Carta de um praticante para os acadêmicos de marketing: entendendo o processo de construção teórica de marketing enquanto disciplina acadêmica e campo de atuação administrativa Outros Idiomas

ID:
41073
Resumo:
De tempos em tempos, um assunto que volta ao centro das discussões é o distanciamento entre teóricos e profissionais de marketing. Acadêmicos preocupados com o rigor teórico, descrição detalhada e análise aprofundada das características dos fenômenos estudados tornam suas publicações ricas no teor científico, mas de difícil compreensão e aplicabilidade para o meio prático. Em contrapartida, praticantes comprometidos com resultados, metas e curto prazo, buscam traçar estratégias e linhas de ação pontuais, que muitas vezes não possuem aplicabilidade em outras realidades, tornando suas ações específicas, não generalizáveis e não científicas. A proposta deste ensaio teórico é compreender a relação entre a academia e o campo de atuação ao longo dos anos, na construção teórica em marketing, propondo uma aproximação entre acadêmicos praticantes, vislumbrando maior interação entre as duas áreas de atuação.
Citação ABNT:
OLIVEIRA, L. S.Carta de um praticante para os acadêmicos de marketing: entendendo o processo de construção teórica de marketing enquanto disciplina acadêmica e campo de atuação administrativa . Revista de Administração IMED, v. 5, n. 3, p. 261-268, 2015.
Citação APA:
Oliveira, L. S.(2015). Carta de um praticante para os acadêmicos de marketing: entendendo o processo de construção teórica de marketing enquanto disciplina acadêmica e campo de atuação administrativa . Revista de Administração IMED, 5(3), 261-268.
DOI:
10.18256/2237-7956/raimed.v5n3p261-268
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41073/carta-de-um-praticante-para-os-academicos-de-marketing--entendendo-o-processo-de-construcao-teorica-de-marketing-enquanto-disciplina-academica-e-campo-de-atuacao-administrativa-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Baker, J. M. (2003). One more time what is marketing? The Marketing Book, fifht Edition,Editora Elsevier Science, pag 3.

Boava, D., L., T. (2012). Filosofia do Marketing. 356 f. Tese (Doutorado em Administração). Programa Pós-Graduação em Administração. Universidade Federal de Lavras.

Cochoy, F. (1998). Another discipline for the market economy: marketing as a performative knowledge and know-how for capitalism. The Sociological Review. Vol. 46. pag 194-221.

Cornelissen, J. (2002). Academic and practition theories of marketing. Sage Journals, vol. 1 pag. 133-143.

Cornelissen, J. P.; Lock, A. R. (2005). The uses of marketing theory: Constructs, research propositions, and managerial implications. Marketing Theory, pag. 165–184.

Falcão, R,. F. (2014). O Marketing no Brasil: Sua História e Evolução. 374 f. Tese (Mestre em Ciências). Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo.

Faria, A. (2007). Rigor ou Relevância. GV Executivo, Vol. 6, n. 3, pág. 39-43.

Holbrook, M., B. (1985). Why Business is Bad for Consumer Research, In E.C. Hirschman and M.B. Holbrook (eds) Advance in Consumer Research, Vol. 13 pág. 56-145.

Hunt, D. S. (1983). General Theories and Fundamental Explanada of Marketing. The Journal of Marketing, pag. 7-47.

Jaboby, J. (1985). Serving Two Masters: Perspectives on Consulting, in E.C. Hirschman, and M.B. Holbrook (eds) Advances in Consumer Research, Vol. 13, pp. 157–163. Association for Consumer Research.

Levitt, T. (1995). Marketing e o Objetivo Empresarial, em A imaginação do Marketing, Editora Atlas, São Paulo.

Mattar, N., F. (2012). Pesquisa de Marketing – Edição Compacta. 5ª. Ed. Editora Elsevier, Rio de Janeiro.

O’driscoll, A., Murray, J. (1998). The changing nature of theory and practice in marketing. Journal of Marketing Management, vol.14, p.391-416.

Oliveira, S., R, G. (2004). Cinco Décadas de Marketing no Brasil. GV Executivo, vol. 3, n. 3, pág. 37-43.

Richers, R. (1994). Recordando a infância do marketing brasileiro – um depoimento. Revista de Administração de Empresas, vol. 34, pag. 26-40.

Vieira, F., G., D. (1999). Ações Empresariais e prioridades de pesquisa em Marketing: tendências no Brasil e no mundo segundo a percepção dos acadêmicos brasileiros. In: Encontro Anual da Associação Nacional dos Programas de PósGraduação em Administração – ENANPAD, 1999, Foz do Iguaçu. Anais.. Foz do Iguaçu: ANPAD.

Vieira, F., G., D. (2003). Narciso sem espelho: a publicação brasileira de marketing. Revista de Administração de Empresas. Vol. 43 pag. 81-90.

Weld, L., D., H. (1917). Marketing functions and mercantile organization, American Economic Review, v. VII, n 2, pág. 306-318, June.