'Água de lona' e 'sangue de serragem' nos discursos de sujeitos circenses Outros Idiomas

ID:
40276
Resumo:
Este artigo tem como objetivo apresentar como são construídos os discursos sobre a identidade social de circenses e fazer uma reflexão sobre o que tais discursos buscam legitimar e produzir em termos de verdade para os atores sociais estudados. Tem como base uma pesquisa de campo com circenses entrevistados em 31 circos itinerantes. Baseamo-nos em Woodward (2005) e Souza e Carrieri (2012) para efetuar a análise da identidade como resultado, ato de criação linguística, produto cultural e social; e em Foucault (1969; 1975; 1976; 1984a; 1984b; 2003; 2004; 2010) no entendimento das identidades como produtos das relações de poder. Adotamos a perspectiva da apreensão das identidades individuais e coletivas nas práticas discursivas, por meio do reconhecimento de padrões de práticas enunciativas comuns aos indivíduos, de Souza e Carrieri (2012). Metodologicamente, trabalhamos com a Análise Crítica do Discurso (ACD) (FAIRCLOUGH, 1992). Dois grandes percursos semânticos foram identificados: o da origem circense e o da tradição, explicitando o desejo do circense de se diferenciar do outro por meio de elementos genealógicos, como “sangue de serragem” e, também, do modo de existência, como em “água de lona”. Reconhecer o cotidiano dos circos e os enunciados discursivos que se ressignificam constantemente, permite apreender essas organizações que têm se reproduzido no tempo e no espaço da contemporaneidade.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
AGUIAR, A. R. C.; CARRIERI, A. P. 'Água de lona' e 'sangue de serragem' nos discursos de sujeitos circenses. Organizações & Sociedade, v. 23, n. 77, p. 247-262, 2016.
Citação APA:
Aguiar, A. R. C., & Carrieri, A. P. (2016). 'Água de lona' e 'sangue de serragem' nos discursos de sujeitos circenses. Organizações & Sociedade, 23(77), 247-262.
DOI:
10.1590/1984-9230774
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40276/-agua-de-lona--e--sangue-de-serragem--nos-discursos-de-sujeitos-circenses/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AVANZI, R.; TAMAOKI V. Circo Nerino. São Paulo: Conex, 2004.

BERGER, P. I.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

BOLOGNESI, F. O corpo como princípio. Trans/Form/Ação, São Paulo, v. 24, p. 101-112, 2001.

CARVALHO, C. A. P. Outras formas organizacionais: o estudo de alternativas ao modelo empresarial na realidade brasileira. Projeto Procad/CNPq, 2006.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v. 1.

CIAMPA, A. C. A estória do Severino e a história da Severina. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DE CARVALHO, S. Nota sobre Piolin e o modernismo paulista. Sala Preta, v. 2, p. 127-129, 2002.

DE CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

DELGADO, L. A. N. História oral e narrativa: tempo, memória e identidades. Revista da Associação Brasileira de História Oral, n. 6, p. 9-25, 2003.

DUARTE, R. H. Noites circenses: espetáculos de circo e teatro em Minas Gerais no século XIX. Campinas: Unicamp, 1995.

ELIAS, N. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de janeiro: Zahar Editores, 1995.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. 2. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, [1992] 2008.

FARIA, A. A.; LINHARES, P. T. S. O preço da passagem no discurso de uma empresa de ônibus. In: MACHADO, I. L. (Org.). Análises de discursos: sedução e persuasão. Cadernos de Pesquisa do NAPq, Belo Horizonte: FALE/UFMG/NAPq, n. 13, 1993.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1969.

FOUCAULT, M. A ética do cuidado de si como prática da liberdade. In: FOUCAULT, M. Col. ditos e escritos V – ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyolla, 2005.

FOUCAULT, M. Hermenêutica do sujeito. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: a vontade de saber. 11. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1976.

FOUCAULT, M. História da sexualidade III: o cuidado de si. 5. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, M. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 18. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2003.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 1975.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A, 2006.

HOBSBAWM, E. A produção em massa das tradições: Europa, 1789 a 1914. In: HOBSBAWM, E.; RANGER, T. A invenção da tradição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

MAGNANI, J. G. C. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Hucitec; Unesp, 2003.

PARKER, M. Organizing the circus: the engineering of miracles. Organizations Studies, v. 32, n. 4, p. 555-569, 2011.

PÊCHEUX, M. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Gestos de leitura. Campinas: Unicamp, 1997.

RAMPAZO, A. V.; ICHIKAWA, E. Y. Identidades naufragadas: o impacto das organizações na (re)construção do universo simbólico dos ribeirinhos de Salto Santiago. Cadernos EBAPE.BR, v. 11, n. 1, p. 104-127, 2013.

ROCHA, G. A retórica da tradição: notas etnográficas de uma cultura em transformação. Antropolítica, Niterói, n. 27, p. 63-83, 2. sem. 2009.

SILVA, E.; ABREU, L. A. Respeitável público... O circo em cena. Rio de Janeiro: Funarte, 2009. 262 p.

SILVA, E. As múltiplas linguagens na teatralidade circense. Benjamin de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil. São Paulo: Altana, 2007. 436 p.

SILVA, E. O circo: sua arte, seus saberes – o circo no Brasil no final do século XIX e meados do século XX. 1996. Dissertação (Mestrado)–Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Campinas, 1996.

SILVA, E. O ensino de arte circense no Brasil: breve histórico e algumas reflexões. 2006. Disponível em: . Acesso em: 17 jan.2016. 2006.

SILVA, K. V.; MACIEL, H. S. Dicionário de conceitos históricos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

SOUZA, M. M. P.; CARRIERI, A. P. Identidades, práticas discursivas e os estudos organizacionais: uma proposta teórico-metodológica. Cadernos EBAPE.BR, v. 10, n. 1, p. 40-64, 2012.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma construção teórica e conceitual. In: SILVA, T. T.; HALL, S.; WOODWARD, K. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2005.