O Voluntariado Social e suas Interrelações com a Sustentabilidade Outros Idiomas

ID:
42018
Resumo:
O artigo buscou identificar as principais dificuldades encontradas pela Associação Vida Cidadã (AVIC), na ótica do voluntariado. O estudo consiste em uma pesquisa de abordagem qualitativa, do tipo descritiva, cujo procedimento consiste em um estudo de caso. Foi possível observar que, na visão dos voluntários sujeitos da pesquisa, a principal dificuldade existente na organização é a sustentabilidade financeira. Os voluntários da organização vêem a humanização como o principal ponto forte da AVIC. Evidencia-se a predominância do entendimento de sustentabilidade pela integração das sustentabilidades (econômica, social, ambiental) com tendência de preferência para a dimensão social.
Citação ABNT:
CENCI, R.; SILVA, R. M. F.; SEHNEM, S.; FILIPPIM, E. S. O Voluntariado Social e suas Interrelações com a Sustentabilidade . Revista Administração em Diálogo, v. 18, n. 2, p. 1-33, 2016.
Citação APA:
Cenci, R., Silva, R. M. F., Sehnem, S., & Filippim, E. S. (2016). O Voluntariado Social e suas Interrelações com a Sustentabilidade . Revista Administração em Diálogo, 18(2), 1-33.
DOI:
http://dx.doi.org/10.20946/rad.v18i2.17970
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42018/o-voluntariado-social-e-suas-interrelacoes-com-a-sustentabilidade-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRASIL. Lei n. 9608, de 18 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 09 jun. 2013.

CAMARGOS, Ana Amélia Mascarenhas. Direito do trabalho no Terceiro Setor. São Paulo: Saraiva, 2008.

CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. São Paulo: Cultrix, 2005.

CARDOSO, Ruth. Fortalecimento da sociedade Civil. In: IOSCHPE, Evelyn Berg (Org). 3º Setor: desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

Christiane Kleinübing Godoi.; BANDEIRA-DE-MELLO, Rodrigo; SILVA, Anielson Barbosa (Org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

CMMAD COMISSÃO MUNDIAL SOBRE O MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1991.

COELHO, Simone de Castro Tavares. Terceiro Setor: um estudo comparado entre Brasil e Estados Unidos. São Paulo: SENAC, 2002.

DOHME, Vânia D’Angelo. Voluntariado – equipes produtivas: como liderar ou fazer parte de uma delas. São Paulo: Machenzie, 2001.

ELKINGTON, John. Enter the Triple Bottom Line, 2004. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2013.

FALCONER, Andrés Pablo. A Promessa do Terceiro Setor. Um Estudo sobre a Construção do Papel das Organizações Sem Fins Lucrativos e de seu Campo de Gestão. 1999. Disponível em: Acesso em 12 jun. 2013.

FECAM. Federação Catarinense de Municípios. Disponível em: Acesso em: 10 mar. 2013.

FERNANDES, P. V. Impacto ambiental: doutrina e jurisprudência. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

FERNANDES, R. C. Privado Porém Público – O Terceiro Setor na América Latina. Rio de Janeiro: CIVICUS/Relume Dumará, 1994.

FILIPPIM, E. S. Teorias do Desenvolvimento. Joaçaba, Unoesc, mimeo, 2008.

FISCHER, R.M.; FALCONER, A.P. Estratégias de empresas no Brasil: a atuação social e voluntariado. Brasília. Programa Voluntários, Conselho da Comunidade Solidária, 1999.

FISCHER, Rosa Maria. O Desafio da Colaboração. São Paulo: Gente, 2002.

FRANÇA FILHO, Geraldo Carvalho. Terceiro Setor: Economia Social, Economia Solidária e Economia Popular Traçando fronteiras conceituais. Bahia Análises & Dados. Salvador, SEI v.12. n.1 p. 9-19 Junho, 2002.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista de Administração de Empresas, v. 35, n.2, Mar./Abr.1995, p.57-63. Christiane Kleinübing Godoi.; BANDEIRA-DE-MELLO, Rodrigo; SILVA, Anielson Barbosa (Org.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

GODOY, Arilda Schmidt. Refletindo sobre critérios de qualidade da pesquisa qualitativa. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional (Gestão.Org), v. 3, n. 2, mai./ago. 2005.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Estados. Rio de Janeiro: IBGE/MMA. Disponível em: Acesso em: 15 mar. 2013.

JACOBI, Pedro. Meio Ambiente e Sustentabilidade. In: CEPAM. O município no século XXI: cenários e perspectivas. São Paulo: CEPAM (Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal), 1999. p. 175-183.

KISIL, Marcos. Organização Social e Desenvolvimento Sustentável: projetos de base comunitária. In: IOSCHPE, Evelyn Berg (Org). 3º Setor: desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

LEWIS, Jordan. Alianças Estratégicas: estruturando parcerias para o aumento da lucratividade. São Paulo, Pioneira, 1992.

MENDONCA, Patrícia Maria; ARAUJO, Edgilson Tavares. Sustentabilidade Organizacional em ONGs: Os casos do GAPA-BA e do Grupo Brasil a partir das contribuições da Teoria da Dependência de Recursos. Revista Gestão e Planejamento. Salvador, v. 12, n. 1, p. 112-132, jan./jun. 2011. Disponível em: Acesso em 19 jul. 2013.

MOURA, L.A.A. Qualidade e gestão ambiental: sugestões para implantação das Normas ISSO 14000 nas Empresas. 3.ed. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2002.

NOLETO, Marlova. Parceiras e Alianças Estratégicas: Uma Abordagem Prática. São Paulo: Instituto Fonte, 2000.

ONU. Organização das Nações Unidas. Nações Unidas no Brasil: A ONU e o voluntariado. Disponível em: Acesso em: 09 jun. 2013.

PAULA, Juarez. Uma Agenda Para o Brasil. In: Uma Agenda de Desenvolvimento Humano e Sustentável para o Brasil do Século XXI. PNUD – Instituto de Política, 2000.

PNUD. Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento. Programa de Voluntários das Nações Unidas (VNU). Disponível em: Acesso em: 16 jun. 2013.

REY, Fernando Gnovález. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. 1.ed. São Paulo: Thomson, 2005. V. 1.

ROCA, G. J. Solidaridad y voluntariado. Maliaño (Cantabria): Sal Terrae, 1994.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

SACHS, Ignacy. A riqueza de todos: a construção de uma economia sustentável em um planeta superpovoado, poluído e pobre. Tradução Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SALAMON, Lester. A emergência do Terceiro Setor – uma revolução associativa global. Revista de Administração, São Paulo v.33, n 1, p.5-11, janeiro/março 1998.

SALAMON, Lester. Estratégias para o fortalecimento do Terceiro Setor. In: IOSCHPE, Evelyn Berg (Org). 3º Setor: desenvolvimento social sustentado. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1997.

SALAMON, Lester; ANHEIER, H. In search of nonprofit sector: the quest for definition’s. Voluntas, v3, n.2, p.267-311, 1992.

SAMPAIO, Helena; RODRIGUES, Lea. Construção e Dinâmica da Parceria nos Programas do Conselho da Comunidade Solidária – mimeo, Programa de Parcerias entre Estado e Sociedade, 1999.

SEIFFERT, Mari Elizabete Bernardini. Gestão Ambiental – Instrumentos, Esferas de Ação e Educação Ambiental. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2011.

SOARES, Helena Isabel Costa. O contributo do voluntariado no apoio aos idosos sós e/ou dependentes do concelho de Ovar. Coimbra, 2012. Trabalho de Conclusão de Mestrado em Sociologia – Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 jun.2013.

SOUZA, Washington José; MEDEIROS, Jássio Pereira. Trabalho Voluntário: Motivos para sua realização. Revista de Ciências da Administração. V. 14, n33, p. 93-102, ago.2012. Disponível em: Acesso em: 02 jun. 2013.

TEODÓSIO, Armindo dos Santos de Souza. Voluntariado: entre a utopia e a realidade da mudança social. ANPAD, 2002. Disponível em: Acesso em: 03 jun. 2013.

TINOCO, J. E. P; KRAEMER, M. E. P. Contabilidade e gestão ambiental. São Paulo: Editora Atlas, 2004.

UNIETHOS. Manual Programa de Voluntariado. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2013

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005