Viabilidade econômica do cultivo de bromélias no Estado do Paraná Outros Idiomas

ID:
39069
Resumo:
Apresenta-se resultado da avaliação de viabilidade econômica para o cultivo de bromélias em três padrões de investimento em cultivo e nos preços praticados pelo mercado atacadista e varejista aos produtores de bromélias, a partir da coleta de dados básicos em entrevistas a distintos atores da cadeia produtiva da floricultura. A simulação ocorreu baseada em taxa equivalente a 7,71% ao ano, prazo de pagamento em seis anos, após o término do período de carência (quatro anos). Evidenciou-se que o longo ciclo da planta determinou elevados períodos de tempo de retorno do capital investido (Payback time). O elevado custo das estruturas de produção (estufas) foi detectado como maior limitador no nível de viabilidade econômica da atividade. A partir do preço de venda de R$ 10,00 a atividade seria economicamente viável em todas as classes avaliadas. Os melhores resultados do valor presente líquido e índice de lucratividade foram obtidos no sistema de produção com padrão de cultivo mínimo por exigirem menor investimento em estruturas de produção, custeio da safra e despesas operacionais. Dados os elevados custos para implantação de cultivos de bromélias, o financiamento da produção pode representar a alternativa única de ampliação da produção ou ainda de novos produtores se inserirem na atividade.
Citação ABNT:
ANACLETO, A.; NEGRELLE, R. R. B. Viabilidade econômica do cultivo de bromélias no Estado do Paraná. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 13, n. 2, p. 75-95, 2015.
Citação APA:
Anacleto, A., & Negrelle, R. R. B. (2015). Viabilidade econômica do cultivo de bromélias no Estado do Paraná. Revista Capital Científico - Eletrônica, 13(2), 75-95.
DOI:
10.5935/2177-4153.20150014
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/39069/viabilidade-economica-do-cultivo-de-bromelias-no-estado-do-parana/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANACLETO, A. Bromélias no Paraná: Cultivo, extrativismo e comercialização. (Tese, Departamento de Fitotecnia) UFPR: Curitiba, 2011.

ANACLETO, A.; NEGRELLE, R. R. B. Comércio de bromélias no Paraná. Ceres, v. 60, n. 2, p. 43-52, 2013.

ANACLETO, A.; NEGRELLE, R. R. B. Extrativismo de rametes e propagação vegetativa de Aechmea nudicaulis (l.) Griseb. (Bromeliaceae). Scientia Agrária, v. 10, n. 1, p. 85-88, 2009.

ANACLETO, A.; NEGRELLE, R. R. B.; KOEHHLER, H. S. Germinação de Aechmea nudicaulis (L.) Griseb. (Bromeliaceae) em diferentes substratos alternativos ao pó de xaxim. Acta Scientiarum Agronômica, v. 30, n. 1, p. 73-79, 2008.

ANACLETO, A.; NEGRELLE, R. R. B. Produção de bromélias no Paraná. Revista Brasileira de Horticultura ornamental, v. 19, n. 1, p. 121-136, 2013.

ANDRADE, L. M. F. S. Conflitos internacionais: o confronto entre países desenvolvidos e em desenvolvimento devido aos subsídios agrícola. Debate Virtual, v. 116, n. 1, p. 2-15, 2010.

ANEFALOS, L. C.; TOMBOLATO, A. F. C.; RICORDI, A. Panorama atual e perspectivas futuras da cadeia produtiva de flores tropicais. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, v. 16, p. 107-111, 2010.

BANCO DO BRASIL. BNDES automático. Disponível em: www.bb.com.br. acesso em 5 de agosto de2011.

BNDES. BNDES Florestal. www.bndes.gov.br. acesso em 3 de outubro de2010.

CARNEIRO, J. M.; MALUF, R. Para além da produção: multifuncionalidade e agricultura familiar. Rio de Janeiro: MAUAD, 2003.

CASAROTTO FILHO, N. Elaboração de projetos Empresariais: Análise estratégica, estudo de viabilidade e plano de negócio. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

DEMARCO. D. J.; MAGALHÃES, R. S. Negociações agrícolas na ALCA, União Européia e OMC: O que pensa o setor privado. In: Agricultura, meio ambiente e acesso ao mercado internacional: para quê e para quem? Cap 6. Rio de janeiro: ActionAid Brasil. 2002. p. 131-144.

FAO – Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. Non-wood forest products for rural income and sustainable development. Non Wood Forest Products, Roma (Itália), n. 7, 1995.

JUNQUEIRA, A. H.; PEETZ, M. S. Mercado interno para os produtos da floricultura brasileira: Características, tendências e importância socioeconômica recente. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, v. 14, n. 1, p. 37-52, 2008.

JUNQUEIRA, A. H.; PEETZ, M. S. Os polos da produção de flores e plantas ornamentais do Brasil: Uma análise do potencial exportador. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, v. 8, n. 1/2, p. 25-47, 2002.

KOTLER, P.; KELLER, K. Marketing Management. Upper Saddle River, N. J.: Prentice-Hall, 2012.

McNELLY, J.; SCHERR, S. Ecoagricultura: alimentação do mundo e biodiversidade. São Paulo: SENAC, 2009.

MEADOWCROFT, J. The Politics of Sustainable Development: Emergent Arenas and Challenges for Political Science. International Political Science Review, v. 20, n. 2, 1999.

NEGRELLE, R. R. B.; ANACLETO, A. Bromeliads wild harvesting in State of Paraná. Ciencia Rural, v. 42, n. 6, p. 981-986. 2012.

NEGRELLE, R. R. B.; MITCHELL, D.; ANACLETO, A. Bromeliad ornamental species: conservation issues and challenges related to commercialization. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 34, n. 1, p. 91-100, 2011.

NEPSTAD, D. C.; SCHWARTZMAN, S. Non timber forest products from tropical forests . Evaluation of a conservation and development strategy. Advances in: Economic Botany, v. 9, p.1-176, 1992.

PAULA, C. C.; SILVA, H. M. P. Cultivo Prático de Bromélias. Viçosa: UFV, 2004.

PENTEADO JUNIOR, J. F.; DE MIO, L. L.; MONTEIRO, L. B.; GAYER NETO, W. Apropriação e análise de custos em pomar de pessegueiro. Scientia Agraria, v. 9, p. 117-122, 2008.

PONCIANO, J. N.; CONSTANTINO, C. O. R.; SOUZA, P. M.; DETMANN, E. Avaliação econômica da produção de abacaxi (Ananas comosus l.).Cultivar perola na região Norte fluminense. Revista Caatinga, v. 19, n. 1, p. 82-91, 2006.

PORTER, M. Vantagem competitiva. 2 ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Simples nacional. Disponível em: http://www.receita.fazenda.gov.br. Acesso em 10 de abril de2008.

ROSS, S.; WESTERFIELD W. R.; JAFFE, F. F.; BRANDFORD. D. J. Corporate finance. 7 ed. Londres: McGraw-hill, 2007.

SACHS, I. Rumo à ecossocio economia: teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2007.

SEBRAE. Ponto de partida para inicio de negocio: Cultivo de bromélia. Belo Horizonte: Sebrae, 2006.

SPOLADOR, H. F. S.; MELO, F. B. H. O mercado de crédito e a experiência brasileira de financiamento da agricultura. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 41, n. 3, p. 9-28, 2003.