Megaeventos e Turismo: um Estudo Bibliométrico dos Periódicos Brasileiros de Turismo Outros Idiomas

ID:
42528
Resumo:
O presente trabalho, uma pesquisa descritiva exploratória, tem como principal objetivo a análise da produção do conhecimento científico dos periódicos nacionais brasileiros de turismo quanto a publicações acerca do tema megaeventos, entre os anos de 2010 e 2015, por meio de um estudo bibliométrico. Compreender o quanto os estudiosos estão disseminando os dados de suas pesquisas nesses canais de divulgação científica se faz importante pela atual conjuntura do Brasil como país sede de megaeventos. Dentre os 1.760 artigos publicados no período pesquisado, identificaram-se 12 artigos sobre megaeventos, dos quais nove abordavam megaeventos esportivos, um megaevento musical, outro sobre estratégia turística e um sobre turismo de megaeventos. Sendo assim, foi possível compreender a diversidade de estudos sobre megaeventos e como suas temáticas podem contribuir para o turismo.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
SILVA, A. C.; BRAGA, D. C.; ROMANO, F. S. Megaeventos e Turismo: um Estudo Bibliométrico dos Periódicos Brasileiros de Turismo. Turismo: Visão e Ação, v. 18, n. 3, p. 633-659, 2016.
Citação APA:
Silva, A. C., Braga, D. C., & Romano, F. S. (2016). Megaeventos e Turismo: um Estudo Bibliométrico dos Periódicos Brasileiros de Turismo. Turismo: Visão e Ação, 18(3), 633-659.
DOI:
10.14210/rtva.v18n2.p633-659
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42528/megaeventos-e-turismo--um-estudo-bibliometrico-dos-periodicos-brasileiros-de-turismo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Alberini, B. (2014). Megaeventos: uma estratégia de atração turística? Turismo e Sociedade, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 64-76.

Araújo, C.A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão. Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun.

Araújo, R.F.; Alvarenga, L. (2011). A bibliometria na pesquisa científica da pós-graduação brasileira de 1987 a 2007. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v. 16, n. 31, p. 51-70, 2011.

Arquiteturismo. (s/d). Expediente. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br /revistas/expedient/arquiteturismo. Acesso em: 25/10/2015.

BAHL, M. Editorial. Turismo e Sociedade. v.7 n. 1, p. 7-15, 2014.

Barbosa, F.S. e Scarvada, A.J. (2015). Um modelo conceitual de megaeventos musicais. Cultur Revista de Cultura e Turismo, Ilhéus (BA), v. 9, n. 2, p. 135-150, 2015.

Basso, K.G.F.; Andrade, T.C. e Bittencourt, A.P. (2015). Pesquisa de Identificação do perfil e satisfação dos turistas e visitantes de Brasília durante a Copa do Mundo 2014. Turismo em Análise. São Paulo, v. 26, n. 1, p. 68-91.

Brasil. Ministério do Turismo. (2013). Plano Nacional de Turismo 2013-2016. Brasília, DF.

Britto, J.; Fontes, N. (2002). Estratégia para eventos: uma ótica do marketing e do turismo. – São Paulo: Aleph.

Cavalcanti, M.N. e Lima, I.C. (2013). A hospitalidade urbana de Fortaleza–CE frente ao megaevento Copa do Mundo de 2014. Turismo: Estudos e Práticas. Mossoró (RN), v. 2, n. 2, p. 107-132.

Firkowski, O.L.C.F.; Baliski, P. e Ferreira, A.G. (2014). Copa do Mundo no Brasil: entre expectativas elevadas e benefícios imprecisos. Turismo e Sociedade. Curitiba, v. 7, n. 1, p. 41-63.

Freitag, B.B.; Tiscoski, G.P. e Moretto Neto, L. (2010). Análise da produção acadêmica em administração sobre turismo. 34o EnANPAD, Rio de Janeiro, p. 1-13.

Funk, D. e Bruun, T. (2007). The role of socio-psychological and culture-education motives in marketing – international sport tourism: a cross-cultural perspective. Tourism Management, 20 (3), 806-819.

Getz, D. (2008) Event tourism: definition, evolution and research. Tourism Management. 29; p. 403-428.

Gimenes-Minasse, M.H.S.G. (2014). A gastronomia brasileira na Copa do Mundo de Futebol da FIFA 2014: uma breve análise. Turismo e Sociedade. Curitiba, v. 7, n. 1, p. 77-98.

Hall, C.M. (2006). Urban entrepreneurship, corporate interests and sports mega-events: The thin policies of competitiveness within the hard outcomes of neoliberalism. In: HORNE, J e MANZENREITER, W. (orgs). Sports mega-events: Social scientific analyses of a global phenomenon. Oxford: Blackwell, p. 59-70.

Hall, M. (2011). Publish and perish? Bibliometric analysis, journal ranking and the assessment of research quality in tourism. Tourism Management. V. 32. p. 16-27.

ICCA – International Congress and Convention Association. (2014) The international association meetings market 2014 ICCA statistic report 2014. Disponível em: . Acesso em 30 de abril de 2016.

Ishiy, M. (1998). Turismo e megaeventos esportivos. Turismo em Análise. São Paulo, v. 9, n. 2, p. 47-61.

Jago, L.; Dwyer, L.; Lipman, G.; Lill, D. e Vorster, S. (2010). Optimising the potential of mega-events: an overview. International Journal of Event and Festival Management, v. 1, p. 220-237.

Jesus, G.M. (2014). Cidade mercadoria, cidade-vitrine, cidade turística: a espetacularização do urbano nos megaeventos esportivos. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 14, n. especial, p. 52-65.

Kotler, P; Gertner, D.; Rein, I e Haider, D. (2006). Marketing de lugares: como conquistar crescimento ao longo prazo na América Latina e no Caribe. São Paulo: Prentice Hall.

Lohmann, G. e Panosso Netto, A. (2008). Teoria do turismo: conceitos, modelos e sistemas. São Paulo: Aleph.

Marcellino, N.C. (org.). (2013). Legados de megaeventos esportivos. Campinas, SP: Papirus. (Coleção Fazer/Lazer).

Matias, M. (2008). Os efeitos dos megaeventos esportivos nas cidades. Turismo e Sociedade. Curitiba, v. 1, n. 2, p. 175-198.

Milito, M.C; Marques, S. e Alexandre, M.L. (2013). Percepção do residente em relação a turismo e megaevento: análise bibliométrica de periódicos internacionais e latino-americanos. Turismo em Análise. São Paulo, v. 24, n. 3, p. 482-502.

Oliveira, A. P. (2002). Turismo e desenvolvimento: planejamento e organização. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Owen, J. (2005). Estimating the cost and benefit of hosting Olympic Games: what can Beijing expect from its 2008 Games? The Industrial Geographer. v.3, n.1, p.1-18.

Pace, T.H. e Hardt, L.P.A. (2014). Megaeventos esportivos: reflexões sobre sustentabilidade e suas relações com o turismo. Turismo e Sociedade. Curitiba, v. 7, n. 1, p. 16-40.

Pace, T.H.; Hardt, L.P.A. e Figueiredo, F.C. (2015). Sorting mega-events and tourism: bibliometric relationships in academia. Business and Management Review, v. 4, n.12, May.

Panosso Netto, A. (2010). O que é turismo. São Paulo: Brasiliense. (Coleção primeiros passos).

Pereira, G.S. e Conto, S.M. (2014). Public Participation in environmental impact assessment (EIA) and major sports events: a comparative analysis of the London 2012 Olympic Games and the Rio 2007 Pan American Games. Revista Rosa dos Ventos. Caxias do Sul (RS), v. 6, n. 4, p. 488-507.

QUALIS-CAPES. (s/d). Periódicos classificação 2014 área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo. Disponível em: Disponível em: . Acesso em 02/11/2015.

Reis, A.C. (2008). Megaeventos e turismo: uma breve revisão. In Rodrigues, R.P.; DaCosta, L; Pinto, L.M.; Terra, R. Legados de megaeventos esportivos. Ministério do Esporte. DF, Brasil.

Ribeiro, C.H.V.; Soares, A.J.G. e Dacosta, L.P. (2014). Percepção sobre o legado dos megaeventos esportivos no Brasil: o caso da Copa do Mundo FIFA 2014 e os Jogos Olímpicos 2016. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Florianópolis, v. 36, n. 2, p. 447-466, abril/junho.

Roche, M. Mega events and urban policy. (1994). In: Annals of Tourism Research. 21, 1994, Nova York. Anais... Nova York: Pergamon Press, 1994.

Rodrigues, R.P.; Dacosta, L., Pinto, L.M. e Terra, R. (2008). Legados de megaeventos esportivos. Ministério do Esporte. DF, Brasil.

Romano, F.S; Vico, R.P.; Silva, A.C.; Uvinha, R.R. (2015). Megaeventos esportivos: Uma reflexão sobre os legados da UEFA Eurocopa. Revista Podium, Sport, Leisure and Tourism Review. v. 4, n. 3, setembro/dezembro.

Ruschmann, D.M. e Solha, K.T. Planejamento turístico. Barueri (SP): Manole, 2006.

Santos, M.P. (2000). Da Expo’98 ao Euro 2004: notas para o estudo do impacto de grandes eventos no turismo regional. Educação e Comunicação. (4). 22-47.

Silva, I.O.F. (2012). Megaeventos esportivos e relações internacionais como estratégia de atração turística. Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo. Rio de Janeiro, v. 7, n. 1.

Silva, S.B.M.; Carvalho, S.S e Silva, B.C.M.N. (2009). Globalização, turismo e residências secundárias: o exemplo de Salvador-Bahia e de sua região de influência. Revista Acadêmica Observatório de Inovação do Turismo, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3.

Tavares, O. (2007). Instalações temporárias do Pan Rio 2007: possíveis legados. In: Rubio, K. (Org.). Megaeventos esportivos, legado e responsabilidade social. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Trotta, S.T.; Strehlau, V.I. e Turolla, F.A. (2015). As mudanças na imagem das cidades de Curitiba e Florianópolis: um estudo sobre os reflexos da divulgação das cidades sedes para a Copa do Mundo da Fifa 2014. Revista Turismo Visão e Ação, Balneário Camboriú (SC), v.17, n.2, ago.

Tyler, D.; Guerrier, Y. e Robertson, M. (orgs.). (2001). Gestã o do turismo municipal: teoria e prática de planejamento turístico nos centros urbanos. (tradução Gleice Guerra). São Paulo: Futura.

Veal, A. J. (2011). Metodologia de pesquisa em lazer e turismo. Tradução Gleice Guerra, Mariana Aldrigui. São Paulo: Aleph.