Adesão e Migração aos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa: Investigação da Janela do evento Outros Idiomas

ID:
40923
Resumo:
Muitos pesquisadores aplicam a metodologia de estudo de eventos, porém observam-se comumente discrepâncias no tamanho da janela do evento e nos resultados. A definição do tamanho da janela é essencial, mas envolve sempre certo grau de subjetividade e arbitrariedade. Com o objetivo de estabelecer bases objetivas para a delimitação da janela do evento, foi concebida uma metodologia a partir da análise de 75 casos de empresas que aderiram ou migraram aos níveis diferenciados de governança corporativa (NDGC) da BM&FBovespa. Os resultados demonstram a grande importância das pequenas janelas de evento, pois 47 dos 75 casos são representados por janelas com menos de cinco pregões antes e cinco depois do evento (5-5). Isso significa que a utilização de grandes janelas de evento para captar e mensurar os efeitos de adesão ou migração aos NDGC, embora seja frequente, pode estar equivocada.
Citação ABNT:
ANTONELLI, R. A.; CLEMENTE, A.; SILVA, W. V.; LONGHI, F. L. Adesão e Migração aos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa: Investigação da Janela do evento. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 19, n. 1, p. 23-48, 2016.
Citação APA:
Antonelli, R. A., Clemente, A., Silva, W. V., & Longhi, F. L. (2016). Adesão e Migração aos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa: Investigação da Janela do evento. Contabilidade, Gestão e Governança, 19(1), 23-48.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/40923/adesao-e-migracao-aos-niveis-diferenciados-de-governanca-corporativa--investigacao-da-janela-do-evento/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Andrade A.; Rossetti J. P. (2007). Governança Corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 3 ed. São Paulo: Atlas.

Badas, Ulkem; Oran, Adil. (2014). Event studies in Turkey. Borsa Istanbul Review 14 (3), 167-188.

Ball R.; Brown P. (1968). An empirical evaluation of accounting numbers. Journal of Accounting Research, Chicago: University of Chicago, 6(2).

Batistella F. D.; Corrar J. L.; Bergmann D. R.; Aguiar A. B. (2004). Retornos de Ações e Governança Corporativa: Um Estudo de Eventos. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 4, 2004, São Paulo. Anais. . . São Paulo: FEA/USP.

Beiner S.; Drobetz W.; Schmid M. M.; Zimmermann H. (2004). An integrated framework of corporate governance and firm valuation - evidence from Switzerland. EGI - Finance Working Paper, 34.

Black S.; Love I.; Rachinsky A. (2006). Corporate Governance and Firms' Market Values: Time Series Evidence from Russia. Emerging Markets Review, 7(4), 361-379.

BM&FBOVESPA - Bolsa de Valores de São Paulo. (2011). Accessed 02 november 2011. Avaiable at: http://www.bmfbovespa.com.br.Camargos M.A.; Barbosa F.V. (2003). Estudo de eventos: teoria e operacionalização. Caderno de Pesquisas em Administração. São Paulo, 10(3).

Camargos M.A.; Barbosa F.V. (2003). Estudo de eventos: teoria e operacionalização. Caderno de Pesquisas em Administração. São Paulo, 10(3)

Camargos M. A.; Barbosa F. V. (2006). Adesão aos níveis diferenciados de governança corporativa (NDGC), criação de valor e liquidez: evidências empíricas. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção - ENEGEP, 16, 2006, Fortaleza. Anais... Rio de Janeiro: ABEPRO.

Camargos M. A.; Barbosa F. V. (2010). A adoção de práticas diferenciadas de governança corporativa beneficia o acionista e aumenta a liquidez acionária?Evidências empíricas do mercado brasileiro. Revista de Gestão da USP - REGE. São Paulo, 17(2), 189-208.

Campbell J. Y.; Lo A. W.; MacKinlay A. C. (1997). The econometrics of financial markets. 2. ed. New Jersey: Princeton University Press.

Carvalho A. G. (2003). Efeitos da migração para os níveis de governança da BOVESPA. Accessed 10 dezember 2010. Avaiable at: http://www.econ.puc-rio.br.

Carvalho A. G.; Pennacchi G. G. (2012). Can a stock exchange improve corporate behavior?Evidence from firms' migration to premium listings in Brazil. Journal of Corporate Finance, 18(4), 883-903.

Clemente A.; Antonelli, R. A.; Scherer, L. M.; Cherobin, A. P. M. S. (2014). O mercado brasileiro precifica a adesão e migração aos níveis diferenciados de governança corporativa? BASE - Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 11(2), 140-152.

Colombo J. A.; Galli O. C. (2010). Governança corporativa no Brasil: Níveis de governança e rendimentos anormais. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 9(4), 26-37.

Conselho Monetário Nacional. (2001). Resolução CMN nº 2. 829, de 29 de março de 2001. Aprova regulamento estabelecendo as diretrizes pertinentes à aplicação dos recursos das entidades fechadas de previdência privada. Disponível em: . Acesso em 10 mai.2013.

Corrado C. J. (2011). Event studies: A methodology review. Accounting & Finance. 51(1), 207-234.

Costa A. R.; Camargos M. A. (2006). Análise Empírica da Adesão aos Níveis Diferenciados de Governança Corporativa da Bovespa sobre o Retorno dos Acionistas. Revista de Gestão USP, 32(1), 31-42.

Denis D.; McConnell J. (2003). International corporate governance. Journal of Financial and Quantitative Analysis, 38(1), 1-36.

Dolley J. C. (1933). Characteristics and procedure of common stock split-ups. Harvard Business Review, New York: Harvard University, (11), 316-326.

Drobetz W.; Schillhofer A.; Zimmermann H. (2003). Corporate Governance and Expected Stock Returns: Evidence from Germany. ECGI - Finance Working Paper, 11.

Durnev A.; Kim H. (2005). To steal or not to speal: firm attributes; legal environment, and valuation. Journal of Finance, 60(3), 1461-1493.

Fama E. F. (1970). Efficient capital markets: a review of theory and empirical work. The Journal of Finance, (25), 383-417.

Fama E. F.; Fisher L.; Jensen M. C.; Roll R. (1969). The Adjustment of Stock Prices to New Information. International Economic Review, 10(1), 1-21.

Holthausen F. S.; Galli O. C. (2001). Lançamento de ADRs por Empresas Brasileiras no Mercado Norte-Americano: Valorização de Mercado, Volatilidade e Performance Ajustada ao Risco. In: Encontro Anual da ANPAD - ENANPAD, 25, 2001, Campinas. Anais. . . Campinas: Associação Nacional de Programa de Pós-Graduação em Administração, Rio de Janeiro.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. (2011). Acessado em 02 dezembro 2011. Disponível em: http://www.ibgc.org br.

Klapper L.; Love I. (2002). Corporate governance, investor protection, and performance in emerging markets. World Bank Policy Research Working Paper, 2818.

Konchitchki, Yaniv; O'Leary, Daniel E.; (2011). Event Study Methodologies in Information Systems Research. International Journal of Accounting Information Systems, Forthcoming. Disponível em: http://ssrn.com/abstract=1751732.

Kothari, S. P.; Warner, J. B. (2007). Chapter 1 - Econometrics of Event Studies. Handbook of Empirical Corporate Finance, (1), 3-36.

Lamounier W. M.; Nogueira E. M. (2005). Estudo de Eventos: Procedimentos e Estudos Empíricos. In: II Seminário de Gestão de Negócios, 2005, Curitiba. II Seminário de Gestão de Negócios - Um Enfoque Acadêmico da Realidade Empresarial, 2005. Anais. . . Curitiba, FAE.

La Porta R.; Lopez-de-Silanes F.; Shleifer A.; Vishny R. (2002). Investor protection and corporate valuation. Journal of Financial, 57(3), 1147-1170.

Leal R. P. C. (1988/1989). Retornos anormais e sinalização nas aberturas de capital. Revista Brasileira do Mercado de Capitais. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, 14(40), 33-48.

Leal R. P. C.; Carvalhal-da-Silva A. L. (2004). Corporate governance index, firm valuation and performance in Brazil. COPPEAD/UFRJ Working Paper, Rio de Janeiro.

Leal R. P. C.; Carvalhal-da-Silva A. L. (2005). Corporate governance and value, in Brazil (and in Chile). In: Inter-American Development Bank, Latin American Research Network. Research Network Working Paper, R-514.

Lefort F.; Walker E. (2005). The Effect of Corporate Governance Practices on Company Market Valution and Payout Policy in Chile. Latin American and Caribbean Research Network at the IADB.

Leite H.; Sanvicente A. Z. (1990). Valor patrimonial: usos, abusos e conteúdo informacional. Revista de Administração de Empresas. São Paulo: FGV, 30(3), 17- 31.

MacKinlay A. C. (1997). Event studies in economics and finance. Journal of Economic Literature, Nashville: American Economic Association, 35(1).

McWilliams, Abagail; Siegel, Donald. (1997). Event Studies in Management: Theorical and Empirical Issues. The Academy of Management Journal, v. 40, n. 3, p. 626-657, Jun.

Michalischen F. (2008). Evidências da migração de empresas de capital aberto para os níveis diferenciados de governança corporativa da Bovespa: um estudo de eventos. Dissertação de Mestrado, Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Nakayasu G. N. (2006). O impacto do anúncio e da adesão das ações aos níveis diferenciados de governança corporativa no Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Neves L. C.; Lemes S. (2009). Efeitos no retorno e na liquidez média das ações de empresas que emitiram ADRs na Nyse e das que aderiram ao Novo Mercado. Revista Universo Contábil, 5(3), 24-42.

Nishi L. F. (2003). Adesão aos níveis de Governança Corporativa da Bovespa: Um Estudo de Evento. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil.

Oberndorfer, Ulrich; Schmidt, Peter; Wagner, Marcu; Ziegler, Andreas. (2013). Does the stock market value the inclusion in a sustainability stock index?An event study analysis for German firms. Journal of Environmental Economics and Management, (66), 497-509.

Perobelli F. F. C.; Perobelli F. S.; Arbex M. A. (2000). Expectativas racionais e eficiência informacional: análise do mercado acionário brasileiro no período 1997-1999. Revista de Administração Contemporânea, 4(2), 7-27.

Pessanha, G. R. G.; Santos, T. A.; Calegario, C. L. L.; Sáfadi, T, Alcântara, J. (2014). Contabilidade, Gestão e Governança - Brasília, 17(3), 145-158.

Pires M. A. (2006). ADRs e Governança Corporativa: um estudo de eventos sobre o comportamento das ações negociadas no Brasil. 215 f. Dissertação de Mestrado, Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças (FUCAPE), Vitória, Brasil.

Procianoy J. L.; Verdi R. S. (2009). Adesão aos Novos Mercados da BOVESPA: Novo Mercado, Nível 1 e Nível 2 - Determinantes e Consequências. Revista Brasileira de Finanças, 7(1), 107-136.

Ribeiro, H. C. M.; Machado Junior, C.; Souza, M. T. S.; Campanário, M. A.; Corrêa, R. (2012). Governança Corporativa: Um Estudo Bibliométrico da Produção Científica das Dissertações e Teses Brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança - Brasília, 15(3), 5270.

Silva A. L. C. (2007). Governança Corporativa, Valor, Alavancagem e Política de Dividendos das Empresas Brasileiras. In: Silva ALC, Leal RPC (Org. ). Governança Corporativa - Evidências Empíricas no Brasil. (1). p. 107-129. São Paulo: Atlas.

Silva R. L. M.; Nardi P. C. C.; Pimenta Junior T. (2012). O impacto da migração das empresas para os níveis diferenciados de governança corporativa da BM&F BOVESPA sobre o risco e o retorno de suas ações. Revista Administração UFSM, Santa Maria, 5(2), 222-242.

Silva W. V.; Silveira S. A. A.; Del Corso J. M.; Stadler H. (2011). A influência da adesão às práticas de governança corporativa no risco das ações de empresas de capital aberto. Revista Universo Contábil, 7(4), 82-97.

Silveira A. D. M. (2002). Governança Corporativa, desempenho e valor da empresa no Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Silveira H. P.; Barros L. A. B. C.; Silveira A. D. M. (2008). Governança Corporativa e Captação de Longo Prazo. In: Saito R, Procianoy JL (Org. ). Captação de recursos de longo prazo. (1). p. 288-316. São Paulo: Atlas.

Sirqueira A. B.; Kalatzis A. E. G. (2006). Boas Práticas de Governança Corporativa e Otimização de Portfólio: Uma Análise Comparativa. In: Encontro Nacional de Economia, 34, 2006, Salvador. Anais. . . Rio de Janeiro: ANPEC.

Souza E. M.; Marcon R. (2006). Desempenho econômico e de mercado das empresas conforme sua classificação nos níveis de Governança Corporativa. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção - ENEGEP, 16, 2006, Fortaleza. Anais. . . Rio de Janeiro: ABEPRO.