Formas de Aprendizagem e Saberes no Trabalho de Manicures Outros Idiomas

ID:
40879
Resumo:
As discussões a respeito da importância do trabalho são crescentes em nossa sociedade. Ela se mobiliza a fim de atender interesses econômicos, legitimando determinadas profissões como mais importantes. Com o objetivo de superar essa concepção, analisamos ofícios que contribuem para a sociedade, mas não possuem o mesmo valor social percebido. Estudamos o conhecimento adquirido no exercício de determinado trabalho e como ocorre a aprendizagem por meio das práticas, baseados na ideia que todo tipo de ação produz conhecimento. A investigação para o presente estudo desenvolveu-se em dois salões de beleza, na cidade de Porto Alegre (RS), nos quais trabalham sete manicures, no total. O estudo foi realizado por meio de observação não participante e de entrevistas não estruturadas, no período de dezembro de 2011 a março de 2012. Identificou-se que as profissionais adaptam a maioria das técnicas ensinadas no curso de manicure. Isso significa que cada indivíduo tem seu jeito de exercer o próprio trabalho, não havendo uma única maneira certa de realizá-lo. O jeito de cada manicure desempenhar suas atividades só é descoberto na prática, quando ela aplica seu conhecimento. Tal processo produz novo conhecimento e nova prática, uma vez que as ações tanto são sustentadas pela prática como a constituem.
Citação ABNT:
GALLON, S.; BITENCOURT, B. M.; VIANA, D. D.; ANTONELLO, C. S. Formas de Aprendizagem e Saberes no Trabalho de Manicures . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 10, n. 1, p. 96-112, 2016.
Citação APA:
Gallon, S., Bitencourt, B. M., Viana, D. D., & Antonello, C. S. (2016). Formas de Aprendizagem e Saberes no Trabalho de Manicures . Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 10(1), 96-112.
DOI:
http://dx.doi.org/10.12712/rpca.v10i1.655
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40879/formas-de-aprendizagem-e-saberes-no-trabalho-de-manicures-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALASZEWSKI, A. Using diaries for social research. SAGE Publications, 2006.

ALVAREZ, L. Beauty Fair 2010 Cabelos, Estética, Manicure, Maquiagem e Negócios. Vila Batom. 24.08.2010. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2012.

ANTONELLO, C. Organizações culturais e a aprendizagem baseada em práticas. In: Aprendizagem Organizacional no Brasil. Porto Alegre: Bookman, 2011. p. 565-582.

ANTONELLO, C. S.; AZEVEDO, D. C. Aprendizagem Organizacional: explorando o território das teorias culturais e baseadas em práticas. In: ANTONELLO, C. S.; GODOY, A. S. (Eds.) Handbook de Aprendizagem Organizacional. Porto Alegre: Bookman, 2011, p. 89-113.

BEAUTY FAIR. 11º Congresso de Manicures. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

BRASIL. Lei Nº 12.592, de 18 de janeiro de 2012. Sobre o exercício das atividades profissionais de Cabeleireiro, Barbeiro, Esteticista, Manicure, Pedicure, Depilador e Maquiador. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 jan. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2012.

BROWN, J. S.; DUGUID, P. Knowledge and Organization: A Social-practice Perspective. Organization Science 12(2): 198–213. 2001.

BROWN, J. S.; DUGUID, P. Organizational Learning and Communities of Practice: Toward a Unified View of Working, Learning and Bureaucratization. Organization Science 2: 40–57. 1991.

COOK, S. D.; YANOW, D. Culture and organizational learning. Journal of Management Inquiry, v. 2, n. 4, p. 373-390, 1993.

COOK, S. D.; YANOW, D. Culture and Organizational Learning. Journal of Management Inquiry, v. 2, p. 373-390, 2001.

DEJOURS, C. O trabalho como enigma. In: LANCMAN, S., SNELWAR, L. I. (orgs). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; Brasília: Paralelo 15, 2008.

ENGESTROM, Y. Expansive Learning at Work: Toward an activity theoretical reconceptualization. Journal of Education and Work, v. 14, n. 1, p. 133156, fev 2001.

GAGLIARDI, P. Explorando o lado estético da vida organizacional. In: CLEGG, S.; HARDY, C.; NORD, W. R. Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2004.

GAULEJAC, V. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2007.

GHERARDI, S. Organizational knowledge: the texture of workplace learning. London: Blackwell, 2006.

GHERARDI, S. Practice-based Theorizing on Learning and Knowing in Organizations: An Introduction. Organization 7(2): 211–23. 2001.

GHERARDI, S. Practice? It’s a Matter of Taste! Management Learning, v. 40, n. 5, p. 535-550, 21 out 2009.

GIL FLORES, J. Aproximación interpretativa al contenido de la información textual. En: Análisis de datos cualitativos: aplicaciones a la invesigación educativa. Barcelona: PPU, 1994. p. 65-107.

GLENIA, F. Salões apostam em ‘especialização em unhas’ para conquistar clientes. Economia e Negócios: G1. 27.09.2010. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2012.

GODOY, A. S. Estudo de caso qualitativo. In: GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. (orgs.). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006, p. 115-146.

LATOUR, B. Reassembling the Social: an introduction to Actor-Network-Theory. [S.l.]: Oxford University Press, 2005. p. 301

LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning: legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MARTIN, P. Y. Sensations, bodies, and the ‘spirit of a place’: aesthetics in residential organizations for the elderly. Human Relations, v. 55, n. 7, p. 861–885, 2002.

NICOLINI, D.; GHERARDI, S.; YANOW, D. Introduction: Toward a practice-based view of knowing and learning in organizations. In:

OLIVEIRA, A. C. D. S.; FOCACCIA, R. Survey of hepatitis B and C infection control: procedures at manicure and pedicure facilities in São Paulo, Brazil. Brazilian Journal of Infectious Diseases [online]. 2010, v.14, n.5, p. 502-507. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2012.

ORLIKOWSKI, W. J. Using Technology and Constituting Structures: A Practice Lens for Studying Technology in Organizations. Organization Science 11(4): 404–28. 2000.

ORR, J. Talking About Machines: An Ethnography of a Modern Job. Ithaca, NY: Cornell University Press. 1996.

ROSE, M. O Saber do Trabalho: valorização da inteligência do trabalhador. São Paulo: Editora

SENNETT, R. O Artífice. Rio de Janeiro: Record, 2009.

SINCA. Sindicato dos Salões de Barbeiros, Cabeleireiros, Institutos de Beleza e Similares do Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2012.

SPTV. Mercado de trabalho: conheça a profissão de manicure. SPTV, Rio de Janeiro: Rede Globo, 19 de novembro de 2008. Programa de TV. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2012.

STRATI, A. Knowing in practice: aesthetic understanding and tacit knowledge. In: NICOLINI, D.; GHERARDI, S.; YANOW, D. (Eds.). Knowing in organizations: a practice-based approach. NY: ME Sharpe Armonk, p. 53-75, 2003.

STRATI, A. Sensible Knowledge and Practice-based Learning. Management Learning, v. 38, n. 1, p. 6177, 1 fev 2007.

TEMPERANI, M. Salão especializado só em unhas é a mais nova opção de negócio no setor de beleza. Notícias: Beauty Fair. 15.12.2011. Disponível em: < http://www.beautyfair.com.br/manicure/ noticia/1822.html>. Acesso em: 05 fev. 2012.

YANOW, D. Seeing Organizational Learning: A “Cultural” View. Seeing Organizational Learning, v. 7, n. 2, p. 247-268, 2000.

YANOW, D. Translating Local Knowledge at Organizational Peripheries. British Journal of Management 15(S1): 9–25. 2004.

YIN, R. Case study research: design and methods. 3. ed. California: SAGE Publications, 2003.

ZACCARELLI, L. M.; GODOY, A. S. Perspectivas do uso de diários nas pesquisas em organizações Perspectives of using diaries in organizational research. CADERNOS EBAPE. BR, v. 8, n. 3, p. 550–563, 2010.

ZAFFARI, F. O esmalte ganha casa própria. Estilo Próprio: Portal ClicRBS. 03.12.2011. Disponível em:. Acesso em: 05 fev. 2012.