Competências Coletivas: Considerações Acerca de sua Formação e Desenvolvimento Outros Idiomas

ID:
41721
Resumo:
Os processos e o desempenho das organizações são construídos por meio de ações coletivas as quais são especialmente resultantes da interação entre pessoas. Entretanto, as formas de gestão predominantes nas organizações permanecem orientadas pela atuação individual. Uma das dificuldades é a escassez de cultura e instrumentos teórico-empíricos para lidar com configurações coletivas. Assim, o objetivo deste trabalho é ampliar os conhecimentos acerca das configurações coletivas a partir da seleção de categorias de análise que viabilizem a identificação de elementos e dinâmicas que constituem os coletivos. Nesse sentido optamos por um estudo de caso desenvolvido no ambiente de Recursos Humanos, mais particularmente nas práticas de gestão de RH de uma empresa que atua no setor financeiro, a fim de construir conhecimentos sobre essa dimensão coletiva. A análise dos resultados revelou não apenas a presença de elementos capazes de configurar os coletivos de trabalho, mas também uma dinâmica de formação e desenvolvimento de competências coletivas, principais contribuições do artigo. O uso desse instrumental revelou a presença de duas competências coletivas dentre as práticas de RH examinadas: (a) relacionamento e colaboração e (b) capacidade de desenvolver soluções conjuntas, observando-se que a primeira foi avaliada em estágio mais avançado de consolidação. Finalmente, ainda como resultado deste estudo, foi elaborado um framework que sistematiza os resultados obtidos na perspectiva da formação e desenvolvimento de competências coletivas.
Citação ABNT:
SILVA, F. M.; RUAS, R. L. Competências Coletivas: Considerações Acerca de sua Formação e Desenvolvimento. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 22, n. 1, p. 252-278, 2016.
Citação APA:
Silva, F. M., & Ruas, R. L. (2016). Competências Coletivas: Considerações Acerca de sua Formação e Desenvolvimento. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 22(1), 252-278.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.0102015.54938
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41721/competencias-coletivas--consideracoes-acerca-de-sua-formacao-e-desenvolvimento/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de L. A. Reto & A. Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2002.

BARNEY, J. B. Firm resourced and sustained competitive advantage. In: Journal of Management, v. 7, n. 1, p. 99-120, 1991.

BATAILLE, F. Competence collective et performance. Revue de Gestion des Ressources Humaines. Avril, mai, juin 2001, p. 66-81.

BITENCOURT, C. Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre: Bookman, 2004.

BONOTO, F.; KLEIN, M. F. Competência Coletiva. In: BITENCOURT, C. e col. Gestão Contemporânea de Pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. 2ª ed. p. 01-09. Porto Alegre: Bookman, 2010.

BONOTTO, F.; BITENCOURT, C. C. The Collective Competences: a way to inspire the expansive learning. In: Seventh International Conference on HRD Research and Practice Across Europe. Tillburg, 2006.

BRANDÃO, H. P.; GUIMARÃES, T.A. Gestão de competências e gestão de desempenho. Revista RAE, FGV,v.41, n.1, jan./mar. 2001.

COLIN, T.; GRASSER, B. Das competências individuais à competência coletiva: contribuições da aprendizagem em um serviço de emergência hospitalar. In: RETOUR, D. et al. Competências Coletivas: no limiar da estratégia. p. 79-98 Porto Alegre: Editora Bookman, 2011.

COMINI, G. M.; FERNANDES, B. H. R. Limitações na Estruturação de Modelos de Gestão por Competências: Uma Análise de Organizações Líderes em diversos Setores. In: XXXII ENANPAD 2008 Encontro científico de Administração - 6 a 10/09/, 2008, Rio de Janeiro. XXXII ENANPAD 2008. Rio de Janeiro, 2008.

DEFELIX, C.; LE BOULAIRE, M.; MONTIES, V.; PICQ, T. La compétence collective dans le contexte de la globalisation du management: retrouver le lien avec la performance. http://www.cairn.info/article_p.php?ID_ARTICLE=GRH_142 0031. Acesso em janeiro 2015.

DEJOUX, C. Pour une approche transversale de la gestion des competences. Gestion 2000. Nov-dec. 1998, p. 15-38.

DEMO, G.; NUNES, I. Política de Gestão de Pessoas: pressupostos, definições, resultados e produção internacional recente. In: DEMO, G. (org.). Políticas de Gestão de Pessoas nas Organizações: estudo da arte, produção nacional, agenda de pesquisa, medidas e estudos relacionais. p. 33-48. São Paulo: Atlas, 2012.

DIAS, G. B. et al. Revisando a noção de competências na produção cientifica em administração: avanços e limites. In: DUTRA, J. S.; FLEURY, M. T. L.; RUAS, R. L. (org.) Competências: conceitos, métodos e experiências. São Paulo: Atlas, 2008.

DUBOIS, M.; RETOUR, D. La competence collective : validation empirique fondées sur les représentations operatoires de travail partagées. Psychologie du Travail et des Organisations, v. 5, n. 2-1, p. 225-243, 1999.

FRANCO. M. L. P. B. Análise de Conteúdo. 2 ed. Brasília: Líber Livro Editora, 2005.

FROHM, C. Collective competence in an interdisciplinary project context. Sweden: UniTryck, 2002.

GOETZ, J. P.; LECOMPTE, M. D. Etnografía y diseño cualitativo en investigación educativa. Madrid: Ediciones Morata, 1988.

GRANT, R. M.; The Resource-Based Theory of Competitive Advantage: Implication for strategy Formulation. California Management Review, v. 33, n. 3, p. 114-135, 1991.

GRIMAND, A. Das competências individuais às competências estratégicas: Uma experiência de modelagem das estratégias concorrenciais com base na gestão de recursos humanos. In: RETOUR, D. et al. Competências Coletivas: no limiar da estratégia. Porto Alegre: Bookman, p. 23-44, 2011.

HANSSON, J. Total QualityManagement – aspects of implementation and performance.Investigations with a focus on small organizatios. 2003. Doctoral Thesis. Department of Business Administration and Social Science. Disponível em: http://pure.ltu.se/portal/files/152259/LTU-DT-0307-SE.pdf. Acesso março de 2011. 2003.

HEENE, A.; SANCHEZ, R. Competence based strategic management. Chichester: John Wiley & Sons, 1997.

HELFAT, C. E.; PETERAF, M. A. The dynamic Resource-Based View: Capability Lifecycles. Strategic Management Journal, p. 997-1010, 2003.

JAVIDAN, M. Core competence: what does it mean in practice? Long Range Planning, v. 31, n. 1, 1998.

KING, A. W.; FOWLER, S. W.; ZEITHAMI, C. Competências organizacionais e vantagem competitiva: o desafio da gerência intermediária. RAE, v. 42, n. 1, jan./mar. 2002.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia de pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

LE BOTERF, G. De La competénce. Paris: Les Editions d’Organization, 1995.

LE BOTERF, G. De quelle concept de compétence avons-nous besoin? In: Soin Cadres, fev./2002. Disponível em: http://www.guyleboterf-conseil.com/images/Soins%20cadres.PDF. Acesso em agosto de 2012.

LE BOULAIRE, M. DEFELIX; GAUTIER, B.; PICQ, T. Performance: Retrouver les Chemins du Collectif? Disponível em http://www.entreprise-personnel.com/fr/publications/etudendeg315. Acesso em outubro de 2014.

LJUNGQUIST, U. (2007). Core competency beyond identification: presentation of a model. Management Decision, 45(3), 393-402.

MASCARENHAS, A. O. Gestão estratégica de pessoas: evolução, teoria e crítica. São Paulo: Cencage Learning, 2008.

MICHAUX, V. Articular as competências individual, coletiva, organizacional e estratégica: esclarecendo a teoria dos recursos e do capital social. In: RETOUR, D. et al. Competências Coletivas: no limiar da estratégia. p. 01-22. Porto Alegre: Bookman, 2011.

MICHAUX, V. Compétences collectives et haute performance: apports thóriques et enjeux opérationnels. Revue de Gestion des Ressources Humaines, v. 58, p. 45-66, Oct./Dec. 2005.

MILLS, J.; PLATTS, K.; BOURNE, M.; RICHARD, H. Competing through competences. Cambridge: University Press, 2002.

MIRANDA, K. F.; GALLON, A. V.; DE LUCA, M. M. M.; CABRAL, J. E. O. A capacidade inovativa e o desempenho econômico-financeiro de empresas inovadoras brasileiras. REAd.Revista Eletrônica de Administração v. 81, p. 269299, 2015.

MOLON DA SILVA, F. As práticas de gestão de recursos humanos e o processo de identificação de competências coletivas: um estudo de caso na área de gestão de pessoas do Centro Administrativo do Sicredi. 29 de maio de 2013. 193 f. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Programa de Pós-Graduação em Administração. Porto Alegre, 2013.

MOLON DA SILVA, F. O que sabemos sobre competências coletivas? In: XXXVI Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2012, Rio de Janeiro: Anais Eletrônicos, 2012.

NELSON, R; WINTER, S. An evolutionary theory of economic change. Cambridge: Harward University Press, 1982.

NORDHAUG, O.; GRÖNHAUG, K. Competences as resources in firm. In: International Journal Resources Management, v. 5, n. 1, p. 89, 1994.

NUNES, J. O. C.; OLIVEIRA, H. V. Novas Tendências da Área de Recursos Humanos das Organizações: Sob os Enfoques Explicativos das Perspectivas Estrutural e Estratégica de Mudanças. REAd.Revista Eletrônica de Administração, v. 03, p. 397-421, 2010.

PAUVERS, B.; SCHIEB-BIENFAIT, N. Competências individuais e coletivas no centro da estratégia: um estudo de caso longitudinal em uma empresa cooperativa de construção civil. In: RETOUR, D. PICQ, T.; DEFÉLIX, C.;RUAS, R. Competências Coletivas: no limiar da estratégia. Porto Alegre: Bookman, p. 127-152, 2011.

PRAHALAD, C.K.; HAMEL, G. The Core Competence of the Corporation. Harvard Business Review, v. 90, n. 3, p. 79-93, May/June, 1990.

RETOUR, D.; KROHMER, C. A. A competência coletiva: uma relação-chave na gestão das competências. In: RETOUR, D. PICQ, T.; DEFÉLIX, C.; RUAS, R. Competências Coletivas: no limiar da estratégia. Porto Alegre: Bookman, p. 45-78, 2011.

RETOUR, D.; KROHMER, C. A. La Competence collective maillon clé de la gestion des competences. In: DEFELIX,C.; KLASFERD,A.; OIRY, E. Nouveaux regards sur la gestion des competences. Paris, AGH-Vuibert, 2006.

RETOUR, D.; PICQ, T.; DEFÉLIX, C. Gestion des compétences, nouvelles relations, nouvelles dimensions. Paris: Vuibert, 2009.

ROSA, J. S.; BITENCOURT, C. A Dinâmica das Competências Coletivas em um Contexto de Redes de Cooperação. In: UNOPAR Científica. Ciências Jurídicas e Empresariais, v. 11, p. 5-14, 2010.

RUAS, R. L. Desenvolvimento de Competências Gerenciais e a Contribuição da Aprendizagem Organizacional. IIn: n: FLEURY, MT;OLIVEIRA, MM, Gestão Estratégica do Conhecimento. São Paulo, Atlas, 2001.

RUAS, R. L. Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. RUAS, R. L.; Antonello, C.; BOFF, L. H. Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, 2005.

RUAS, R.; MOLON DA SILVA, L.; BECKER, G.V; COMINI, G. Competências Coletivas: Resultados Teórico-Práticos acerca de sua configuração em Empresas Brasileiras. XXXVII ENANPAD, 2013.

SANCHEZ, R.; HEENE, A. The New Strategic Management. Organization, Competition and Competence. New York : John Wiley and Sons, 2004.

SANDBERG, J. Human competence at work. Suécia: Grafikerna I Kungälv, 1996.

SANDBERG, J.; TARGAMA, A. Managing Understanding in Organizations. London: Sage, 2006.

STALK, G.; EVANS, P.; SCHULMAN, E. Competing on Capabilities: The New Rules of Corporate Strategy. Harvard Business Review, v.70, n.2, p. 57-69, 1992.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

ULRICH, D.; BEATTY, D. From Partners to Players: Extending the HR Playing Field. In: Human Resource Management, n. 40, v. 4, p. 293-307, 2001.

WARNIER, V. Construire Les Compétences Stratégiques - Le Cas De L'industrie De La Dentelle Haut De Gamme. Paris: Vuibert, 2008.

WERNERFELT, B. A Resource-based View of the Firm. In: Strategic Management Journal, v. 5, p. 171-180, 1984.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZARIFIAN, P. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.