Linda (2000). Interpretando o gênero. Revista Estudios Feministas, vol. 8, n. 2, Brasil, pp. 8-41.

Oliveira, D. P. R. (2009). Plano de Carreira: foco no indivíduo. São Paulo: Atlas.

Piscitelli, Adriana (2008). Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, vol. 11, n. 2, p. 263-274. Recuperado de http://www.revistas.ufg.br/index.php/fchf/article/view/5247/4295.

Robbins, S. P.; Decenzo D. A.; Wolter, R. M. (2013). Fundamentos de gestão de pessoas. São Paulo: Saraiva.

Rocha-Coutinho, M. L.; Coutinho, R. R. (2011). Mulheres brasileiras em posições de liderança: Novas perspectivas para antigos desafios. Economia Global e Gestão, Lisboa, vol. 16, n. 1, abr.

Roudinesco, E. (2003). A Família em Desordem. Rio de janeiro: Jorge Zahar.

Santana, E. L. F. F. (2014). Família monoparental feminina: Fenômeno da contemporaneidade? POLÊMICA: Laboratório de Estudos Contemporâneos. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, p. 1225-1236.

Santos, J. C. S. (2014). Masculinidades, feminilidades e androginia: uma análise interpretativa sobre a construção social de gêneros e suas implicações para o exercício da liderança no Poder Judiciário de Rondônia. 2013. Tese (Doutorado em Administração), Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Silva, M. A. (2000). Todo poder às mulheres: esperança de equilíbrio para o mundo. São Paulo: Best Seller.

Simões, F. I. W.; Hashimoto, F. (2012). Mulher, mercado de trabalho e as configurações familiares do século XX. Revista Vozes dos Vales, vol. 1, n. 2, Out.

Tadeucci, M. R. (2009). Motivação e liderança. Curitiba: Iesde Brasil S. A.; 2009.