Associação entre Desempenho Econômico e Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo Outros Idiomas

ID:
41660
Resumo:
O efeito das ações socioambientais realizadas pelas empresas nos resultados econômicos suscita um debate de visões antagônicas. Há aqueles que afirmam que a adoção de práticas socialmente responsáveis estimula o desempenho econômico e, por outro lado, há a visão de que tais práticas são causadoras de custos irrecuperáveis para as empresas. Diante dessa discussão, o presente estudo teve por objetivo testar se empresas consideradas sustentáveis – listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) – apresentam retornos financeiros superiores aos das demais empresas da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBOVESPA). Utilizou-se o método hipotético-dedutivo e, para análise dos dados, foi realizada uma comparação do comportamento das ações de empresas que compõem a carteira do ISE contra as demais ações do mercado, por meio de um teste paramétrico de comparação de médias (t-test). Os resultados encontrados mostram evidências da superioridade da carteira do ISE contra as demais empresas no período observado.
Citação ABNT:
BARAKAT, S. R.; SANCHES, M. V.; MACLENNAN, M. L. F.; POLO, E.; OLIVEIRA JÚNIOR, M. M. Associação entre Desempenho Econômico e Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo . Gestão & Regionalidade, v. 32, n. 95, p. 127-142, 2016.
Citação APA:
Barakat, S. R., Sanches, M. V., Maclennan, M. L. F., Polo, E., & Oliveira Júnior, M. M. (2016). Associação entre Desempenho Econômico e Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de Valores de São Paulo . Gestão & Regionalidade, 32(95), 127-142.
DOI:
10.13037/gr.vol32n95.3254
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41660/associacao-entre-desempenho-economico-e-indice-de-sustentabilidade-empresarial-da-bolsa-de-valores-de-sao-paulo-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGUILERA, R. V.; CUERVO-CAZURRA, A. Codes of good governance worldwide: what is the trigger? Organization Studies, v. 25, n. 3, p. 415-443, 2004.

BEATO, R. S.; SOUZA, M. T. S.; PARISOTTO, I. R. S. Rentabilidade dos índices de sustentabilidade empresarial em bolsas de valores: um estudo do ISE/ BOVESPA. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 108-127, 2009.

CALDAS, C. B.; TAMBOSI FILHO, E.; VIEIRA, A. M. Governança corporativa e sustentabilidade: uma relação necessária. Revista Uniabeu, v. 7, n. 15, p. 353-369, 2014.

CALIXTO, L. A divulgação de relatórios de sustentabilidade na América Latina: um estudo comparativo. Revista de Administração, São Paulo, v. 48, n. 4, p. 828-842, 2013.

CHRISTMANN, P. Effects of “best practices” of environmental management on cost advantage: the role of complementary assets. Academy of Management Journal, v. 43, n. 4, p. 663-680, 2000.

COMDINHEIRO. Nd. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2016.

CRANE, A. et al. The corporate social responsibility agenda. In: CRANE, A. The Oxford Handbook of Corporate Social Responsibiliy. New York: Oxford University Press, 2008.

CRUZ, C. V. O. A.; LIMA, G. A. S. F. Reputação corporativa e nível de disclosure das empresas de capital aberto no Brasil. Universo Contábil, Blumenau, v. 6, n. 1, p. 85101, 2010.

CUNHA, F. A. F. S.; SAMANEZ, C. P. Performance analysis of sustainable investments in the Brazilian stock market: a study about the Corporate Sustainability Index (ISE). Journal of Business Ethics, v. 117, n. 1, p. 19-36, 2013.

DAVIS, K. The case for and against business assumption of social responsibility. Academy of Management Journal, v. 16, n. 2, p. 312-322, 1973.

ELKINGTON, J. Towards the sustainable corporation: win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, v. 36, n. 2, 1994.

FGV-GVCES. Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces). Disponível em . Acesso em: 30 maio2016.

FRIEDMAN, M. The social responsibility of business is to increase its profits. New York Times Magazine, New York 13 set 1970, p. 32-33/122-124.

GOMES, G. A. et al. Responsabilidade socioambiental corporativa e indicador de maturidade mediando desempenho estratégico para as organizações. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 244-269, 2010.

HART, S. L. Beyond greening: strategies for a sustainable world. Harvard Business Review, v. 75, n. 1, p. 66-76, 1997.

HERSEN, A.; LIMA, L. F.; LIMA, J. F. Evidências empíricas da influência da taxa média de juros sobre o mercado acionário brasileiro. Gestão e Regionalidade, São Caetano do Sul, v. 29, n. 85, p. 77-92, 2013.

IBOVESPA. Índice Bovespa: metodologia do Índice Bovespa. Disponível em . Acesso em: 6 jun 2016.

ISE. Índice de Sustentabilidade Empresarial. Disponível em . Acesso em: 30 maio2016.

KARNANI, A. Doing well by doing good: the grand illusion. California Management Review, v. 53, n. 2, p. 69-86, 2011.

KEINERT, T. M. M. (Org.). Organizações sustentáveis: utopias e inovações. São Paulo: Annablume, Belo Horizonte: Fapemig, 2007.

KING, A. A.; LENOX, M. J. Does it really pay to be green? An empirical study of firm environmental and financial performance. Journal of Industrial Ecology, v. 5, n.1, p. 105-116, 2001.

KNOEPFEL, I. Dow Jones sustainability group index: a global benchmark for corporate sustainability. Corporate Environmental Strategy, v. 8, n. 1, p. 6-15, 2001.

MACHADO, M. R.; MACHADO, M. A. V.; CORRAR, L. J. Desempenho do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores de São Paulo. Universo Contábil, Blumenau, v. 5, n. 2, p. 24-38, 2009.

MACLENNAN, M. L. F.; SEMENSATO, B. I.; OLIVA, F. L. Responsabilidade social empresarial: classificação das instituições de ensino superior em reativas ou estratégicas sob a ótica da governança corporativa. REGE – Revista de Gestão, São Paulo, v. 22, n. 4, p. 457-472, 2015.

MARTÍNEZ-FERRERO, J.; FRÍAS-ACEITUNO, J. V. Relationship between sustainable development and financial performance: international empirical research. Business Strategy and the Environment, v. 24, n. 1, p. 20-39, 2015.

MAZZIONI, S. et al. Análise dos indicadores de valor adicionado das empresas participantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e das demais empresas listadas na BM&FBovespa. Contextus – Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, v. 11, n. 2, p. 159-180, 2013.

McWILLIAMS, A.; SIEGEL, D. S.; WRIGHT, P. M. Corporate social responsability: strategic implications. Journal of Management Studies, v. 43, n. 1, p. 1-18, 2006.

MUNCK, L. et al. Em busca da sustentabilidade organizacional: a proposição de um framework. Revista Alcance, Biguaçu, v. 20, n. 4, p. 460-477, 2013.

NORMAN, W.; MACDONALD, C. Getting to the bottom of “triple bottom line”. Business Ethics Quarterly, v. 14, n. 2, p. 243-262, 2004.

NUNES, J. G. et al. Análise das variáveis que influenciam a adesão das empresas ao índice BM&FBOVESPA de sustentabilidade empresarial. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, São Leopoldo, v. 7, n. 4, p. 328-340, 2010.

ORO, I. M. et al. Relação do capital intelectual de natureza social e ambiental com o desempenho econômico-financeiro do segmento de energia elétrica brasileiro. Revista de Administração da UFSM, v. 7, edição especial, p. 59-74, 2014.

ORSATO, R. J. et al. Sustainability indexes: why join in?A study of the ‘Corporate Sustainability Index (ISE)” in Brazil. Journal of Cleaner Production, v. 96, n. 3, p. 161-170, 2015.

PLETSCH, C. S.; SILVA, A.; HEIN, N. Responsabilidade social e desempenho econômico-financeiro das empresas listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 9, n. 2, p. 5369, 2015.

PORTER M.; LINDE, V. D. Toward a new conception of the environmental competitiveness relationship. Journal of Economic Perspectives, v. 9, n. 4, p. 97-118, 1995.

ROBINSON, M.; KLEFFNER, A.; BERTELS, S. The value of a reputation for corporate social responsibility: empirical evidence. In: NORTHERN FINANCE ASSOCIATION CONFERENCE, 20, 2008, Alberta. Anais… Alberta: [s.n.], 2008.

ROVER, S. et al. Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração, v. 47, n. 2, p. 217-230, 2012.

RUSSO, M. V.; FOUTS, P. A. A resource-based perspective on corporate environmental performance and profitability. Academy of Management Journal, v. 40, n. 3, p. 534-559, 1997.

SAMPIERI, R.H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGrawHill, 2006.

SILVA, L. S. A.; QUELHAS, O. L. G. Sustentabilidade empresarial e o impacto no custo de capital próprio das empresas de capital aberto. Gestão e Produção, São Carlos, v. 13, n. 3, p. 385-395, 2006.

SILVA, S. S.; REIS, R. P.; AMÂNCIO, R. Conceitos atribuídos à sustentabilidade em organizações de diferentes setores. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 16, n. 40, p. 90-103, 2014.

VERGARA, S.C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

WADDOCK, S.A. Parallel universes: companies, academics, and the progress of corporate citizenship. Business and Society Review, v. 109, n. 1, p. 5-42, 2004.

WAGNER, M. The role of corporate sustainability performance for economic performance: a firm-level analysis of moderation effects. Ecological Economics, v. 69, n. 7, p. 1553-1560, 2010.