Índice de Desenvolvimento da Educação Básica dos Estados e do Distrito Federal: avaliação em um único índice. 2005-2013 Outros Idiomas

ID:
41767
Resumo:
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) foi criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) em 2007 e representa a iniciativa de reunir em um só indicador conceitos importantes para a qualidade da educação. Foram divulgados no sítio eletrônico do INEP, o IDEB por escola, município, unidade da federação, região e Brasil, dos anos de 2005, 2007, 2009, 2011 e 2013. O objetivo desta investigação é elaborar um único índice de desenvolvimento da educação básica dos Estados e do Distrito Federal, a partir dos IDEB de 2005-2013, com a utilização da Análise de Componentes Principais (ACP). Para atingir o objetivo, foi elaborado um modelo teórico e empírico. Os resultados revelaram que o Estado de Minas Gerais apresentou o melhor desempenho no índice que sintetiza todos os IDEB até agora divulgados pelo INEP com o escore de 4.2187, o qual foi considerado na escala de 0 a 1, como eficiente (1 = 100%) para, a partir do mesmo, identificar a porcentagem relativa da eficiência dos demais Estados e do Distrito Federal. Os Estados do Paraná e São Paulo ficaram, respectivamente na 2ª e 3ª posição e os Estados do Rio Grande do Norte (25ª), Alagoas (26ª) e Bahia (27ª) nas últimas posições.
Citação ABNT:
SILVA, M. C.; SOUZA, F. J. V.; SILVA, J. D. G.; BORGES, E. F. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica dos Estados e do Distrito Federal: avaliação em um único índice. 2005-2013. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 14, n. 1, p. 91-104, 2016.
Citação APA:
Silva, M. C., Souza, F. J. V., Silva, J. D. G., & Borges, E. F. (2016). Índice de Desenvolvimento da Educação Básica dos Estados e do Distrito Federal: avaliação em um único índice. 2005-2013. Revista Capital Científico - Eletrônica, 14(1), 91-104.
DOI:
10.5935/2177-4153.20160006
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41767/indice-de-desenvolvimento-da-educacao-basica-dos-estados-e-do-distrito-federal--avaliacao-em-um-unico-indice--2005-2013/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALA-HARJA, M.; HELGASON, S. Em direção às melhores práticas de avaliação. Revista do Serviço Público, v. 51, n. 4, Out-Dez. 2000.

ALMEIDA, L. C.; DALBEN, A.; FREITAS, L. C. O IDEB: limites e ilusões de uma política educacional. Educ. Soc.; Campinas, v. 34, n. 125, p. 1153-1174, out.- dez. 2013.

ANDREWS, C. W.; VRIES, M. S. Pobreza e municipalização da educação: análise dos resultados do IDEB (2005-2009). Cadernos de Pesquisa, v. 42, n. 147, p. 826-847, set./dez. 2012.

AYRES, M. BioEstat 5.0 – Aplicações estatísticas nas áreas das ciências bio-médicas. Universidade Federal do Pará. Belém, 2007.

AYRES, M. Elementos de bioestatística: a seiva do açaizeiro. 2. ed. Belém: Supercores, 2012.

BOTLER, A.; SANTOS, B.; SIQUEIRA, J. N. C. Gestão escolar e violência: implicações para a melhoria dos resultados educacionais em escolas com baixo IDEB. Est.Soc, 2013, vol.1, n. 19.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, nº 191-A, de 05 out. 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996.

CASTRO, C. M. Avaliar não é para amadores. In: SOUZA, A. M. (Org.). Dimensões da avaliação educacional. Petrópolis: Vozes, 2005.

CASTRO, M. H. G. A consolidação da política de avaliação da educação básica no Brasil. Meta: Avaliação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 271-296, set./dez. 2009.

CASTRO, M. H. G. Sistemas de avaliação da educação no Brasil: avanços e novos desafios. São Paulo Perspec., v. 23, n. 1, p. 5-18, jan./jun. 2009.

DIEL, E. H.; DIEL, F. J.; SCHULZ, S. J.; CHIARELLO, T. C.; ROSA, F. S. Desempenho de municípios brasileiros em relação à estratégia de investimento público em educação. Desenvolvimento em Questão, Ano 12. n. 26, abr./jun. 2014.

EDITORA ABRIL. REVISTA VEJA ONLINE. IDEB 2013 revela estagnação no ensino fundamental e médio. Disponível em: . Acesso em 20 dez. 2013.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Tradução de Lorí Viali. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FIGUEIREDO FILHO, D. B.; PARANHOS, R.; ROCHA, E. C.; SILVA JR, J. A.; MAIA, R. G. Análise de componentes principais para construção de indicadores sociais. Rev. Bras. Biom., v. 31, n. 1, p. 61-78, 2013.

GOUVEIA, A. B.; SOUZA, A. R.; TAVARES, T. M. O IDEB e as políticas educacionais na região metropolitana de Curitiba. Est. Aval. Educ, v. 20, n. 42, p. 45-58, jan./abr. 2009.

GRAMANI, M. C. N.; DUARTE, A. L. C. M. O impacto do desempenho das instituições de educação básica na qualidade do ensino superior. Ensaio: aval. pol. públ. Educ. [online]. 2011, vol. 19, n. 72, pp. 679-702. ISSN 0104-4036.

GUBA G. E.; LINCOLN, Y. S. Avaliação de quarta geração. Tradução de Beth Honorato. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

GUIMARÃES, J. R. S.; JANNUZZI, P. M. IDH, indicadores sintéticos e suas aplicações em políticas públicas: uma análise crítica. R. B. Estudos Urbanos e Regionais, v. 7, n. 1. 2005.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). IDEB – Resultados e Metas. Disponível em: . Acesso em: 20 dez.2014.

JOHNSON, R. A.; WICHERN, D. W. Applied Multivariate Statistical Analysis. 6. ed. New Jersey: Prentice Hall, 2007.

JORNAL ESTADO DE MINAS ONLINE. Minas lidera ranking do ensino fundamental no país no IDEB. Disponível em: . Acesso em 20 dez. 2014.

KUBRUSLY, L. S. Um procedimento para calcular índices a partir de uma base de dados multivariados. Pesquisa Operacional, vol. 21, n. 1, p. 107-117, 2001.

LATTIN, J.; CARROLL, J. D.; GREEN, P. E. Análise de dados multivariados. Tradução de Harue Avritscher. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

MANLY, B. J. F. Métodos estatísticos multivariados: uma introdução. Tradução de Sara Ianda Carmona. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. 1ª reimpressão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

MINGOTI, S. A.; SILVA, A. F. Um exemplo de aplicação de técnicas de estatística multivariada na construção de índices de preços. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, 1997.

PADILHA, F.; KASMISRKI, P. R.; CORRÊA, G. Z.; RIBEIRO, V. M.; BATISTA, A. A. G. Qualidade e equidade no ensino fundamental público do Ceará. Cadernos CENPEC, São Paulo, v. 3, n. 1, p. 81-110, jun. 2013.

RIBAS, J. R.; VIEIRA, P. R. C. Análise multivariada com o uso do SPSS. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

SCHNEIDER, M. P.; NARDI, E. L. O Potencial do IDEB como estratégia de accountability da qualidade da educação básica. RBPAE, v. 29, n. 1, p. 27-44, jan/abr. 2013.

SOUZA, A. M. A relevância dos indicadores educacionais para a educação básica: informação e decisões. In: SOUZA, A. M. (Org.). Dimensões da avaliação educacional. Petrópolis: Vozes, 2005.

SOUZA, F. J. V.; MELO, M. M. D.; SILVA, M. C.; ARAÚJO, A. O. Alocação de recursos públicos em educação nos Estados Brasileiros: uma análise das relações entre a eficiência dos gastos públicos com educação e o desempenho no IDEB no ano de 2009. Revista UNIABEU, Belford Roxo V.5, Número 11, setembro-dezembro 2009.

THOENIG, J. C. A avaliação como conhecimento utilizável para reformas de gestão pública. Revista do Serviço Público, v. 51, n. 2, Abr-Jun. 2000.

VYAS, S.; KUMARANAYAKE, L. (2006). Constructing socio-economic status indices: how to use principal components analysis. Health Policy and Planning, 9 October 2006. 21(6), 459-468. DOI: 10.1093/heapol/czl029.

WILBERT, M. D; D’ABREU, E. C. C. F. Eficiência dos gastos públicos na educação: análise dos municípios do estado de Alagoas. Advances in Scientific and Applied Accounting. São Paulo, v. 6, n. 3, p. 348-372, 2013.