Cognição e Afetividade nas Trajetórias Empreendedoras das Mulheres da Cidade do Natal – RN Outros Idiomas

ID:
42264
Resumo:
Este estudo tem como objetivo geral compreender a influência dos aspectos cognitivos e afetivos nas trajetórias de mulheres empreendedoras na cidade do Natal – Rio Grande do Norte. Norteia-se pelo framework proposto por Nassif, Ghobril e Silva (2010), que considera a dinamicidade do processo empreendedor ao contemplar fatores como características pessoais, sociológicas e ambientais e as diferentes fases pelas quais passa uma organização. Julgou-se oportuno a realização de um estudo qualitativo e para viabilizar a consecução dos objetivos, utilizou-se o método da história oral temática. A pesquisa foi desenvolvida com dez mulheres empreendedoras da cidade do Natal - RN, que estão à frente de empreendimentos de três anos e meio a 30 anos de existência. A coleta dos dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada, que foi transcrita e analisada utilizando a análise de conteúdo. Os resultados apontam que os aspectos afetivos têm significativa e constante relevância nas ações das empreendedoras em todas as fases de seus empreendimentos e que os aspectos cognitivos se tornam mais influentes à medida que os empreendimentos crescem e se desenvolvem no decorrer da trajetória empreendedora.
Citação ABNT:
CORTEZ, A. E. G.; FERREIRA, T. B.; FERREIRA, C. M.; ARAÚJO, A. G. Cognição e Afetividade nas Trajetórias Empreendedoras das Mulheres da Cidade do Natal – RN. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 5, n. 2, p. 1-27, 2016.
Citação APA:
Cortez, A. E. G., Ferreira, T. B., Ferreira, C. M., & Araújo, A. G. (2016). Cognição e Afetividade nas Trajetórias Empreendedoras das Mulheres da Cidade do Natal – RN. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 5(2), 1-27.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42264/cognicao-e-afetividade-nas-trajetorias-empreendedoras-das-mulheres-da-cidade-do-natal-----rn/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBERTI, V. Manual de história oral. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

ALPERSTEDT, G. D.; FERREIRA, J. B.; SERAFIM, M. C. Empreendedorismo feminino: dificuldades relatadas em histórias de vida. Revista de Ciências da Administração, v. 16, n. 40, p. 221-234, 2014.

ARMSTRONG, S. J.; COOLS, E.; SADLER-SMITH, E. Role of cognitive styles in business and management: Reviewing 40 years of research. International Journal of Management Reviews, v. 14, n. 3, p. 238-262, 2012.

BASTOS, A. V. B.; SOUZA, J. J.; COSTA, V. M. F.; PEIXOTO, A. L. A. A adoção de novas práticas de gestão: explorando o esquema cognitivo dos atores em empresas com diferentes padrões de inovação. Revista de Ciências da Administração, v. 13, n. 31, p. 243-268, 2011.

BAUER, M. W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. Tradução de Pedrinho Guareshi. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 90-113.

BITENCOURT, C. C.; BARBOSA, A. C. Q. Gestão de competências: articulando indivíduos, organizações e sociedade. In: BITENCOURT, C. (Org.) Gestão Contemporânea de Pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

BRETAS, A. C. P. Pesquisa qualitativa e o método da história oral: aspectos conceituais. Acta Paul Enf, v. 13, n. 3, p. 81-91, 2000.

BROEK, V. H.; VANDERHEYDEN, K.; COOLS, E. Individual differences in cognitive styles: development, validation and cross-validation of the cognitive style inventory. [Working Paper]. Vlerick Leuven Gent Management School, 2003.

CHURCHILL, N. C.; LEWIS, V. L. The five stages of small business growth. Harvard Business Review, v. 61, n. 3, p. 1-12, 1983.

CRAVINO, L. Conceptos y herramientas de management. Administración de Desempeño, n. 24, 1997.

DAVIS, L. The work activity briefing: A model for workplace learning and leadership. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação). Brisbane, 2000.

DELLANGELO, E. H. L.; SILVA, R. C. Análise de conteúdo e sua aplicação em pesquisa na administração. In: VIEIRA, M. M. F.; ZOUAIN, D. M. (Orgs.). Pesquisa qualitativa em administração: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

DREJER, A. Organizational learning and competence development. The Learning Organization, v. 7, n. 4, p. 206-220, 2000.

DURAND, T. Forms of Incompetence. In: PROCEEDINGS FOURTH INTERNATIONAL CONFERENCE ON COMPETENCE-BASED MANAGEMENT. Proceedings... Oslo: Norwegian School Of Management, 1998.

FERREIRA, J. M.; NOGUEIRA, E. E. S. Mulheres e suas histórias: razão, sensibilidade e subjetividade no empreendedorismo feminino. Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 4, p. 398-417, 2013.

FLEURY, M.; FLEURY, A. Estratégias empresariais e formação de competências: Um quebra-cabeça caleidoscópio da indústria brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

FLICK, U. Uma Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

GEM, GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR. Empreendedorismo no Brasil 2014: relatório executivo. Curitiba: IBQP, 2014.

GIL, A. C.; SILVA, S. P. M. O Método Fenomenológico na pesquisa sobre empreendedorismo no Brasil. Revista de Ciências da Administração, v. 17, n. 41, p. 99-113, 2015.

GOMES, A. F. O perfil empreendedor de mulheres que conduzem seu próprio negócio: um estudo na cidade de Vitória da Conquista-BA. Revista Alcance, v. 11, n. 2, p. 207-226, 2004.

GREINER, L. E. Evolution and revolution as organizations grow. Harvard Business Review, v. 50, n. 4, p. 37-46, 1972.

JOVCHELOVITCH, S.; BAUER, M. W. Entrevista narrativa. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. p. 90-113. Petrópolis: Vozes, 2002.

LE BOTERF, G. Construire la compétence collective de l'entreprise. GESTIONMONTREAL, v. 22, n. 3, p. 82-85, 1997.

LINDO, M. R.; CARDOSO, P. M.; RODRIGUES, M. E.; WETZEL, U. Vida pessoal e vida profissional: os desafios de equilíbrio para mulheres empreendedoras do Rio de Janeiro. RAC-Eletrônica, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2007.

MACHADO, H. P. V.; NASSIF, V. M. J. Réplica - Empreendedores: reflexões sobre concepções históricas e contemporâneas. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 6, p. 892-899, 2014.

MACHADO, H. V.; ST-CYR, L.; MIONE, A.; ALVES, M. C. M. O processo de criação de empresas por mulheres. RAE-eletrônica, v. 2, n. 2, p. 1-22, 2003.

MALMSTRÖM, M.; JOHANSSON, J.; WINCENT, J. Cognitive constructions of low‐profit and high‐profit business models: A repertory grid study of serial entrepreneurs. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 39, n. 5, p. 1083-1109, 2015.

MARTINS, C. B.; CRNKOVIC, L. H.; PIZZINATTO, N. K.; MACCARI, E. A. Empreendedorismo feminino: características e perfil de gestão em pequenas e médias empresas. Revista de Administração da UFSM, v. 3, n. 2, p. 288-302, 2010.

MCCLELLAND, D. C. A sociedade competitiva. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

MCCLELLAND, D. C. The achievement motive in economic growth. In: KILBY, P. (Ed.). Entrepreneurship and economic development. p. 109-122. New York: The Free Press, 1971.

MITCHELL, R. K.; BUSENITZ, L.; LANT, T.; MCDOUGALL, P. P.; MORSE, E. A.; SMITH, J. B. Toward a theory of entrepreneurial cognition: rethinking the people side of entrepreneurship research. Entrepreneuship Theory & Practice, v. 27, n. 2, p. 93-104, 2002.

MOSCOVICI, F. Equipes dão certo. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1994.

MYERS, M. D.; NEWMAN, M. The qualitative interview in IS research: Examining the craft. Information & Organization, v. 17, n. 1, p. 2-26, 2007.

NASSIF, V. M. J.; GHOBRIL, A. N.; COSTA, A. C. F.; SILVA, N. S. GUARDANI, F. Contribuição para o entendimento das competências do empreendedor: a derivação de um esquema a partir de relatos de trajetórias empresariais em pequenas empresas. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2004.

NASSIF, V. M. J.; GHOBRIL, A. N.; COSTA, A. C. F.; SILVA, N. S. GUARDANI, F. Women entrepreneurs: Discussion about their competencies. African Journal of Business Management, v. 6, n. 26, p. 7694-7704, 2012.

NASSIF, V. M. J.; GHOBRIL, A. N.; SILVA, N. S. Understanding the entrepreneurial process: a dynamic approach. Brazilian Administration Review, v. 7, n. 2, p. 213-226, 2010.

PERAZZO, P. F.; BASSI, C. S. Possibilidades do método de história oral nos estudos em administração. In: ENCONTRO DE ENSINO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE, 1.; 2007, Recife. Anais... Recife, 2007.

PERRENOUD, P. Construire des Compétences, est-ce tourner le dos aux savoirs?. Genève: Université de Genève, 1998. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2015. 1998.

POWELL, G. N.; EDDLESTON, A. K. Linking family-to-business enrichment and support to entrepreneurial success: Do female and male entrepreneurs experience different outcomes? Journal of Business Venturing, v. 28, n. 2, p. 261-280, 2013.

ROCHA, E. L. C.; FREITAS, A. A. F. Avaliação do ensino de empreendedorismo entre estudantes universitários por meio do perfil empreendedor. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 4, p. 465-486, 2014.

RUAS, R. Competências gerenciais e aprendizagem nas organizações: uma relação de futuro? In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE COMPETITIVIDADE BASEADA NO CONHECIMENTO, 1999. Anais... São Paulo, 1999.

SCHUMPETER, J. History of economic analysis. New York: Oxford University Press, 1954.

SILVA, T.; PEREIRA, M. F.; COSTA, A. M.; HINTERLANG, C. Metodologia em voga no campo de empreendedorismo: emprego de métodos quantitativos para o estudo das características inerentes aos empreendedores. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 12, n. 4, p. 181-209, 2013.

SPARROW, P. R.; BOGNANNO, M. Competency Requirement Forecasting: Issues for International Selection and Assessment. In: MABEY, C.; ILES, P. Managing Learning. p. 57-69. Londres: Routledge, 1994.

STROBINO, M. R. C.; TEIXEIRA, R. M. Empreendedorismo feminino e o conflito trabalho-família: estudo de multicasos no comércio de material de construção da cidade de Curitiba. Revista de Administração, v. 49, n. 1, p. 59-76, 2014.

TAKAHASHI, A. R. W.; GRAEFF, J. F.; TEIXEIRA, R. M. Planejamento estratégico e gestão feminina em pequenas empresas: o caso das escolas particulares em Curitiba-Paraná. Organizações & Sociedade, v. 13, n. 39, p. 29-44, 2006.

VALE, G. M. V. Empreendedor: origens, concepções teóricas, dispersão e integração. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 6, p. 874-891, 2014.

VIDIGAL, P. R.; NASSIF, V. M. J. A relevância dos aspectos cognitivos e afetivos nas ações dos empreendedores em seus empreendimentos. Revista Alcance, v. 20, n. 1, p. 38-57, 2013.

VITA, L.; MARI, M.; POGGESI, S. Women entrepreneurs in and from developing countries: Evidences from the literature. European Management Journal, v. 32, n. 3, p. 451-460, 2014.

YAMAKAWA, Y.; PENG, M. W.; DEEDS, D. L. Rising from the ashes: Cognitive determinants of venture growth after entrepreneurial failure. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 39, n. 2, p. 209-236, 2015.

ZARIFIAN, P. Objetivo Competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.