Processo de Institucionalização do Balanced Scorecard em uma Operadora de Saúde Suplementar, na Cidade de Brusque, Santa Catarina, Brasil Outros Idiomas

ID:
41866
Resumo:
Esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de averiguar o processo de institucionalização e o funcionamento do Balanced Scorecard (BSC) em uma organização de saúde suplementar. O método adotado foi o estudo de caso na Unimed da cidade de Brusque, Santa Catarina, Brasil e a coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas com 13 colaboradores (coordenadores e gerentes), observação e análise documental. Os resultados evidenciaram que o BSC estava inserido na cultura organizacional e que com o mapa estratégico e os relatórios criados, otimizaram o trabalho das equipes na tomada de decisões e introdução de melhorias contínuas. Concluiu-se que foi possível observar o processo de institucionalização do BSC na rotina na organização. Este processo contou com a colaboração dos funcionários e foi aceito como uma prática incontestável por muitos dos envolvidos.
Citação ABNT:
SILVA, M. Z.; SBARDELATTI, E. L.; ROSA, F. S. Processo de Institucionalização do Balanced Scorecard em uma Operadora de Saúde Suplementar, na Cidade de Brusque, Santa Catarina, Brasil . Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, v. 13, n. 1, p. 1-15, 2016.
Citação APA:
Silva, M. Z., Sbardelatti, E. L., & Rosa, F. S. (2016). Processo de Institucionalização do Balanced Scorecard em uma Operadora de Saúde Suplementar, na Cidade de Brusque, Santa Catarina, Brasil . Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde, 13(1), 1-15.
DOI:
10.21450/rahis.v13i1.2470
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/41866/processo-de-institucionalizacao-do-balanced-scorecard-em-uma-operadora-de-saude-suplementar--na-cidade-de-brusque--santa-catarina--brasil--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, V. E.; COLAUTO, R. D. Institucionalização do balanced scorecard: o caso de uma organização brasileira... In: XV Congresso Latino-Iberoamericano de Gestão de Tecnologia, Porto, Portugal, 2013.

BURNS, J.; SCAPENS, R. W. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research, v. 11, p. 3-25, 2000.

CAMPOS, J. A. Cenário balanceado: painel de indicadores para a gestão estratégica dos negócios. São Paulo: Aquariana, 1998.

CONCEIÇÃO, O. A. C. Instituições, crescimento e mudança na ótica institucionalista. 2002. 228f. Tese (Doutorado em Economia)- Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser, Porto Alegre, 2002.

COSTA, A. P. P. Balanced scorecard: conceitos e guia de implementação. São Paulo: Atlas, 2006.

DIMAGGIO, P. J., POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, p. 147-160, apr. 1983.

FONSECA, V.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Conversação entre abordagens da estratégia em organizações: escolha estratégica, cognição e instituição. Organizações e Sociedade, v. 9, n. 25, p. 93-109, 2002.

FREITAS, C. A. S. Aprendizagem, isomorfismo, e institucionalização: o caso da atividade de auditoria operacional no Tribunal de Contas da União. 2005. 235f. Tese (Doutorado em Administração)- Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.

FREZATTI, F. O paradigma econômico na contabilidade gerencial: um estudo empírico sobre a associação entre taxas de retorno sobre o patrimônio líquido e diferentes perfis da contabilidade gerencial. Revista de Administração, v. 41, n. 1, p. 5-17, 2006.

GONÇALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. São Paulo: Alínea, 2007.

GRANDLUND, M. Towards explaining stability in and around management accounting systems. Management Accounting Research, v. 12, p. 141-166, 2001.

GUERREIRO, R.; FREZATTI, F.; CASADO, T. Em busca do entendimento da formação dos hábitos, rotinas e instituições da contabilidade gerencial. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 4, 2004, São Paulo - SP. Anais... São Paulo- SP, 2005.

HELMS, M. M.; NIXON, J. Exploring SWOT analysis-where are we now?A review of academic research from the last decade. Journal of Strategy and Management, v. 3, n. 3, p. 215-251, 2010.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: balanced scorecard. 7. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. Mapas estratégicos: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

PEREIRA, C. A.; GUERREIRO, R. Avaliação do processo de mudança da contabilidade gerencial sob o enfoque da teoria institucional: o caso do Banco do Brasil. ENANPAD, 2005. Rio de Janeiro - RJ. Anais… Rio de Janeiro - RJ, 2005.

REIS, L. G. A influência do discurso no processo de mudança da contabilidade gerencial: um estudo de caso sob o enfoque da teoria institucional. 2008. 196f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis)- Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e pesquisa em administração: guia de estágios, trabalho de conclusão, dissertações e estudos de caso. São Paulo: Atlas, 2012.

RUSSO, P. T. A institucionalização do balanced scorecard pelas organizações: o caso Sabesp. Dissertação (Mestrado em Contabilidade)- Fundação Escola de Comércio Álvarez Penteado (FECAP), São Paulo, 2011.

RUSSO, P. T.; PARISI, C.; SILVA, A. F.; WEFFORT, E. F. J. Percepção dos gestores sobre o processo de institucionalização do balanced scorecard de uma empresa de saneamento. Produção, v. 24, n. 4, out./dez. 2013.

SCAPENS, R. W. Understanding management accounting practices: a personal journey. The British Accounting Review, v. 38, p. 1-30, 2006.

SOUZA, M. A.; LISBOA, L. P.; ROCHA, W. Práticas de contabilidade gerencial adotadas por subsidiarias brasileiras de empresas multinacionais. Revista de Contabilidade & Finanças USP, n. 32, p. 40-57, maio/ago. 2003.

YIN, K. R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.