Estratégias Viabilizadas por uma Instituição de Ensino Superior Privada na Implantação do Ensino à Distância: um Estudo de Caso Outros Idiomas

ID:
39277
Resumo:
A estratégia tem se constituído em fator preponderante na gestão das instituições universitárias. Este artigo tem o objetivo de analisar as estratégias utilizadas para a implantação da modalidade do ensino a distância - EAD em uma instituição de ensino superior privada, desta forma o estudo teve como foco a pesquisa qualitativa. A metodologia adotada para a coleta de dados se deu através do uso da técnica de entrevistas individuais gravadas, aplicada a cinco pessoas consideradas estratégicas, por terem participado de todo o processo de estudos e implantação do EAD na instituição. A gravação da entrevista se fez necessária para posterior transcrição e análise dos dados através da Técnica da Análise de Conteúdo. Perceber a estratégia utilizada pela instituição permitiu analisar seus pontos fortes e fracos, no contexto interno, bem como as vantagens competitivas que a fortalecem quando utiliza oportunamente as ameaças proporcionando agilidade e ganhos em seu favor.
Citação ABNT:
CAPPONI, N. F.; ASTA, D. D. Estratégias Viabilizadas por uma Instituição de Ensino Superior Privada na Implantação do Ensino à Distância: um Estudo de Caso. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 5, n. 2, p. 226-239, 2015.
Citação APA:
Capponi, N. F., & Asta, D. D. (2015). Estratégias Viabilizadas por uma Instituição de Ensino Superior Privada na Implantação do Ensino à Distância: um Estudo de Caso. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 5(2), 226-239.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/39277/estrategias-viabilizadas-por-uma-instituicao-de-ensino-superior-privada-na-implantacao-do-ensino-a-distancia--um-estudo-de-caso/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANDREWS, K. R. The concept of corporate strategy. In: MCKIERNAN, Peter (Ed.). Historical Evolution of Strategic Management. Reino Unido: Brookfield Darmouth Publishing Company, 1996. (V. I, p. 15-44)

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BAUER, Ruben. Gestão da mudança: caos e complexidade nas organizações. São Paulo: Atlas, 1999.

BEUREN, Ilse Maria (Org.). Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade. 3. ed. São Paulo: Atlas. 2010.

BRASIL. Decreto n/3.860, de 9 de julho de 2001. Dispõe sobre a organização do ensino superior, a avaliação de cursos e instituições, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 jul. 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov. br/sesu/arquivos/pdf/DecN3860.pdf. Acesso em: 29 set. 2013. 2001.

BRASIL. Lei n/9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/topicos/11683597/artigo-80-da-lei-n-9394-de-20-de-dezembro-de-1996. Acesso em: 29 set. 2013. 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº. 335, de 6 de fevereiro de 2002. Relatório da comissão assessora para educação superior à distância. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/EAD.pdf. Acesso em: 29 set. 2013.

COHEN, M. D. et al. A garbage can model of organizational choice. Administrative Science Quartely, v. 17, p. 1-25, 1972.

FIDELIS, Joubert Roberto Ferreira; BARBOSA, Ricardo Rodrigues. A competência informacional e sua influência na percepção de variáveis organizacionais estratégicas em IES privadas. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 2, p. 27-39, 2012.

GODOY, Arilda S. A Pesquisa qualitativa e sua utilização em administração de empresas. ERA, São Paulo, v. 35, n. 4, p. 65-71, jul./ago. 1995.

GOMES, R. C. et al. Comunicação multidirecional: um ambiente de aprendizagem na educação à distância. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, São Paulo, 2000. Anais... São Paulo: ABED, 2000. Disponível em: http://www.abed.org.br/site/pt/. Acesso em: 30 set.2013. 2000.

INEP – Legislação e normas da educação superior. Disponível em: http://portal.inep. gov.br/ead-2009-2010. Acesso em: 29 set.2013.

MEYER JUNIOR, Victor; MUGNOL, Gisele. Competição e estratégia no contexto das instituições de ensino superior privadas. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n. 11, p 153-156, jan. /abr. 2004.

MEYER JUNIOR, Victor; PASCUCCI, Lucilaine; MANGOLIN, Lúcia. Gestão estratégica: um exame de práticas em universidades privadas. RAP, Rio de Janeiro, v. 46, n. 1, p. 49-70, jan./fev. 2012.

MEYER JUNIOR, Victor. Planejamento universitário: ato racional, político ou simbólico: um estudo de universidades brasileiras. Revista Alcance, v. 12, n. 3, p. 373-389, set./dez. 2005.

MILES, Raymond; SNOW, Charles C. Organizational strategy, structure, and process. New York: McGraw-Hill. 1978.

MINTZBERG, Henry. Ascensão e queda do planejamento estratégico. Revista Exame, São Paulo, p. 70-72, set. 1994.

MINTZBERG, Henry; MCHUGH, A. Stratgy formulation in an adhocracy. Administrative Science Quarterly, v. 30, p. 160-197, 1985.

MORGAN, Gareth. Imagens da organização. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2002.

MORIN, Edgar. O Desafio da complexidade. Rio de Janeiro: Bertrand, 2003. p. 175-193.

PEREIRA, Viviane S.; ANTONIALLI, Luiz M. Ensino a distância: Estratégias de uma Universidade Federal. CONTEXTUS – Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 9, n. 1, jan./jun. 2011.

PONCHIROLLI, Osmar. The theory of the complexity and the organizations. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 7, n. 22, p. 81-100, set./dez. 2007.

PORTER, M. E. The contributions of industrial organization to strategic management. Academy of Management Review, v. 6, p. 609-620, 1981.

PORTO, Claudio. Uma introdução ao planejamento estratégico. 2004. Disponível em: http://www.senac.br/BTS/242/boltec242a.htm Acesso em: 27 set. 2013. 2004.

PRIM, Carlos H. et al. A Teoria das organizações e a evolução do pensamento científico. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 32.; Rio de Janeiro, 2008. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

QUINN, J. B. Strategic change: 'Logical incrementalism'. Sloan Management Review, v. 20, p. 7-21, 1989.

STACEY, Ralph D. Deterministic networks: Chaos and dissipative structures. San Francisco: Berrett-Koehler, 1996.

STACEY, Ralph D.; GRIFFIN, Douglas; SHAW, Patricia. Complexity and management: Fad or radical challenge to systems thinking? New York: Routledge, 2000.

UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL – UAB. Disponível em: www.uab.mec.gov.br/cursopiloto.php. Acesso em: 25 set. 2013.

VIZEU, Fabio; GONÇALVES, Sandro A. Pensamento estratégico, origens, princípios e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2010.

WARNER, C. Qualitative Interviewing. In: GUBRIUM, J.; HOLSTEIN, J. (Eds.). Handbook of Interview Research. [S.l.]: SAGE, 2002. Cap. 4.

WEICK, Karl E. Educational organizations as loosely coupled systems. Administrative Science Quaterly, v. 21, p. 1-19, 1976.