Influência do Marketing Social na Imagem Corporativa Outros Idiomas

ID:
39128
Resumo:
Hoje, as empresas se preocupam em demonstrar afinidade com consumidores interessados em causas sociais. Estudos afirmam que houve aumento na responsabilidade social das empresas e que a atitude empresarial afeta a vontade de compra dos consumidores. Este artigo analisa em que medida o marketing social influencia na imagem corporativa, e busca identificar os principais fatores que influenciam na imagem corporativa das empresas que investem em marketing social e verificar a correlação entre os diferentes fatores que influenciam na imagem corporativa. Trata-se de estudo exploratório, quantitativo, pelo método levantamento de campo, com a aplicação de questionário auto administrado e amostra de 220 universitários. Os dados foram analisados por meio de testes estatísticos de correlação de Spearman, Mann-Whitney e Wilcoxon W. Os resultados inferem correlação linear significativa entre marketing social e fatores que influenciam na imagem corporativa, mas não apontam correlação linear significativa entre os fatores que influenciam na imagem corporativa, investimento em marketing social e a frequência de uso de produtos. O estudo apontou que marketing social é um fator de influência com baixa relevância na imagem corporativa, e que os fatores de influência mais importantes são qualidade e preço.
Citação ABNT:
MONKEN, S. F.; SARQUIS, A. B.; TONDOLO, V. A. G.; LIMA, M. A. Influência do Marketing Social na Imagem Corporativa. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 14, n. 4, p. 119-134, 2015.
Citação APA:
Monken, S. F., Sarquis, A. B., Tondolo, V. A. G., & Lima, M. A. (2015). Influência do Marketing Social na Imagem Corporativa. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 14(4), 119-134.
DOI:
10.5585/ijsm.v14i4.2268
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/39128/influencia-do-marketing-social-na-imagem-corporativa/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Albino, A. et al. (2013). Responsabilidade social corporativa e uso de iniciativas de marketing para o bem estar da sociedade: estudo no APL Moveleiro de Ubá. Revista de Administração da UEG, 3(2), 43.

Andreasen, B.; Kotler, P. (1991). A framework for marketing image management. Sloan management review, 32(2), 94-104.

Bloom, P.; Hoeffler, S.; Keller, K.; Meza, C. (2012). How social-cause marketing affects consumer perceptions image. Disponível em http://sloanreview.mit.edu/article/howsocialcause-marketing-affects-consumerperceptions/. Acesso em 15 mar. 2015.

Brenkert, G. (2002). Ethical challenges of social marketing. Journal of Public Policy and Marketing, (Spring). 2002.

Brunk, K. (2010). Exploring origins of ethical company/brand perceptions: a consumer perspective of corporate ethics. Journal of Business Research, 63(3), 255-262.

Camargo, M. (2001). Gestão do terceiro setor no Brasil. São Paulo: Futura.

Carroll, A.; Buchholtz, A. (2014). Business and society: ethics, sustainability, and stakeholder management. London: Cengage Learning.

Churchill J.; Gilbert A.; Peter, J. (2000). Marketing: criando valor para os clientes São Paulo: Saraiva.

Collis, J.; Hussey, R. (2005). Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Porto Alegre: Bookman.

Crivelaro, R. (2003). Comunicação mobiliza, campanhas informam. São Paulo: Socialtec.

Da Silva, F. et al. (2012). Análise das estratégias de marketing associadas a causas sociais: um estudo na cidade de Belo Horizonte. Revista da Faculdade de Administração e Economia, 3(2), 32-55.

De Oliveira, F. (2006). Estratégias de responsabilidade social corporativa: um estudo sobre os 231 casos concretos do Instituto Ethos. RECADM, 5(1), 1-14.

Fontes, M. (2001). Enfim, marketing social resgatado. . Consultado em 10/11/2013.

Froemming, L.; Souza, N. (2013). A responsabilidade social corporativa e a importância do marketing social. Revista de Administração, 8(15), 69-84.

Garay, A. (2001). Programa de voluntariado empresarial: modismo ou elemento estratégico para as organizações? Revista de Administração da Faculdade de Economia e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 36(3), 10.

Grönroos, C. (1995). Marketing: gerenciamento de serviços: a competição por serviços na hora da verdade. Rio de Janeiro: Campus.

Hair, J.; Black, B.; Babin, B.; Anderson, R.; Tatham, R. (2009). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Handelman, J. et al. (1999). The role of marketing actions with a social dimension: appeals to the institutional environment. Journal of Marketing, v. 63, p. 33-48.

Higuchi, A.; Vieira, F. (2012). Responsabilidade social corporativa e marketing social corporativo: uma proposta de fronteira entre estes dois conceitos. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, 34(1), 31-40.

Ikeda, A.; Campomar, M.; Miuri, I. (2000). Combate ao desperdício da energia elétrica: um caso de marketing societal. Revista de Administração da Faculdade de Economia e Contabilidade da USP, 35(1), 5-7.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (IBGE). Disponível em: . Acesso em: 15 nov.2003.

Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social [ETHOS]. (2015). Disponível em http://fenix.ethos.org.br/ListaAssociadasPorPorteEstado.aspx Acesso em 15. Mar.2015.

Kloppenborg, T. J.; Tesch, D. (2015). How Executive Sponsors Influence Project Success. MIT Sloan Management Review, 56(3), 27.

Kotler, P. (1978). Marketing para as organizações que não visam lucro. São Paulo: Atlas.

Kotler, P.; Fox, K. (1994) Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo: Atlas.

Kotler, P.; Roberto, E. (1992). Marketing social: estratégias para alterar o comportamento do público. Rio de Janeiro: Campus.

Lee, N.; Kotler, P. (2011). Social marketing: Influencing behaviors for good. New York: Sage.

Maon, F.; Lindgreen, A.; Swaen, V. (2010). Organizational stages and cultural phases: a critical review and a consolidative model of corporate social responsibility development. International Journal of Management Reviews, 12(1), 20-38.

Marin, E.; Amaral, M. (2012). A responsabilidade social e o marketing: reflexos na atitude e na lealdade do consumidor de supermercados em São Paulo-SP. Revista Alcance, 19(1), 24-34.

Mazutis, D.; Slawinski, N. (2014). Reconnecting Business and Society: Perceptions of Authenticity in Corporate Social Responsibility. Journal of Business Ethics. 131(1), 137-150

Mejri, M.; De Wolf, D. (2012). Analysis of retailers' communication approaches in sustainability and social responsibility reports. International Journal of Marketing Studies, 4(2), 30-44.

Melo Neto, F. (2001). Gestão de responsabilidade social corporativa. Rio de Janeiro: QualityMark.

Mendonça, P. (2000). O marketing e sua relação com o social: dimensões conceituais e estratégicas. In: Anais do Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração – Enanpad: ed. Enanpad, Florianópolis.

Moretti, S.; Figueiredo, J. (2008). Análise bibliométrica da produção sobre responsabilidade social das empresas no Enanpad: evidências de um discurso monológico Revista de Gestão Social e Ambiental, 1(3), 21-38.

Nascimento, C.; Jimenez, G.; Campomar, M. (2014). A rede social como fonte de informação para o processo de decisão de compra. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 6(2), 30-47.

Nomura, J.; De Souza, M. (2007). A critic revision of the social marketing concept. Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM), 3(1), 45-52.

Novais, F. et al. (2010). Marketing relacionado as causas como vantagem competitiva: um estudo com jovens universitários na cidade de Belo Horizonte. SEMEAD–Seminários em Administração, (13).

Patino, A.; Kaltcheva, V.; Pitta, D.; Sriram, V.; Winsor, R. (2014). How important are different socially responsible marketing practices?An exploratory study of gender, race, and income differences. Journal of Consumer Marketing, 31(1), 2-12.

Peloza, J.; Shang, J. (2011). How can corporate social responsibility activities create value for stakeholders?A systematic review. Journal of the Academy of Marketing Science. 39 (117), 117-135.

Pozo, H.; Tachizawa, T. (2012). Responsabilidade social corporativa e marketing social: um estudo exploratório em empresas para o fortalecimento do turismo na região da baixada santista (São Paulo/BR). Guia de Estilo para Autores, (10), 357.

Pringle, H.; Thompson, M. (2000). Marketing social: marketing para causas sociais e a construção das marcas. São Paulo: Makron Books.

Quelch, J.; Rangan, V. K. (2003). Lucre globalmente, doe globalmente. Harvard Business Review, 81(12), 8-9.

Rabaça, C.; Barbosa, A. (1996). Marketing: segredos e estratégias. São Paulo: Saraiva.

Richardson, R. (2008). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Siegel, S. (1975). Estatística não-paramétrica para as ciências do comportamento. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

Silva, R.; Chauvel, M. (2011). A responsabilidade social das empresas e seus efeitos no comportamento do consumidor: um estudo qualitativo. Revista de Gestão Social e Ambiental, 5(2), 172-186.

Silva, R.; Motta, P. (2014). Os efeitos do causerelated marketing no comportamento do consumidor. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 8(2), 18-34.

Stanton, W. (1980). Fundamentos de marketing. São Paulo: Pioneira

Tavares, M. (1998). A força da marca. São Paulo: Harbra.

Vieira, F.; Higuchi, A.; Schneider-de-Oliveira, R.; Corrêa, P. (2007). Marketing social corporativo: estado-da-arte e proposição de um modelo conceitual. Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração, v. 31, p. 1-6.

Weinreich, N. (2011). Hands-On Social Marketing: A Step-by-Step Guide to Designing Change for Good. SAGE Publications Inc.

Wilmer, W.; Basi, D. (2007). Social Marketing: Advances in Research and Theory. Journal of Non-Profit & Public Sector Marketing, v. 17, p. 1-2.

Wu, S.; Wang, W. (2014). Impact of CSR perception on brand image, brand attitude and buying willingness: a study of a global café. International Journal of Marketing Studies, 6(6), 43.