Estratégias de fundos multimercado no Brasil e a influência da taxa de performance no seu desempenho Outros Idiomas

ID:
42436
Resumo:
OBJETIVO Este artigo pertence ao campo de estudos da administração financeira e tem por objetivo demonstrar as estratégias dos fundos de investimentos no Brasil em período onde os fundos tiveram o maior crescimento e rentabilidade, que foi o período posterior à crise de 2008, ou seja o período 2009 – 2011. Neste artigo se estuda o mercado de capitais brasileiro que passou por uma fase de forte crescimento, diversificando produtos e atraindo maior número de investidores. Os chamados fundos de investimentos multimercados, cujos serviços são remunerados por meio de uma taxa de administração pré-determinada. Dado o enquadramento jurídico da administradora, a legislação também permite a cobrança de taxa de performance (TP). Pretende evidenciar através da estatística inferencial se os incrementos em relação ao benchmark são convertidos em maior remuneração aos cotistas. Pretende também verificar se tais fundos assumem maior exposição ao risco. METODOLOGIA A hipótese principal do trabalho é testar as médias de rentabilidades brutas e liquidas entre os fundos sem cobrança de taxa de performance e fundos com cobrança de taxa de performance. Também foi testada a hipótese de que a volatilidade média dos fundos com cobrança de taxa de performance é diferente da média dos fundos sem cobrança da taxa. Para fins desse artigo utilizou-se um teste de hipótese que segundo BUSSAB e MORETTIN (2010), o procedimento para uso do teste de hipótese abrange cinco passos: (i) fixar a hipótese nula H0 que se pretende testar; definir qual estatística é o melhor estimador para ser usado em cada teste; (ii) fixar a probabilidade α de cometer o chamado erro do tipo 1 (aceitar H0 sendo ele falso); (iii) usar as informações amostrais para obter a estatística T que definirá a decisão; (iv) confrontar a estatística obtida a partir dos dados amostra com a região crítica; (v) tomar a decisão, aceitando ou rejeitando H0. Com base em T ou no p-valor. No caso de teste bilateral, se a estatística de teste estiver fora da região crítica (−tC ≤ T ≤ +tC) ou α fixado maior que o p-valor, não se pode rejeitar a hipótese nula H0 (LEVIN, FOX, 2004; ANDERSON, SWEENEY, WILLIAMS; 2009). RESULTADOS E CONCLUSÕES Os resultados estatísticos mostraram que há evidências de que a média de rentabilidade bruta dos fundos que cobram taxa de performance é superior à média, entretanto, isso não se traduz em melhor remuneração aos investidores e esse fato se constitui em um desincentivo e limita o crescimento dos fundos que adotam esse tipo de estratégia e poderiam ter maiores possibilidades de crescimento no mercado nacional e internacional. IMPLICAÇÕES PRÁTICAS As implicações práticas desse estudo fornecem um alerta aos investidores e aos gestores qualificados de fundos quanto ao fato de mudanças nesse comportamento devem advir por força das pressões das assembleias de cotistas e devem provocar um salto qualitativo na indústria de fundos no Brasil.
Citação ABNT:
ROVAI, R. L.Estratégias de fundos multimercado no Brasil e a influência da taxa de performance no seu desempenho. Revista de Finanças Aplicadas, v. 3, n. 1, p. 1-30, 2015.
Citação APA:
Rovai, R. L.(2015). Estratégias de fundos multimercado no Brasil e a influência da taxa de performance no seu desempenho. Revista de Finanças Aplicadas, 3(1), 1-30.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42436/estrategias-de-fundos-multimercado-no-brasil-e-a-influencia-da-taxa-de-performance-no-seu-desempenho/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português