Determinantes de Inovações Apoiadas em Tecnologias de Informação e Comunicação Adotadas por Hospitais Outros Idiomas

ID:
4071
Resumo:
A inovação em serviços de saúde em geral e em hospitais em particular tem sido estudada com intensidade nos últimos anos, relevando o crescente interesse de pesquisadores sobre o tema. Há consenso entre estudiosos desse tema quanto ao caráter complexo e dinâmico das inovações em serviços de saúde, em especial no que se refere aos determinantes e às mudanças decorrentes de inovações. Assim, a compreensão da inovação em toda sua amplitude contribui para identificar fatores que afetam o processo de inovação e seus efeitos sobre organizações hospitalares, particularmente na adoção de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Assim, o artigo descreve a adoção de inovações apoiadas em TIC e seus determinantes, em três hospitais. A pesquisa, de natureza qualitativa, foi baseada em 11 entrevistas e analisou barreiras, facilitadores, benefícios e desafios futuros de três inovações: Sistema de Gestão de Unidade de Terapia Intensiva, Prontuário Eletrônico do Paciente e Sala Inteligente de Cirurgia. As barreiras que tiveram mais destaque no levantamento foram: resistência ao uso e desconhecimento de novas tecnologias. Já os facilitadores principais foram: comprometimento da alta administração e comunicação entre equipes. Os benefícios mais relevantes foram: diminuição de erros de diagnóstico, prescrição e intervenções, e recuperação mais rápida de pacientes. Por fim, os desafios identificados versaram sobre competências emergentes que sugerem mudanças em perfis de comportamento de profissionais de hospitais quanto ao uso de TIC, bem como em relação ao serviço hospitalar como um todo. Ao final do artigo, conclusões e recomendações de ordem teórica e prática são apresentadas.
Citação ABNT:
ISIDRO-FILHO, A.; GUIMARÃES, T. A.; PERIN, M. G. Determinantes de Inovações Apoiadas em Tecnologias de Informação e Comunicação Adotadas por Hospitais. Revista de Administração e Inovação, v. 8, n. 4, art. 39, p. 142-159, 2011.
Citação APA:
Isidro-filho, A., Guimarães, T. A., & Perin, M. G. (2011). Determinantes de Inovações Apoiadas em Tecnologias de Informação e Comunicação Adotadas por Hospitais. Revista de Administração e Inovação, 8(4), 142-159.
DOI:
10.5773/rai.v8i4.793
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/4071/determinantes-de-inovacoes-apoiadas-em-tecnologias-de-informacao-e-comunicacao-adotadas-por-hospitais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Barras, R. (1986). Towards a theory of innovation in services. Research Policy, v. 15, p. 161-173.

Boaden, R.; Joyce, P. (2006). Developing the electronic health record: what about patient safety? Health Services Management Research, 19(2), 94-104.

Chaudhry, B.; Wang, J.; Wu, S.; Maglione, M.; Mojica, W.; Roth, E.; Morton, S. C.; Shekelle, P. G. (2006). Systematic review: impact of health information technology on quality efficiency, and costs of medical care. Annals of Internal Medicine, 144(10), 742-771.

Damberg, C. L.; Ridgely, M. S.; Shaw, R.; Mieli, R. C.; Sorbero, M. E. S.; Bradley, L. A.; Farley, D. O. (2009). Adopting information technology to drive improvements in patient safety: lessons from the Agency for Healthcare Research and Quality Health Information Technology Grantees. Health Services Research, 44(2), 684-700.

Djellal, F.; Gallouj, F. (2005). Mapping innovation dynamics in hospitals. Research Policy, v. 34, p. 817-835.

Djellal, F.; Gallouj, F. (2007). Innovation and employment effects in services: a review of the literature and an agenda of research. The Service Industries Journal, 27(3), 193-213.

Djellal, F.; Gallouj, F. (2007). Innovation in hospitals: a survey of literature. European Journal of Health Economics, 8, 181-193.

Eisenhardt, K. M. (1989). Building theories from case study research. Academy of Management Review, 14(4), 532-550.

Fleuren, M.; Wiefferink, K.; Paulussen, T. (2004). Determinants of innovation within health care organizations. International Journal for Quality in Health Care, 16(2), 107-123.

Gadrey, J. (2001). Emprego, produtividade e avaliação do desempenho dos serviços. In: M. S. Salerno (Org), Relação de serviço: produção e avaliação. (pp. 23-65). São Paulo: Editora Senac - São Paulo.

Gallouj, F. (2002). Innovation in the service economy: the new wealth of nations. Cheltenham: Edward Elgar.

Gallouj, F. (2007). Economia da inovação: um balanço dos debates recentes. Em R. Bernardes & T. Andreassi (Orgs.). Inovação em serviços intensivos em conhecimento. (pp. 3-28). São Paulo: Saraiva.

Gallouj, F. & Weinstein, O. (1997). Innovation in services. Research Policy, v. 26, p. 537-556.

Godoy, A. S. (2006). Estudo de caso qualitativo. Em C. K. Godoi, R. Bandeira-de-Melo & A. B. da Silva, Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. (pp. 115-143). São Paulo: Saraiva.

Goldsweig, C. L., Towfigh, A., Maglione, M. & Shekelle, P. G. (2009). Costs and benefits of health information technology: new trends from the literature. Health Affairs, web exclusive, 285-293.

Hauknes, J. (1996). Innovation in the service economy. Step Report, n. 7.

Kimberly, J. R.; Evanisko, M. J. (1981). Organizational innovation: the influence of individual, organizational, and contextual factors on hospital adoption of technological and administrative innovations. Academy of Management Journal, 24(4), 689-713.

Länsisalmi, H.; Kivimäki, M.; Aalto, P.; Ruoranen, R. (2006). Innovation in healthcare: a systematic review of recent research. Nursing Science Quarterly, 19(1), 66-72.

Menachemi, N.; Saunders, C.; Chukmaitov, A.; Matthews, C.; Hill, R.; Brooks, R. G. (2007). Hospital adoption of information technologies and improved patient safety: a study of 98 hospitals in Florida. Journal of Healthcare Management, 52(6), 398-410.

Sundbo, J. & Gallouj, F. (1998). Innovation in services. SI4S Synthesis Paper, n. 2.

Tomasi, E.; Facchini, L. A.; Maria, M. F. S. (2004). Health information technology in primary health care in developing countries: a literature review. Bulletin of the World Health Organization, 82(11), 867-875.

Utterback, J. H. (1996). Dominando a dinâmica da inovação. São Paulo: Qualitymark.

Vargas, E. R. (2006). A dinâmica da inovação em serviços: o caso dos serviços hospitalares no Brasil e na França. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Walker, J. M.; Carayon, P. (2009). From tasks to processes: the case for changing health information technology to improve health care. Health Affairs, 28(2), 467-477.

Zarifian, P. (2001). Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas.