Percepção do uso de sites de compras coletivas ao adquirir cupons de serviços turísticos Outros Idiomas

ID:
42349
Resumo:
As tecnologias trouxeram novas formas de negócio como foi o caso dos sites de compras coletivas, que são basicamente uma forma de vender na Internet que permite aos consumidores comprar produtos e serviços a preços mais baixos. O presente trabalho analisou a percepção do viajante sobre o uso de sites de compras coletivas para adquirir cupons de serviços turísticos. A pesquisa apresenta caráter quantitativo – exploratório com a utilização do Modelo de Aceitação Tecnológica, para servir de base teórica para verificar a utilização dos sites de compras coletivas para adquirir cupons de serviços turísticos durante uma viagem. Foram coletados 60 questionários válidos com estudantes de uma universidade pública federal do nordeste brasileiro. Utilizou-se um levantamento de dados do tipo survey, com uma amostra não-probabilística por conveniência. Por se tratar de um estudo piloto com uma amostra pequena, os resultados foram verificados através da Modelagem de Equações Estruturais (MEE), utilizando a técnica Partial Least Squares (PLS). A partir da análise, verificou-se que a maioria das pessoas que responderam aos questionários utilizam sites de compras coletivas para adquirir cupons de serviços turísticos. Porém, de acordo com os resultados obtidos, os sites de compras coletivas podem não ser ferramentas fáceis que o ajudem na tomada de decisão em adquirir serviços turísticos.
Citação ABNT:
MENDES FILHO, L.; JORGE, V. A.; SENA JÚNIOR, O. B. Percepção do uso de sites de compras coletivas ao adquirir cupons de serviços turísticos. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 10, n. 3, p. 574-593, 2016.
Citação APA:
Mendes Filho, L., Jorge, V. A., & Sena Júnior, O. B. (2016). Percepção do uso de sites de compras coletivas ao adquirir cupons de serviços turísticos. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 10(3), 574-593.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v10i3.1131
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42349/percepcao-do-uso-de-sites-de-compras-coletivas-ao-adquirir-cupons-de-servicos-turisticos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Araújo, R. (2011). As compras coletivas vão acabar? Rio de Janeiro, 29 de março. 2011. Disponível em: Acesso em: 28 de fevereiro,2015.

Ayeh, Julian K.; AU, Norman; LAW, Rob. (2103). Predicting the intention to use consumergenerated media for travel planning. Tourism Management, 35(1), 132-143.

Benazzi, J R De S. C.; Pedra, B. Y. (2011). Compras coletivas: uma análise exploratória de sua utilidade para as empresas anunciantes. Anais do Simsocial: Simpósio em Tecnologias Digitais e Sociabilidade. Salvador: 13-14 de outubro de 2011.

Buhalis, D. (1994). Information and telecommunications Technologies as a strategic tool for small and médium tourism enterprises in the contemporary business environment. In: Seaton, A.V.; (Eds) Tourism: The State of the Art. p. 254-274. John Willey & Sons: England.

Carvalho, D.T. de.; Ferreira, L. B.; Kanazawa, F. N.; Machado, P. M.; Giraldi, J de M. E. (2016). Experiência em website de marca-país e a formação da imagem de destino turístico: um estudo na Islândia. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 9(10), 108-128.

Chin, W.W. (1998). Issues and opinions on structural equation modeling. MIS Quartely, 22(1), 7-16.

Chin, W. W. (2010). How to write up and report PLS analyses. In: VINZI, V. E. et al. (Eds.). Handbook of Partial Least Squares: Concepts, Methods and Applications. p. 655-690. London, New York: Springer.

Cooper, C. et. al. (2001). Turismo princípios e prática. Tradução de R. Costa. Porto Alegre: Bookman.

Davis, F. D. (1986). A Technology acceptance model for empirically testing new end-user information systems: theory and results. Doctoral dissertation, Sloan School of Management. Massachusttes Institute of Technology, Amherst, MA.

Davis, F. D. (1989). Perceived usefulness, perceived ease of use, and user acceptance of information technology. MIS Quarterly, v. 13, p. 319 -339.

Dencker, A de F. M. (1998). Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. 8 ed. São Paulo: Futura.

E-BIT. (2013). Relatório sobre a evolução do e-commerce, tendências e estimativas. E-bit. 02 mar. 2013. Disponível em: . Acesso em 01 out.2015.

E-BIT. (2015). Relatório webshoppers. 32 ed. E-bit. 07 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em 01 out. 2015.

E-COMMERCE. Org. (2015). A consolidação do mercado de compras coletivas. Disponível: . Acesso em 03 dez.2015.

Ferreira, L. B.; Andrade, D. A. C. (2012). Compras coletivas na hotelaria: uma análise do ponto de vista do anunciante. Anais do IX ANPTUR, 30 de ago a 01 de set de 2012, São Paulo.

Fonseca, J. J. S. (2002). Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC.

Guimarães, A. S.; Borges, M. P. (2008). e.E-turismo: internet e negócios do turismo. São Paulo: Cengage Learning.

Hair, Jr.; Black, W. C.; Babin, B. J.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L. (2006). Multivariate Data Analysis. 6 ed. Upper Saddle River, NJ: Pearson Prentice Hall.

Heo, C. Y. (2016). Exploring group-buying platforms for restaurant revenue management. International Journal of Hospitality Management, 52(1), 154-159.

Hotel Urbano. (2011). Disponível em: . Acesso em: 01 maio2014.

Huh, H. J.; Kim, T.; Law, R. A. (2009). Comparison of competing theoretical models for understanding acceptance behavior of information systems in upscale hotels. International Journal of Hospitality Management, v. 28, p. 717-724.

Liang, X.; Ma, L.; Xie, L.; Yan, H. (2014). The informational aspect of the group-buying mechanism. European Journal of Operational Research, 234(1), 331-340.

Macário, t. (2015). Compras coletivas: o que esperar em 2011. Rio de Janeiro 30 de novembro. 2010. Disponível em . Acesso em: 12 de fevereiro,2015.

Maia, E. (2011). Saiba como evitar problemas com os sites de compras coletivas, que chegam ao segmento de turismo. 2011. Disponível em: . Acesso em: 05 de abril de 2015.

Malhotra, N. (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman.

Mendes Filho, L. (2014). Empowerment in the context of User-Generated Content in the Travel Industry: A research model proposal. El Periplo Sustentable, v. 27, p. 4-20.

Mendes Filho, L.; Carvalho, M. S. D. (2014). Factores que influyen en el uso del contenido generado por el usuario en internet: Un estudio preliminar con viajeros brasileños. Estudios y Perspectivas en Turismo, 23(3), 607-625.

MENDES FILHO, L.; TAN, F.; MILLS, A. (2012). User-generated content and travel planning: An application of the theory of planned behaviour. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 6(3), 20-29.

Narayanasamy, S. (2011). The group buying effect. Search Engine Journal. Disponível em: . Acesso em: 03 ago.2016.

Oneto, A. A. D.; Ferreira, J. B.; Giovannini, C. J.; Silva, J. F. (2015). Confiança e Satisfação na Compra de turismo online. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 9(2), 221-239

Oscar, N. (2011). Empresas tem prejuízo com sites de compras coletiva. 28 mar.2011. Disponível em . Acesso em 01 de ago.2015

Reincke, M.; Cajaraville, A. (2000). Com o encanto do virtual. HSM Management, 4(19), 132.

Sales, S. C.; Souza, J. N. S. (2011). Turismo por apenas um clique: estudo de caso sobre a atuação do Hotel Urbano no mercado de compras coletivas. In: VIII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

Sá, S. (2015). Preconceito gera problemas com compras coletivas. Rio de Janeiro, 02 de fevereiro. 2011. Disponível em:. Acesso em 25 de março, 2015.

Sena Júnior, O. B. de. (2014). Fatores que afetam o comportamento de compras impulsivas de cupons de hospedagem em sites de compras coletivas. 2014. Dissertação (Mestrado em Turismo). Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Shiau, W. L. & Luo, M. M. (2012). Factors affecting online group buying intention and satisfaction: A social exchange theory perspective. Computers in Human Behavior, v. 28, p. 2431-2444.

Silva, M. M.; Mendes Filho, L. (2014). Intenção de uso de comentários de viagem online na escolha de um meio de hospedagem: Fatores influenciadores. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 8(3), 419-434.

SPC Brasil. (2015). Consumo de compras coletivas. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

Thompson, D. (2011). Cooperative Principles Then and Now, Co-operative Grocer, National Cooperative Grocers Association, Minneapolis. Disponível em: . Acesso em: 03 ago.2016

Zhang, G.; Shang, J.; Yildirim, P. (2016). Optimal pricing for group buying with network effects. OMEGA - The International Journal of Management Science, v. 63, p. 69-82.