Estratégia Nacional de Desenvolvimento nos Governos Lula e Dilma: Transformação Neoliberal Outros Idiomas

ID:
40874
Resumo:
Discutimos as concepções teórico-ideológicas que fundamentam a estratégia nacional de desenvolvimento adotada pelo Governo do Brasil nos últimos 12 anos, com o objetivo de analisar o sentido que lhe atribuem, levando-se em conta a retórica em torno da promoção de transformações sociais e a alegada retomada das proposições de Celso Furtado. Desde o primeiro governo Lula o direcionamento das ações governamentais atribuiu ao Estado funções de planejamento estratégico e regulação do mercado para facilitar transações econômicas. Essa orientação conforma-se a uma divisão internacional do trabalho em que os países periféricos produzem commodities agrícolas e extrativistas. Com efeito, a estratégia brasileira dos últimos anos desprezou preocupações com a autonomia nacional para alinhar-se à lógica dos mercados globais. Ao final, concluímos que os fundamentos da estratégia nacional de desenvolvimento empreendida no período vinculam-se às concepções de Bresser-Pereira e do novo desenvolvimentismo.
Citação ABNT:
FAÉ, R.; GOULART, S.; ABDALA, P. R. Z. Estratégia Nacional de Desenvolvimento nos Governos Lula e Dilma: Transformação Neoliberal . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 10, n. 1, p. 1-18, 2016.
Citação APA:
Faé, R., Goulart, S., & Abdala, P. R. Z. (2016). Estratégia Nacional de Desenvolvimento nos Governos Lula e Dilma: Transformação Neoliberal . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 10(1), 1-18.
DOI:
http://dx.doi.org/10.12712/rpca.v10i1.654
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40874/estrategia-nacional-de-desenvolvimento-nos-governos-lula-e-dilma--transformacao-neoliberal-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABDALA, P. R. Z.; GOULART, S. Consumo e subdesenvolvimento no pensamento de Celso Furtado : riscos do anacronismo e pistas para reflexões atuais. In: GURGEL, C.; MARTINS, P. E. M. Estado, organização e pensamento social brasileiro. Niterói: UFF, 2013. p. 217-252.

BARAN, P. A economia política do desenvolvimento. São Paulo: Abril, 1984.

BATISTA JR., P. N. Dependência: da teoria à prática. Estudos Avançados, v. 37, nº 13, 1999, p. 215-224.

BENJAMIN, C.. et al. A opção brasileira. Rio de Janeiro: contraponto, 1998.

BIELSCHOWSKY, R. (2000). Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL: Uma Resenha. In:

BONATO, G. Vale se mantém como maior exportadora do país em 2014; JBS salta para 4º lugar. UOL Economia: notícias. São Paulo, 21 jan. 2015. Disponível em: http://economia.uol.com.br/ noticias/reuters/2015/01/21/vale-mantem-em2014-posto-de-maior-exportadora-do-brasil-jbssalta-a-4.htm. Acesso em 21 jan. 2015.

BRASIL. Balança comercial brasileira – dados consolidados. 2015. Disponível em . Acesso em 30mar2015.

BRASIL. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Plano diretor da reforma do aparelho do Estado. Brasília, 1995.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PPA 2012-2015. 2011. Disponível em: < http://www.planejamento.gov.br> . Acesso em 25 fev. 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Desenvolvimento e crise no Brasil. São Paulo, Editora 34, 2003.

BRESSER-PEREIRA, L. C.. Meu voto em Dilma. Carta Maior, set. 2014. Disponível em: . Acesso em 05 jan. 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional. São Paulo em Perspectiva, v. 20, n. 3, pp. 5-24, 2006.

BUENO, F.; SEABRA, R. L. A teoria do subimperialismo brasileiro: notas para uma (re) discussão contemporânea. 6º colóquio Internacional Marx e Engels. Rio de Janeiro: Dezembro de 2011.

CARDOSO, F. H.; FALETTO, E. (1969). Dependência e Desenvolvimento na América Latina. In: BIELSCHOWSKY, Ricardo. Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL, v. 2. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 495-520.

CEPAL. Transformação produtiva com equidade: a tarefa prioritária no desenvolvimento da América Latina e do Caribe nos anos 1990. (1990) In: BIELSCHOWSKY, R. Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL, v. 2. São Paulo: Record, 2000. p. 887-910.

FARIA, José Henrique de. Desenvolvimento socioeconômico e interdisciplinar. Revista Desenvolvimento Socioeconômico em Debate, v. 1, n. 1, p. 5-36, 2015.

FUKUYAMA, F. The end of history and last man. London: Penguin UK, 1992.

FURTADO, C. Brasil: a construção interrompida. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

FURTADO, C. Cultura e desenvolvimento em época de crise. 3ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

FURTADO, C. Desenvolvimento e Subdesenvolvimento. (1961). In: BIELSCHOWSKY, Ricardo. Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL, v. 1. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 239262.

FURTADO, C. Entrevista com Celso Furtado. In: VIEIRA, R. M. Celso Furtado: Reforma, Política e Ideologia – 1950/1964. São Paulo: Educ, 2007. p. 409-432.

FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo Cultura, 1959.

FURTADO, C. O Capitalismo Global. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

FURTADO, C. O Mito do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Paz e Terra, 1974.

FURTADO, C. Teoria e Política do Desenvolvimento Econômico. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

IVO, A. B. L. O paradigma do desenvolvimento: do mito fundador ao novo desenvolvimento. Caderno CRH, v. 25, n. 65, p. 187-210, maio/ago. 2012.

MERCADANTE, A. Brasil: a construção retomada. São Paulo: Terceiro Nome, 2010.

PREBISCH, R. O Desenvolvimento Econômico da América Latina e Alguns de seus Problemas Principais. (1949). In: BIELSCHOWSKY, Ricardo. Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL, v. 1. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 69-136.

PREBISCH, R. Problemas Teóricos e Práticos do Crescimento Econômico. (1952). In: BIELCHOWSKY, R. Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL, v. 1. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 179-216.

PUELLO-SOCARRÁS, J. F. A brief history of antineoliberalism: South American political economy and development paradigms in the XXIth century. Ciência & Trópico, v. 35, n. 1, p. 71-94, 2011. Disponível em: http://periodicos.fundaj.gov.br/ CIC/article/view/883. Acesso em 05 jan. 2015.

RANDS, M. A era Lula – desenvolvimento, democracia e cultura política no Brasil. Recife: Bagaço, 2010.

ROUSSEFF, D. (2011). Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional Brasília/DF. Disponível em . Acesso em 28jul2011.

SAMPAIO JR., P. Desenvolvimentismo e Neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social e Sociedade, n. 112, p. 672-688, 2012.

SICSÚ, J.; PAULA, L. F.; MICHEL, R. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, v. 27, nº 4, p. 507-524, 2007.

VALENCIA, A. S. Teoria da dependência e desenvolvimento do capitalismo na América Latina. Londrina: Práxis, 2008.

VIEIRA, R. M. Celso Furtado: Reforma, Política e Ideologia – 1950/1964. São Paulo: Educ, 2007.

WILLIANSOM, J. Latin American Adjustment. Washington: Institute of International Economics, 1990