'I feel a Brazilian in Japan and a Japanese in Brazil': labor relations of a couple Dekassegui Other Languages

ID:
41068
Abstract:
This article tries to understand the cultural meanings attributed to work experiences, from the oral histories of a couple dekassegui. It is considered that labour relations are inserted culturally. To study them, we used the conceptualization developed by Fischer (1987). The author says that there are three instances that determine patterns of employment relationships – the policy, the Organization of the work process and human resources policy. From the data of the survey, it was observed that the Japanese culture assigns meanings to work independence, discipline, hierarchy, and efficiency. And the descendants, on work experience in Japan, are characterized as uneven, precarious and culturally distinct. Thus, it is possible to affirm that the dekasseguis feel Brazilians in Japan, by the condition of ethnic minority and inequality at work, and Japanese in Brazil by different habits and customs, strengthening the sense of rootlessness.
ABNT Citation:
LOPES, A. A. D.; LIMA, T. A. P.; SILVA, A. G. C.; HELAL, D. H. 'Eu me Sinto um Brasileiro no Japão e um Japonês no Brasil': as Relações de Trabalho de um Casal Dekassegui. Revista de Administração IMED, v. 5, n. 3, p. 217-227, 2015.
APA Citation:
Lopes, A. A. D., Lima, T. A. P., Silva, A. G. C., & Helal, D. H. (2015). 'Eu me Sinto um Brasileiro no Japão e um Japonês no Brasil': as Relações de Trabalho de um Casal Dekassegui. Revista de Administração IMED, 5(3), 217-227.
DOI:
10.18256/2237-7956/raimed.v5n3p217-227
Permalink:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41068/-i-feel-a-brazilian-in-japan-and-a-japanese-in-brazil---labor-relations-of-a-couple-dekassegui/i/en
Document type:
Artigo
Language:
Português
References:
Beltrão, K. I., & Sugahara, S. (2006). Permanentemente temporário: dekasseguis brasileiros no Japão. Revista brasileira de estudos populacionais, 23 (1), 61-85. Recuperado em 16 dezembro, 2015, em http://dx.doi.org/10.1590/S010230982006000100005

Carvalho, R. N., Silva, P. B., & Lira, M. R. B. (2013, setembro). Relações intergeracionais e o significado do papel dos avós na sociedade contemporânea. Anais do Congresso Brasileiro De Sociologia, Salvador, BA, Brasil, 16.

Ésther, A. B. (2013). Relações de trabalho: conceitos, instâncias e condicionantes. Recuperado em 6 dezembro, 2013, de http://www.ufjf.br/facc/files/ 2011/03/UNID-3-RH-I-2010-Rela%C3%A7%-C3%B5es-depoder-e-de-trabalho-Conceitos-inst%C3%A2ncias-e-condicionantes.pdf

Faria, J. H., & Meneghetti, F. K. (2001, setembro) O sequestro da subjetividade e as novas formas de controle psicológico no trabalho: uma abordagem crítica ao modelo toyotista de produção. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Campinas, SP, Brasil, 25.

Fischer, R. M. (1987). “Pondo os pontos nos is” sobre as relações do trabalho e políticas de administração de recursos humanos. In M. T. L. Fleury., & R. M. Fischer (Org.), Processo e relações de trabalho do trabalho no Brasil (pp. 19-50). São Paulo: Atlas.

Freitas, M. E. (2007). Cultura organizacional – evolução e crítica. São Paulo: Thomson.

Hall, S. (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. In K. Thompson. (Org.). Media and Cultural Regulation, Inglaterra, 1997. Recuperado em 8 dezembro, 2013, de http://www.gpef.fe.usp.br/teses/ agenda_2011_02.pdf

Meihy, J. C. S.B. (2000). Manual de história oral. São Paulo: Editora Loyola.

Merriam, S. B. (1998). Qualitative research and case study applications in education. San Francisco (CA): Jossey-Bass.

Morin, E. M. (2001). Os sentidos do trabalho. RAE, 41 (3), 8-19. Recuperado em 5 dezembro, 2013, de http://www.scielo.br/pdf/rae/v41n3/ v41n3a02.pdf

Ocada, F. K. (2002, novembro). A cultura e o habitus japonês: ingredientes da experiência. Anais do Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Ouro Preto, MG, Brasil, 13.

Oda, E. (2011). Interpretações da “cultura japonesa” e seus reflexos no Brasil. RBCS, 26 (75), 103-117. Recuperado em 13 dezembro, 2013, em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-69092011000100006&script=sci_arttext

Oliveira, Z. L.C.O., Sugahara, S., & Teixeira, M. P. (2013, setembro). Novas configurações na organização familiar brasileira. Anais do Congresso Brasileiro de Sociologia, Salvador, BA, Brasil, 16.

Rossini, R. E. (2004, setembro). O Brasil no Japão: a conquista do espaço dos nikkeis do Brasil no Japão. Anais do Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Caxambu, MG, Brasil, 14.

Sasaki, E. M. (1998, outubro). Dekasseguis: a questão da identidade dos migrantes brasileiros descendentes de japoneses no Japão. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais, Caxambu, MG, Brasil, 22.

Sasaki, E. M. (2006). A imigração para o Japão. Estudos Avançados, 20 (57), 99-117. Recuperado em 8 dezembro, 2013, de http://www.scielo.br/scielo. php?pid=s0103-40142006000200009&script=sci_ arttext

Schwartz, S. H. (1999). A theory of cultural values and some implications for work. Applied psychology: an international review, 48 (1), 23-47.

Seidman, I. (1997). Interviewing as qualitative research: a guide for researchers in education and the social sciences. 2. Ed. New York: Teachers College Press.

Tongu, É. A. S. (2010). Migrações, processo educacional e os dekassegui: um estudo na rede de relações em torno da criança nikkei na escola brasileira no Japão. (Tese doutoramento Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2010). São Paulo: Universidade de São Paulo.