Empreendedorismo e Economia Solidária: um Ensaio de Suas Convergências e Divergências Outros Idiomas

ID:
40133
Resumo:
Schommer e França Filho (2008) afirmam que “a magia do empreendedorismo” é incapaz de gerar emprego formal para todos e apresentam a economia solidária como uma alternativa a esse cenário. Nesse sentido a pergunta que orienta este trabalho é: economia solidária é diferente de empreendedorismo, ou é mais do mesmo? Diante dessa indagação, o objetivo foi verificar as convergências e divergências entre empreendedorismo e economia solidária. Para tanto, uma revisão bibliográfica sobre as principais características da economia solidária e do empreendedorismo é realizada, passando pelo tema empreendedorismo social. Depois, se discutem as interseções e diferenças entre eles. O que se observou foi que há sobreposições entre os domínios do empreendedorismo tradicional, o empreendedorismo social e a economia solidária. O objetivo da economia solidária e do empreendedorismo estão relacionados ao desenvolvimento, apesar de distinguirem-se quanto ao local de atuação e a forma de distribuição dos dividendos.
Citação ABNT:
ANDRADE, D. C. T.; COSTA, D. M. D.; VASCONCELOS, V. N. S. A.; RAMOS, H. R. Empreendedorismo e Economia Solidária: um Ensaio de Suas Convergências e Divergências. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da FUNDACE, v. 7, n. 1, p. 175-186, 2016.
Citação APA:
Andrade, D. C. T., Costa, D. M. D., Vasconcelos, V. N. S. A., & Ramos, H. R. (2016). Empreendedorismo e Economia Solidária: um Ensaio de Suas Convergências e Divergências. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da FUNDACE, 7(1), 175-186.
DOI:
http://dx.doi.org/10.13059/racef.v7i1.185
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40133/empreendedorismo-e-economia-solidaria--um-ensaio-de-suas-convergencias-e-divergencias/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVORD, S. A.; BROWN, L. D.; LETTS, C. W. Social entrepreneurship and societal transformation: an exploratory study. The Journal of Applied Behavioral Science, v. 40, n. 3, p. 260-282, 2004.

ARRUDA, M. ¿Qué es la economía solidaria?el renacimiento de una sociedad humana matrística. Ecología política: cuadernos de debate internacional, n. 27, p. 71-75, 2004.

ARRUDA, M. Sócio economia solidária. A outra economia. Porto Alegre: Veraz editores, p. 232-241, 2003.

ARRUDA, M. Tornar real o possível, a formação do ser humano integral: economia solidária, desenvolvimento e o futuro do trabalho. Vozes, 2006.

BARROS, A.; MIRANDA, C. M. Empreendedorismo e crescimento econômico: uma análise empírica. Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 4, p. 975-993, 2008.

BLAIS, R. A.; DOYLE, D. J.; GILSIG, T.; HEFFERNAN, G. D.; LAMARRE, B.; LYRETTE, B.; MAHER, P. M.; PARADI, J. C.; Technological Entrepreneurship in Canada, The Canadian Academy of Engineering Press: Ottawa, 1997.

BORNSTEIN, D. How to change the world: social entrepreneurs and the power of new ideas. New York: Oxford University Press, 2004.

BURRELL, G.; MORGAN, G. Sociological paradigms and organisational analysis. London: Heinemann, 1979.

CRUZ, N. M.; ESCUDERO, A. I. R.; BARAHONA, J. H.; LEITAO, F. S. The effect of entrepreneurship education programmes on satisfaction with innovation behaviour and performance. Journal of European Industrial Training, v. 33, n. 3, p. 198-214, 2009.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Reduzir a jornada de trabalho é gerar empregos de qualidade. Nota Técnica, n. 57. Novembro de 2007. Disponível em . Acesso em 10 de julho de 2015. 2007.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2001.

DRUCKER, P. F. Management: The Problems of Success. (Keynote Address at 50th Anniversary Meeting of the Academy of Management, Chicago, Illinois, August 14, 1986). The Academy of Management Executive, v. 1, n. 1, p. 13-19, 1987.

FILION, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 34, n. 2, 1999.

FILION, L. J. O empreendedorismo como tema de estudos superiores.Empreendedorismo, Ciência, Técnica e Arte. 1ª ed. Brasília: CNI. IEL Nacional, 2000.

FISCHBORN, M. L. N. Empreendedorismo nas Instituições de Ensino Superior do Estado de Santa Catarina, Brasil. 2004. 162 f. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Regional de Blumenau, Blumenau. 2004.

FRANÇA FILHO, G. C. A via sustentável-solidária no desenvolvimento local. Revista Organizações & Sociedade, v. 15, n. 45, p. 219-232, 2014.

FRANÇA FILHO, G. C. de. Gestão Social: um conceito em construção. In Colóquio Internacional sobre Poder Local, 9,2003, Salvador. Anais...; Salvador: CIAGS/UFBA, 2003.

FRANÇA FILHO, G. C. Definido Gestão Social. In: SILVA JR, J. T.; MÂISH, R. T.; CANÇADO, A. C. Gestão Social: Práticas em debate, teorias em construção. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2008.

FRANÇA FILHO, G. C. Terceiro setor, economia social, economia solidária e economia popular: traçando fronteiras conceituais. Revista Bahia Análise & Dados, v. 12, n. 1, p. 9-19, 2002.

GAIGER, L. I. A economia solidária e o projeto de outra mundialização. Revista Dados, v. 47, n. 4, p. 799-834, 2004.

GAIGER, L. I. G. A economia solidária diante do modo de produção capitalista. Caderno CRH, Salvador, n. 39, 2003.

GAIGER, L. I. G. Sentidos e experiências da economia solidária no Brasil. Editora da UFRGS, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004.

GOMES, A. F. O empreendedorismo como uma alavanca para o desenvolvimento local. REA - Revista Eletrônica de Administração, v. 4, n. 2, p. 1-14, 2011.

GRANEMANN, S. Políticas sociais e serviço social. In: REZENDE, I. ; CAVALCANTI, L. F. (Org.). Serviço social e políticas sociais. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2006. (Série Didáticos).

KANAN, L. A.; ARRUDA, M. P. The work organization in the digital era. Revista Estudos de Psicologia, v. 30, n. 4, p. 583-591, 2013.

KRAYCHETE, G. Políticas de apoio aos empreendimentos da economia solidária. Exposição realizada no II Congresso das ITCP’ s – USP, 14/dezembro/ 2008.

LECHAT, N. M. P. Economia social, economia solidária, terceiro setor: do que se trata? Civitas - Revista de Ciências Sociais, v. 2, n. 1, p. 123-140, 2002.

LEITE, A. F. M. Empreendedorismo feminino: uma análise a partir das perspectivas da educação e das relações de gênero. 2011. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós - Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa – Paraíba.

MELO NETO, F.; FROES, C. Empreendedorismo social: a transição para a sociedade sustentável. Qualitymark Editora Ltda, 2002.

NASSER, J. M. Comunidades de desenvolvimento. Curitiba: Avia Internacional, 2002.

NOVAES, M. B. C.; GIL, A. C. A pesquisa-ação participante como estratégia metodológica para o estudo do empreendedorismo social em administração de empresas. Revista de Administração Mackenzie, v. 10, n. 1, p. 134-160, 2009.

OLIVEIRA, E. M. Empreendedorismo social no Brasil: atual configuração, perspectivas e desafios– notas introdutórias. Rev. FAE – Revista Faculdade de Administração e Economia, v. 7, n. 2, p. 9-18, 2004.

PAULA, J. A.; CERQUEIRA, H. E. G.; ALBUQUERQUE, E. M. Trabalho e conhecimento: lições de clássicos para a análise do capitalismo contemporâneo. Revista Estudos econômicos, v. 30, n. 3, p. 419-445, 2000.

POCHMANN, M. Educação e trabalho: como desenvolver uma relação virtuosa. Revista Educação e Sociedade, v. 87, n. 25, p. 383-399, 2004.

SCHOMMER, P. C.; FRANÇA FILHO, G. C. Gestão social e aprendizagem em comunidades de prática: interações conceituais e possíveis decorrências em processos de formação. Gestão social: práticas em debate, teorias em construção. Fortaleza: UFC, p. 61-86, 2008.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, p. 125-132, 1982.

SCHÜTZ, R. Economia Popular Solidária: novos desafios para a educação popular. In: Série Le Monde Diplomatique Brasil. (Org.). Desafios da economia solidária. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008, v. 04, p. 19-52.

SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA – SENAES; Atlas da Economia Solidária no Brasil. Brasília: MTE. 2006. Disponível em . Acesso em 10 de julho de. 2006.

SEELOS, C.; MAIR, J. Social entrepreneurship: Creating new business models to serve the poor. Business horizons, v. 48, n. 3, p. 241-246, 2005.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE. Anuário do trabalho 2008. Brasília. Disponível em . Acesso em 10 de julho de 2015.

SINGER, P. Economia solidária. Revista Estudos avançados, v. 22, n. 62, p. 289-314, 2008.

SINGER, P. I.; SOUZA, A. R. (Ed.). A economia solidária no Brasil: a autogestão como resposta ao desemprego. Editora Contexto, 2000.

SINGER, P. Introdução à economia solidária. Fundação Perseu Abramo, 2002.

SOUZA, S.; CARVALHO NETO, A. Productive restructuring, labour and local development strategies based on the New Regionalism Theory. Cadernos EBAPE. BR, v. 7, n. 2, p. 270-293, 2009.

VALE, G. M. V. Novos agentes em ação. Revista Rumos do Desenvolvimento, p. 34, out. 2000.

VALE, G. M. V. Reinventando o espaço para a construção de territórios competitivos. In: LAGES, V. ; BRAGA, C.; MORELLI, G. Territórios em movimento: cultura e identidade como estratégia de inserção competitiva. Brasília: Relume Dumará, 2004. p. 301-323.

VALE, G. M. V.; AMÂNCIO, R; LIMA, J. B. Criação e gestão de redes: uma estratégia competitiva para empresas e regiões. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 41, n. 2, p. 136-146, 2006.