Aplicação do Protocolo no Cotidiano da Assessoria Executiva Outros Idiomas

ID:
40727
Resumo:
Este artigo apresenta a aplicação, no cotidiano, do protocolo da assessoria executiva e reflete sobre as similaridades e diferenciações da atuação protocolar desses assessores em organizações públicas e privadas de grande porte e focaliza a investigação em duas instituições de Ensino Superior, uma particular e outra pública, além de uma organização de apoio à pesquisa científica pertencente ao governo do Estado e a uma Federação de iniciativa comercial na cidade de Fortaleza, no estado do Ceará. A pesquisa quanto ao seu fim é descritiva, e foram realizadas entrevistas estruturadas com quatro assessoras executivas pertencentes à alta gestão. A pesquisa se deu na busca da percepção das assessoras executivas sobre a importância do uso das normas protocolares no cotidiano de sua atuação profissional. Os resultados indicam que, apesar de todas as dificuldades relacionadas à percepção do protocolo como norma comportamental e elemento agregador de valor ao crescimento de status e poder institucional, as assessoras executivas empregam, cotidianamente, diversos procedimentos comportamentais que evidenciamconhecimento da ordem de precedência e acompanhamento de eventos que exigem o uso das normas protocolares. Ao final, tendo em vista o contexto,foram apresentadas sugestões para as organizações particulares e públicas pesquisadas, bem comoa implementação de novos estudos nessa área temática.
Citação ABNT:
FROTA, A. J. A.; SILVA, J. Aplicação do Protocolo no Cotidiano da Assessoria Executiva. Revista de Gestão e Secretariado, v. 6, n. 3, p. 1-20, 2015.
Citação APA:
Frota, A. J. A., & Silva, J. (2015). Aplicação do Protocolo no Cotidiano da Assessoria Executiva. Revista de Gestão e Secretariado, 6(3), 1-20.
DOI:
10.7769/gesec.v6i3.314
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40727/aplicacao-do-protocolo-no-cotidiano-da-assessoria-executiva/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Beuren, Ilse Maria. (2012). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3a ed. São Paulo: Atlas.

Bogdan, R.; Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto.

Brasil. Decreto nº 17.171/85. (18 de abril de 1985). Brasília: Senado Federal. 1985.

Brasil. Decreto nº 70.274/72. (9 de março de 1972). Brasília: Senado Federal. 1972.

Brasil. Decreto nº 83.186/79. (19 de fevereiro de 1979). Brasília: Senado Federal. 1979.

Bullara, Cesar Furtado de Carvalho. (2005). Evolução do conceito de liderança. Recuperado em 14 de novembro, 2012, de.

Carvalho, Luciana Magalhães; Cortezi, Ariane Rodrigues. (2010). A Etiqueta Corporativa:o requisito básico para o profissional de secretariado. Monografia - Faculdade de Tecnologia de São Paulo, São Paulo.

Castro, Claudine de. (1997). Etiqueta: um guia prático e atual para as boas maneiras. (2a ed.). Rio de Janeiro: Ediouro

Ceará. Decreto nº 15.894/83. (14 mar.1983). Fortaleza: Assembleia Legislativa. 1983.

Dornelas, J. C. A. (2005). Empreendedorismo:transformando ideias em negócios. (2a ed.). Rio de Janeiro.

Elias, Norbert. (2001). Sociedade da Corte. Rio de Janeiro: Zahar.

Elias, Norbert. (2009). O protocolo e a precedência nas representações ritualizadas do presidente da República francesa: uma forma de comunicação política a uma representação simbólica do poder. Revista Famecos, n. 38, abril. 2009.

Fenassec. (2012). Recuperado em 9 de março, 2013, de.

Fortunato, Graziela; Freitas, Angilberto Sabino; Leitão, Sérgio Proença. (2006). Relacionamentos interpessoais e emoções nas organizações: uma visão biológica. RAP, pp. 883-907, set./out.

Gomes, Onilda; Pires, Sérgio. (2005). Cerimonial e Protocolo: Governo do Estado e Prefeituras construindo uma nova realidade. Fortaleza: Sebrae.

Lukower, A. (2003). Cerimonial e protocolo. 1a ed. São Paulo: Contexto.

Martinez, M. (2001). Cerimonial para executivos: guia para execução e supervisão de eventos empresariais. 3. ed. Porto Alegre: Sagra-Luzzatto.

Minayo, M C de S. (2004). Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: Minayo, M. C. de S.(Organizadora). Pesquisa Social – teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes.

Miranda, Luiza. (2003). Negócios e festas: cerimonial e etiqueta em eventos. Belo Horizonte: Autêntica.

Nonato Júnior, Raimundo. (2009). Epistemologia e teoria do conhecimento em Secretariado Executivo: a fundação das ciências de assessoria. Fortaleza: Expressão Gráfica.

Pereira, Marcela da Cunha et al. (2005). Cerimonial e protocolo: utilização das normas pelo profissional de secretariado executivo. Est. Pesqui, vol. 8, n. 1, abr.

Picchiai, Djair. (2008). Estratégia, estrutura e competências: Estudo de caso de três operadoras de planos de assistência à saúde, modalidade. São Paulo: FGV-EAESP/GV, Relatório de Pesquisa 17.

Schneider, P. S. (1985). Cerimonial e protocolo: organização de solenidades e convívio social. 1a ed. Porto Alegre: Sulina.

Viana, Flávio Benedicto. (1998). Universidade: protocolo, rito e cerimonial. São Paulo: Lúmen.